Segunda-feira, 26 de Julho de 2021

Mercedes Benz Formula 1 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Mercedes Benz Formula 1 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

279ª – Mercedes Benz W 196 Mercury

Uma relíquia encontrada…

 Modelo real

Fórmula 1 1954

O Mercedes-Benz W196 foi o modelo utilizado pela Mercedes- Benz, para disputar os campeonatos de Fórmula 1 de 1954 e 1955.

O Mercedes-Benz W 196 R projetado para a temporada de 1954 estava de acordo com a nova regulamentação de Grande Prêmio decretada pelo órgão regulador do desporto, a CSI (Commission Sportive Internationale): uma capacidade de 750 cc com ou 2500 cc sem supercharger, a escolha da mistura de gás, uma distância de corrida de 300 quilômetros ou um mínimo de três horas.

A versão simplificada foi concluída primeiro porque a corrida de Reims que deu início à temporada permitia velocidades muito altas. Depois disso, houve também uma versão com rodas expostas.

Esta obra-prima de prata, da qual foram construídas 14 unidades incluindo um protótipo, não deu hipótese aos seus adversários nos dois anos seguintes. Aerodinâmico e original era prático e visualmente atraente. A partir do Grande Prêmio da Alemanha em Nürburgring no início de Agosto de 1954 em diante, no entanto, uma versão de roda aberta (monoposto) também fez parte do line-up. Sua estrutura tubular era leve e robusta, sua suspensão com barras de torção e um novo eixo giratório de junta única na parte traseira, assim como os gigantescos freios a tambor Duplex, com refrigeração turbo e centralmente dispostos, eram excepcionalmente bons. O motor em linha de oito cilindros com injeção direta e controle de válvula desmodrômica (1954: 256 hp (188 kW) a 8260 rpm, 1955: 290 hp (213 kW) a 8500 rpm) foi instalado na estrutura espacial em um ângulo de 53 graus para a direita para abaixar o centro de gravidade e reduzir a área frontal. Além do mais, os preparativos meticulosos para cada corrida individual remontam à gloriosa década de 1930 e, ao mesmo tempo, antecipam a abordagem moderna da Fórmula Um.

Duas versões: carro monolugar e streamliner

As duas versões do W 196 R eram intercambiáveis ​​sem esforço. O chassi número dez, por exemplo, um dia brilhando com sua antiga glória em sua carroceria de alumínio totalmente novo, foi inscrito com as rodas abertas no Grande Prêmio da Argentina de 1955 (conduzido por Hans Herrmann, Karl Kling e Moss para o quarto lugar) e no Grande Prêmio da Holanda Prêmio (com Moss ao volante, terminando como vice-campeão), e totalmente aerodinâmico novamente realizado testes em Monza. Qual deles foi usado dependeu das peculiaridades do circuito, da estratégia escolhida e dos gostos e desgostos do respectivo piloto.

O histórico do W 196 R era realmente impressionante: nove vitórias e voltas mais rápidas, bem como oito poles position nas doze corridas do Grande Prêmio em que participou e, claro, os títulos de campeão mundial do Argentino Juan-Manuel Fangio em 1954 e 1955.

IMG_20210726_182853.jpg

IMG_20210726_183004.jpg

IMG_20210726_183049.jpg

Miniatura

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Mercuri

Série

Referencia nº55

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 

 

 

 


publicado por dinis às 23:43
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Junho de 2021

Fiat 124 Sport Coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fiat 124 Sport Coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

245ª – Fiat 124 Sport Coupé Mercury

Uma placa à frente, diz: Rally Acropolis

 Modelo real

O Fiat124 de quatro portas, após ter derivado as versões Familiare e Spider, a Fiat acrescentou o Coupé, apresentado no Salão de Genebra de 1967. O Fiat 124 Sport Coupé era um coupé de duas portas e quatro lugares produzido pela Fiat em três gerações entre 1967 e 1975

A primeira série do 124 Sport Coupé foi produzida até 1969.

