Sexta-feira, 5 de Novembro de 2021

Iso Rivolta S 4 300 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Iso Rivolta S 4 300 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

381ª – Iso Rivolta S4 Fidia Mebetoys

Modelo real

Os eletrodomésticos Isothermo eram fabricados pela Isso em Itália e em 1953 produziu o Isetta, um pequeno carro metade moto e a outa parte automóvel.

Em 1962 muda de politica e constrói luxuosas vaoturas de sport com o impulso de Renzo Rivolta , desaparecido em 1966.

Realizadas em pequenas series em 1968, no ano anterior, foram matriculadas menos de 100 unidades em Itália.

O Isso Rivolta S 4 300 fez a sua aparição no salão de Francfort em 1967. A primeira berlina da Iso foi desenhada por Ghia que encontra no estilo do De Tomaso Mangusta uma inspiração para o grande para-brisas muito inclinado.

O luxuoso, volumoso e desportivo sedam Iso Rivolta S4 "Fidia" não chegou ás  200 unidades entre 1968 e 1974.

O motor é o Chevrolet de 8 cilindros em V de 5359 cc.

IMG_2877.JPG

IMG_2885.JPG

IMG_2886.JPG

IMG_2894.JPG

Miniatura

Um modelo que pode ser quase todo aberto (portas, porta-malas e capô). As portas não têm caixilho de janela (o carro real tinha), nem acabamento interior. No interior do habitáculo encontramos o volante cromado, a alavanca das mudanças cromada e os bancos dianteiros com encosto reclinável.

Uma série de modelos de Mebetoys foram apresentados no Paris Toy Show em 1970 pela Solido com vista a um provável acordo comercial que entretanto foi concluído com a Mattel. Os modelos Solido-Mebetoys eram idênticos aos da série pré-Mattel.

Abre as portas, porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

Fabricante Mebetoys

Série A

Referencia nº 30

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão e posteriormente em caixa expositora de plástico.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 21:01
link do post | comentar | favorito
Domingo, 22 de Agosto de 2021

Fiat 126 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fiat 126 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

306ª – Fiat 126 Mebetoys

Era amarelo eu resolvi pintá-lo nas cores da Marlboro a lembrar-me de quando fumava.

 Modelo real

O Fiat 126 foi uma das referências da gama Fiat no que concerne aos citadinos foi projetado pelo jovem designer Sergio Sartorelli para a Fiat e apresentado em Outubro de 1972 no Salão do Automóvel de Turim para substituir o Fiat 500, ntercalando-se entre o 500 e o 127

A primeira velocidade não é sincronizada enquanto as outras três já o são sincronizadas, com alavanca central.

Motor traseiro, com 2 cilindros em linha; Diâmetro e curso de 73,5x70mm e com uma taxa de compressão de 7,5:1; Com àrvore de Cames lateral e um carburador Weber 28 IMB, depurador de ar seco; a refrigerado por ar. Equipado de uma bateria de 12 V 34 A e como alternador usava um Dinamo 230 w; Com uma potência máxima de 23 cv DIN a 4800r.p.m., e um binário máximo de 4 mkg DIN a 3400 r.p.m

A sua produção efetuou-se durante muitos anos, nomeadamente entre 1973 e 2000.

A comercialização na Europa Ocidental terminou em 1991,

Na Polônia foram produzidos ainda nos tempos da Guerra Fria, no chamado “Bloco de Leste”, na Fabryka Samochodów Małolitrażowych mais conhecida como Polski Fiat 126p prosseguindo a produção e as vendas no mercado polonês até 2000, onde tiveram início em 1973.

Na Itália, o carro foi produzido nas fábricas de Cassino e Termini Imerese, até 1980 de onde foram produzidas 4,6 milhões de unidades do modelo.

A versão original tinha um motor de 594 cc, com caixa de 4 velocidades. No final de 1977 a capacidade do motor foi aumentada de 594 cc a 652 cc.

Insólito, quando o actor Tom Hanks publicou três fotos junto a três Polski  Fiat 126 na sua conta do Twitter pelo que os habitantes da cidade de Bielsko-Biala, no sul da Polônia, onde Monika Jaskolska, depois de fazer um peditório pelos seus conterrâneos para comprar um Polski  Fiat 126 recuperável, restaurá-lo e enviá-lo ao ator Tom Hanks no seu 61.º aniversário onde várias boa vontades se uniram e o dinheiro recolhido nem sequer foi gasto e acabou por ser doado para o hospital local.