Desenhado pelo Fiat Style Center a provar que também são capazes de belas carroçarias especiais, foi produzido pela própria Fiat e mecânica do 124 Spider, um motor 90cv de 1438cc de eixo duplo, montado na plataforma do 124 normal, com distância entre eixos de 2,42m.

O motor ”Lampredi' de quatro cilindros de alumínio e ferro com cames duplo foi projetado pelo ex-engenheiro da Ferrari, Aurelio Lampredi.

O AC, ou primeira geração, apresentava um motor de 1.438 cc,

 A segunda geração ou BC aumentou para 1.608 cc ,

A terceira geração, ou CC, no início com o motor de 1.592 cc e depois o motor de 1.756 cc (alguns dos primeiros modelos CC saíram de fábrica com os restantes motores restantes de 1.608 cc).

O Fiat 124 Sport Coupé também foi construído sob licença na Espanha como SEAT 124 Sport.

IMG_4273.JPG

IMG_4274.JPG

IMG_4276.JPG

IMG_4279.JPG

Miniatura

Abre as portas.

Interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

Fabricante mercury

Série

Referencia nº 302

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 

 

 

 


publicado por dinis às 23:37
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Junho de 2021

Fiat 1500 cabriolet - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fiat 1500 cabriolet - Um olhar sobre as minhas miniaturas

234ª – Fiat 1500 Mercury

Uma relíquia encontrada por acaso.

Fiat 1500 Spyder com suspensione

 Modelo real

O Fiat 1500 Pininfarina Cabriolet tipo 118G é um atraente descapotável de duas portas, dois passageiros, motor dianteiro e tração traseira fabricado pela Pininfarina, para substituir o Fiat 1200 Spyder e comercializado pela Fiat em duas gerações (1959-1963 e 1964-1966),

O engenheiro-chefe Dante Giacosa iniciou o relacionamento da Fiat com a OSCA num encontro de Julho de 1957 com Ernesto Maserati e no Salão Automóvel de Turin de 1958 Pininfarina mostrou um conversível semelhante, com motor OSCA, o Fiat-OSCA 1500 GT

O 1200 Cabriolet além do chassis do 1200 TV e o mesmo motor OHV de 1221 cc do anterior 1200 TV Trasformabile / Spider, embora um pouco mais potente, com 59 CV.

Em 1961, o 1200 Saloon foi substituído pelo 1300/1500. Embora inicialmente os Coupés e Cabriolets 1200 e 1600 continuaram a ser construídos sem grandes alterações até setembro de 1963, ou seja quando foram equipados com o motor de 1,5 litros, inicia-se a segunda geração.

A grade, que antes era de dois segmentos, agora era uma peça única e mais larga. O 1500 com motor Fiat (tipo 118H) agora também estava disponível com a carroceria coupé de produção limitada da Pininfarina. 

O O.S.C.A. com motor 1600 S, e motor twin cam 1568 cc desenvolvia 90 CV continuou a estar disponível embora com o mesmo novo tratamento dianteiro que o 1500 Cabriolet. Este foi chamado de Fiat 1600 S Coupé / Cabriolet (tipo 118SB) e pode ser facilmente reconhecido por suas lâmpadas adicionais nos cantos externos da grade..

Em 1965, a transmissão de quatro marchas foi substituída por uma de cinco marchas, enquanto os freios receberam servo freio.

Em 1966, a produção terminou com um total de 34.211as versões desportivas (1500 S / 1600 S), equipadas com motores de duas cames construídos pela OSCA, atingindo uma produção de 3089.

O Cabriolet foi substituído pelo Fiat 124 Sport Spider em 1966.

IMG_3859.JPG

IMG_3862.JPG

IMG_3863.JPG

Miniatura

Interior único detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

Fabricante mercury

Série

Referencia nº 7

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está ravada à carroçaria

Apresentado em caixa.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 00:10
link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Abril de 2021

Abarth 1000 bialbero - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Abarth 1000 bialbero - Um olhar sobre as minhas miniaturas

174ª – Abarth 1000 Bialbero Mercury  

A característica mala aberta, era fantástica e muito racing.

Modelo real

O Fiat Abarth 1000 Bialbero revela a habilidade Carlo Abarth ao apresentar um verdadeiro carro de corrida com chassis e a maior parte da mecânica do Fiat 600,

O primeiro Abarth baseado no Fiat 600 a ser equipado com um motor de 982 cc derivado do motor do 600 foi o Berlinetta com carroceria Zagato, semelhante em aparência aos modelos 750 e 850 Monza iniciada em 1957 com o 750 Record Monza, fruto da colaboração com o Eng. Gioachino Colombo, ex-designer da Ferrari, Maserati e Bugatti, estudou uma cabeça de cilindro com duas árvores de comando no cabeçote.

A carroceria é derivada da do 750 Zagato mas a colaboração entre Carlo Abarth e Zagato cessou e Carlo Abarth encomenda uma nova carroceria a Beccaris com um design foi ainda mais racionalizado é quando o Eng. Mario Colucci e o próprio Abarth decidem que as palavras “Carrozzeria Abarth” deveriam ser afixadas nas partes laterais de cada modelo.

Abarth apresentou o 1000 Bialbero no Salão Automóvel de Turin 1961, com o seu motor de quatro cilindros DOHC em linha, de 982c.c. e 91 cv, carburador Weber duplo “twin-choke”, caixa manual de quatro velocidades e travões de disco à frente e de tambor atrás.

É com a introdução da dupla árvore de cames no motor Abarth de 982c.c. que surge o “Bialbero” 1000 – “bialbero” quer dizer literalmente duas árvores, em italiano. Este motor era um derivado do que equipava o Fiat 600, mas com uma cilindrada e curso maiores, aliados a uma cabeça DOHC, com câmaras de combustão hemisféricas e uma taxa de compressão maior

Nesse ano, o 1000 Bialbero ganhou o prémio Compasso d'Oro de design com a seguinte motivação: “Per la qualità eccellente del disegno, la spregiudicatezza delle soluzioni adottate e l’intelligenza di ogni dettaglio.”

Abarth venceu o título do Campeonato de Fabricantes de 1962 para a classe 'até 1000cc' da Divisão I. Em 1963, as atualizações e modificações no carro continuaram, incluindo a forma geral. O capô do motor foi alongado, o que acrescentou maior estabilidade na velocidade. Uma nova caixa de cinco velocidades foi instalada, o que ajudou a melhorar a velocidade máxima. Abarth terminaria a temporada de 1963 com uma vitória repetida nas corridas da Divisão 1.

Para a temporada de 1964, a categoria Divisão 1 permitia carros de até 1300cc. A Abarth mudou sua atenção para seu modelo 1300 GT com motor Simca, que foi lançado em 1962

Modificação na miniatura

Pintado de vermelho, baseado numa gravura da época em que os faróis também estavam com a mesma cor

IMG_2870.JPG

IMG_2873.JPG

IMG_2875.JPG

IMG_2876.JPG

Miniatura

O Abarth 1000 estava pintado de prateado com decalques N 182 e matricula TO83 1045 e o emblema grande da Abarth, pneus bem moldados, interior preto, suspensão firme e vidros transparentes. Faróis prateados e traseiros pintados

Na caixa alemã colocaram um adesivo  'IMPORT MARKLIN' e ao lado do Nº 4 tinha um outo adesivo com  o No 1911  na aba final.

De lado está gravado Fiat Abarth 1000, quando na realidade ra em decalques.  

Disponíveis em duas cores: vermelho pastel e cinza prateado,

No capô dianteiro Abarth e os números de corrida ("182" ou "186") nas portas e no capô traseiro.