Modificação na miniatura

Pintada com as cores da Marlboro

IMG_20210822_180432.jpg

IMG_20210822_180731.jpg

IMG_20210822_180745.jpg

IMG_20210822_181241.jpg

 

Miniatura

Abre as portas..

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Mebetoys

Série Europa

Referencia nº 8556

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País -  Itália

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 23:19
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021

Ford Escort  - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ford Escort  - Um olhar sobre as minhas miniaturas

288ª – Ford Escort Mebetoys

A primeira apresentação de um modelo automóvel em que estive presente foi a do Ford Escort no novíssimo Stande da Ford de A. Camilo Fernandes na Rua Dr. Roque da Silveira mais conhecida por Rua Direita e onde antes era o Quartel dos Bombeiros Voluntários da Cruz Branca e mais tarde o Café Pic Nic um dos locais de encontro da minha juventude.

Aí foi-me oferecido uma construção em cartão do carro apresentado e que podia ser colorido a nossa escolha.

 Modelo real

O Escort foi apresentado na Irlanda e em Janeiro mostrado no salão de Bruxelas de 1967 a gama Escort destinado a substituir o Anglia que já acusava bem os seus oito anos. O Escort é um modelo inglês estudada em Dagenham e será contruída em Genk na Bélgica onde já foram construídos modelos alemães.

O Escort foi um automóvel criado pela secção da Ford Anglo-Germânica e apresentado na Europa como o primeiro automóvel de passageiros a ser desenvolvido pela fusão Ford of Europe em que a Transit foi o primeiro modelo.

A produção começou na fábrica de Halewood na Inglaterra durante os meses finais de 1967, e para os mercados com volante à esquerda durante setembro de 1968 na fábrica da Ford em Genk e que inicialmente, diferiam ligeiramente das construídas no Reino Unido. A suspensão dianteira e a caixa de direção foram configuradas de forma diferente e os freios foram equipados com circuitos hidráulicos duplos; também as rodas instaladas nas Escorts construídas com Genk tinham aros mais largos.´

No início de 1970, a produção em Glenk foi transferida para uma nova fábrica nos arredores de Saarlouis, na Alemanha Ocidental.

O MK1 foi produzida de 1968 a 1974, na Europa, com carroceria arredondada remetendo ao estilo da época.

Tração traseira e estava equipado com motores 1.100 nas versões normal e super e o mesmo acontecendo para o 1300

Escort GT 1300 e Escort Twin Cam 1556cc

Broadspeed depois de ter melhorado o Anglia volta-se agora para o Broadspeed Escort com a carroçaria alargada na frente, desprovida de para-choques e pintada nas cores Vermelho e branco.

IMG_20210804_180310.jpg

IMG_20210804_180320.jpg

IMG_20210804_180531.jpg

IMG_20210804_180601.jpg

Miniatura

Abre as portas.

Motor e interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plásticos iguais aos modelos desta época no fabricante.

Fabricante Mebetoys

Série Europa

Referencia nº A 55

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Itália

Anos de fabrico  a

 

 

 


publicado por dinis às 22:36
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Agosto de 2021

Autobianch A 112 Abarth - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Autobianch A 112 Abarth - Um olhar sobre as minhas miniaturas

287ª – Autobianchi A 112 Abarth Mebetoys

O primeiro exemplar do Autobianchi A 112 Abatth vi-o nas corridas de Vila Real e ao lado dele fiquei.

Durante o ano de1976 foi a contracapa da Revista Motor, agora mais pequena na sua segunda série que semanalmente me acompanhava.

Era o Max Factor de Armando Santos concorrente no Grupo 1 - Até 1300 cc/ Classe 1 na classe até 1000 cc.

No Estoril utilizou o nº 24 e em Vila do Conde foi o nº 183 quando o vi pela primeira vez e adorei.

A notícia do acidente mortal nos treinos do imigrante Francisco Neto que todos os anos vinha a Vila do Conde, marcou a prova.

Os treinos estavam marcados para as ultimas voltas da tarde de Sábado devido a insegurança da pista invadida por pessoas e outras viaturas acabaram por ser feitos com os faróis ligados sem cronometragem oficial a serem repetidos no Domingo. 

Na corrida o despique entre os Autobianchi Mota Veiga, Armando Santos e Aurélio Santos Almeida onde também participou Vitor Seixas foi oi interessante onde foram respectivamente 8º, 9«,12« e 13º.