Na caixa alemã colocaram um adesivo  'IMPORT MARKLIN' e ao lado do Nº 4 tinha um outo adesivo com  o No 1911  na aba final.

Abre as portas, e o capô do motor.

Disponível em vermelho pastel e cinza prateado,

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 41

Material –zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País – Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 22:51
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Março de 2021

Mercedes Benz Roadster Pagode - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Mercedes Benz Roadster Pagode - Um olhar sobre as minhas miniaturas

160ª – Mercedes Benz 230 SL Mercury  

Modelo real

Os Roadsters Mercedes-Benz W113 foram projetados por Paul Bracq para substituir o mítico 300Sl/190 Sl foi apresentado no Salão de Geneve de 1963.

Começou a ser produzido em Junho e terminou a 5 de Janeiro de 1967, baseado na plataforma sedan W 111, tinha a distância entre eixos reduzida em 30 cm. Uma caixa automática também foi incluída.

A forma vanguardista do tecto do SL de (Sport Leicht) caracteriza-se pelo seu distinto tecto rígido desmontável com uma grande janela lateral traseira e ao enorme para-brisas traseiro, suportado por quatro fechos “Pagoda” projetado por Béla Barényi, dito em pagode a referir-nos para os edifícios asiáticos, levou bastante tempo a ser aceite pelos clientes mais clássicos.

Além do desenho marcante, destacava-se a segurança dos ocupantes naquela que foi o primeiro carro desportivo a ter essa preocupação. Mesmo assim, o modelo só recebeu cintos de segurança em 1966.

Inicialmente tinha um motor de injecção de seis cilindros em linha de 2,3l (230 SL) recebeu mais tarde em Março de 1967 um 2,5 (250 SL) e um 2,8 (280 SL) em Janeiro de 1968.

Dos 19.831 230 SLs produzidos, um pouco menos de um quarto foi vendido nos Estados Unidos.

O engenheiro-chefe da Mercedes-Benz, Rudolf Uhlenhaut, demonstrou as capacidades do 230 SL na apertada pista de corrida Annemasse Vétraz-Monthoux de três quartos de milha em 1963, onde obteve a melhor volta de 47,5 segundos contra 47,3 segundos do piloto do Grand Prix Mike Parkes em sua Ferrari 250 GT V12 de 3 litros. [7]

IMG_3003.JPG

IMG_3007.JPG

IMG_3011.JPG

IMG_3013.JPG

Miniatura

Pode ser visto como descapotável sem capota e com capota.

Havia modelos com capota rígida

Abre o porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas são de metal e têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 36

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 15:56
link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Março de 2021

Alfa Romeo 33 Protótipo "Periscópio" - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Alfa Romeo 33 Protótipo "Periscópio" - Um olhar sobre as minhas miniaturas

147ª – Alfa Romeo 33 Mercury

O primeiro T 33 de corrida numa prova de montanha.

Um belo modelo muito semelhante à gravura da caixa com o número 215 utilizado na estreia em 1967, onde T Zeccoli foi o vencedor da prova de montanha em Fleron, na Belgica

O número da caixa, mais uma vez, não correspondia aos vários números aplicados nas várias miniaturas colocadas para venda.

 Modelo real

Quando no final de 1966 foi apresentada foi apelidada de "Periscópio" pela sua entrada de ar que ficava entalada entre os capacetes do piloto e do co-piloto e quase apoiada na barra de segurança especialmente moldada para não interferir no fluxo aerodinâmico.

Motor em V de 8 cilindros de 2.000 cc, quase 300 cavalos de potência, estrutura em gaiola em liga de magnésio, carroceria ultraleve em resina e fibra de vidro, preparação de Autodelta ...

Três modelos foram apresentados para inspecção a 10 de Março de 1967, onde Teodore Zeccoli o exibiu para a imprensa.

IMG_2532.JPG

IMG_2535.JPG

IMG_2536.JPG

IMG_2537.JPG

Miniatura

Abre as portas, porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Com suspensão de lâmina.