 Modelo real

A Fiat apresentou o Autobianchi A112 no Salão Automóvel de Turim de 1969, pela mão de Dante Giacosa, seguindo a nova orientação da Fiat como uma resposta aos novos Mini mas, maior, mais sofisticado e mais luxuoso do que o seu concorrente britânico,

Produzido entre Setembro de 1971 e 1985, o Autobianchi A112 Abarth é um modelo desportivo tinha como principal objetivo fazer frente ao Mini Cooper e à sua versão italiana, o Innocenti Mini Cooper.

O último escorpião de Carlo Abarth distinguia-se do A 112 normal pela sua grelha frontal para-choques e jantes desportivas melhora aa performance do motor de quatro cilindros em posição transversal, aumentando a capacidade de 903 para 982cc e modificando diversos componentes preformantes, um carburador de corpo duplo e nova linha de escape. O motor mostrava agora binários mais elevados a baixas rotações, ao invés de máxima potência, desenvolvendo 58cv de potência às 6600 rotações por minuto. Apesar da limitada potência, um peso de apenas 690 kg representava um potencial considerável, apresentava uma velocidade máxima superior a 150 km/h e 13 segundos para atingir 100 km/h.

Inicialmente equipado em 1971 com um motor de 1.0 l e 58 cv, o A112 Abarth conheceu várias versões, destacando-se as equipadas com caixa manual de cinco velocidades ou com um 1.0 l de 70 cv.

Modificação na miniatura

Uma miniatura pacientemente pintada com a ilusão de os decalques aparecessem no mercado perante agressiva publicidade.

IMG_20210803_193701.jpg

IMG_20210803_181830.jpg

IMG_20210803_182028.jpg

IMG_20210803_182052.jpg

IMG_20210803_182252.jpg

Miniatura

O A112 Abarth foi produzido a partir de 1972, para a "Série Europa", com as típicas caixas blister com base de cartão e cúpula de celuloide. Dois anos depois, em 1974, saiu a versão com rodas rápidas.

O modelo é derivado da versão normal, com aplicação de adesivo preto no capô. O escorpião signo zodiacal de Carlo Abarth e o logótipo da marca e a inscrição "AUTOBIANCHI ABARTH".

Abre as portas.

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

As rodas são de plásticos iguais aos modelos desta época no fabricante.

Fabricante Mebetoys

Pat. App. Nº

Série Europa

Referencia nº A 58

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está segura à carroçaria pelos para choques

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País – Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 22:25
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 4 de Junho de 2021

McLaren M8D Can Am - Um olhar sobre as minhas miniaturas

McLaren M8D Can Am - Um olhar sobre as minhas miniaturas

228ª – Mc Laren M8D Mebetoys

Em a 1970 a Can-Am Challenge Cup foi disputada por Denny Hulme Nº 5 (McLaren M8D-Chevrolet), e Dan Gurney nº 48 (McLaren M8D-Chevrolet) entre outros.

Dan Gurney com o nº 48 vence em Mosport, e St. Jovite,

Modelo real

O Mc Laren M8D foi uma evolução natural da série M8 para 1970, depois da F1A introduzir as regras que proibiam qualquer dispositivo aerodinâmico acima da linha central da roda. Isso significava que spoilers e asas móveis foram proibidos, assim como os coletores de admissão do motor. Com a substituição das asas altas vistas no M8B, o M8D tem aletas de cauda altas com uma asa baixa presa entre elas.

Projetado por Jo Marquart, o Mc Laren M8D era mais largo, mais comprido e maior do que qualquer carro Can-Am anterior e 20 centímetros mais largo do que o M6A, com espaço extra para conter combustível. O chassi monocoque foi feito de folhas de liga de alumínio com piso de magnésio. A transmissão faz parte da estrutura do chassi traseiro.

Apelidado de ‘Batmóvel’ o McLaren utilizou ao blocos Reynolds Silicon-Aluminium Chevrolet, de 8 litros com 700 bhp, mas por razões de confiabilidade o 7,6 litros foi usado em seu lugar.

A 2 de Junho de 1970, o seu criador Bruce McLaren faleceu em Goodwood enquanto testava um M8D, menos de duas semanas antes do início da série Can-Am de 1971. Bruce estava a apenas três meses de seu trigésimo terceiro aniversário e era o campeão do Can-Am pela segunda vez na série, criada há apenas