As rodas têm pneus

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 64

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado na característica caixa vermelha de cartão com a gravura da miniatura e a bandeira quadriculada a emoldurar a janela de acetato necessária para ver o modelo.

País – Itália

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 22:39
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 4 de Março de 2021

Ferrari 330 P2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ferrari 330 P2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

134ª – Ferrari Protótipo 330 P2 Mercury

Uma gravura e mais um modelo adaptado do 250 LM há muito à espera de ser restaurado embora lhe faltem acessórios.

Nunca encontrei nenhuma foto deste modelo.

Modelo real

O Ferrari 330 P2 de 1965 é a evolução natural dos protótipos iniciados em 1964 com o 275 P2 com vista ao Campeonato Mundial de Carros de Desporto e pilotado por John Surtees em 1965 nos 1000 km de Nürburgring e em Le Mans com  Jean Guichet – Mike Parkes com o abandono as 23ª hora.

IMG_2414.JPG

IMG_2405.JPG

IMG_2429.JPG

IMG_2430.JPG

Miniatura

Abre as portas e o motor.

Motor e interior detalhado

Com suspensão de lâmina.

As rodas têm pneus

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 28

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País – Itália

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 18:52
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021

Alfa Romeo 33/2 Coupe Speciale - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Alfa Romeo 33/2 Coupe Speciale - Um olhar sobre as minhas miniaturas

124ª – Alfa Romeo 33 Pinifarina Mercury

Pininfarina, um Alfa Romeo quase igual ao Ferrari ou Enzo a lembrar-se de quando pilotava os Alfa.

Na capa uma gravura de um exemplar amarelo que nunca vi, somente encontrei a vermelha que tive de pintar posteriormente mas que é bem mais agradável que aquele amarelo esverdeada.

 Modelo real

1969 Alfa Romeo 33/2 Coupe Speciale

Um estudo de aerodinâmica para a Alfa Romeo com um design não muito diferente do Pininfarina da Ferrari, desta vez sob a égide do estilista Leonardo Fioravanti, que mais tarde se tornaria famoso por algumas das maiores realizações da Ferrari atal como Daytona, 512BB, 288 GTO, Testarossa e F40.

O 33/2 contém elementos vistos no trabalho anterior como a superfície proeminente nas asas dianteiras, entradas de ar circulares que levam para trás das portas e cauda quase plana enfim um novo Alfa Romeo.

Apresentado pela Pininfarina no Salão do Automóvel de Paris em 1969 e a mecânica do 33 Stradale, 8 cilindros de 2.000 cm3.

É um exemplar único e pode ser visto no Museo Storico Alfa Romeo, em Arese

Ver Ferrari P 5

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/ferrari-p5-um-olhar-sobre-as-minhas-1152919

IMG_2205.JPG

IMG_2206.JPG

IMG_2208.JPG

IMG_2213.JPG

Miniatura

Abre as portas, porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 53

Material –zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa vermelha com a gravura da miniatura e a bandeira quadriculada a emoldurar a janela de acetato necessária para ver o modelo.

País – Inglaterra

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 19:01
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2021

Lancia Fulvia FM 1.6 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Lancia Fulvia FM 1.6 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

50ª – Lancia Fulvia FM Mercury

Na oficina…

Modelo real

Lancia Fulvia coupé protagonizou vitórias nos rallyes por esse mundo fora também andou em provas de velocidade, Vila Real foi uma delas mas o Prototipo FM 1,6 L sem capota lançado em Provas do Campeonato do Mundo por Cesare Fiorio no Targa, equipada de um motor 1600 para Sandro Munari e Rauno Altonen classificando-se no 9º luar na Sicilia, e em Nurburgring uma vitória na classe.

IMG_0752.JPG

IMG_0754.JPG

IMG_0756.JPG

IMG_1200.JPG

 

Miniatura

Um carrinho de brincar transformado em miniatura com a ajuda de uma serra, lima, e a amálgama dentária utilizada antigamente para restaurar os dentes, uma amável oferta do Dr. Agarez quando passávamos pelo seu consultório. 

Umas das fichas do colecionador, em Sebenta, que ainda elaborei e que mais tarde foram alteradas para folhas A4. 

Agora a ajudar o Emanuel a restaurar as minhas miniaturas.  

Abre as portas, porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Suspensão de lamina.

As rodas têm pneus

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 33

Material – Zamac

Material da placa de base – Zamac

Apresentado em caixa de cartão.

País Itália

Ano de fabrico 1964


publicado por dinis às 19:13
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Dezembro de 2020

Ferrari 330 P4 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ferrari 330 P4 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

41ª – Ferrari 330 P4 Mercury

As contas do Natal

Na Festa de Natal, recebemos um livro e 20$00 cada, o que não era mau.

Junto do sapatinho lá estavam mais duas notas.

Mais a semanada...

Já dá para comprar qualquer coisinha e ainda sobra.

E lá vou eu à Casa Rubi a meio da Rua Direita a ver se ainda lá estava. E estava.

Um bom modelo para fazer o do David Piper em Via Real onde foi 2º em 1968.

Com o Nº 21 Foi 2º em Le Mans em 1967 pilotado por Ludovico Scarfiotti-Mike Parkes - Scuderia Ferrari

Modelo real

O Ferrari 330 P4 foi construído para contrariar, em 1967, o sucesso alcançado pelo Porsche 906 em competições de protótipos no ano anterior. Não teve grandes vitórias, mas maravilhou Vila Real.

IMG_0994.JPG

IMG_0995.JPG

IMG_0998.JPG

IMG_1000.JPG

Miniatura

O modelo da Mercury tem uma decoração fantasista.

O modelo apresenta-se em vermelho ou cinza metálico, mas também em branco.

A abertura do grande capô traseiro leva à bela reprodução do motor, equipado com tanques, coletores, escapamentos etc. em plástico cromado e roda sobressalente colocada em posição central. O habitáculo tem portas que abrem e o interior é preto, com o volante (direita) e a alavanca das mudanças (direita, junto à porta) cromados.

No centro do capô, na entrada de ar, está o radiador de óleo, também cromado. Faróis de plástico transparente e luzes traseiras pintadas.

Os números das corridas são "21", ou o "19" aplicados no pára-lama dianteiro e traseiro direito. Não há numeração nas portas devido à dificuldade de aplicação dos decalques nas placas moldadas. Os emblemas da Ferrari são aplicados nos painéis laterais.

Rodas tipicamente Ferrari, com aros dourados e pneus esculpidos, em borracha preta. O assento é fixado com três parafusos com fenda, um frontal e dois centrais, e tem um grande emblema proeminente da Ferrari no centro.

 

Interior detalhado

Suspensão por lâmina.

As rodas têm pneus

Fabricante Mercury

Série

Referencia nº 65 nº 21

Material – Zamac

Material da placa de base – Zamac

Apresentado em caixa de cartão.

A da Marklin tem a mesma caixa Standard com o autocolante "IMPORT MARKLIN"

País Itália

Ano de fabrico  e


publicado por dinis às 18:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Mercedes Benz Formula 1 -...

. Fiat 124 Sport Coupé - Um...

. Fiat 1500 cabriolet - Um ...

. Abarth 1000 bialbero - Um...

. Mercedes Benz Roadster Pa...

. Alfa Romeo 33 Protótipo "...

. Ferrari 330 P2 - Um olhar...

. Alfa Romeo 33/2 Coupe Spe...

. Lancia Fulvia FM 1.6 - Um...

. Ferrari 330 P4 - Um olhar...

. Fiat 850 Spyder Bertone -...

. Ferrari 250 LM - Um olhar...

. Ferrari 250 LM - Um olhar...

. Fiat 850 Sport - Um olhar...

. Maserati - Um olhar sobre...

.arquivos

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub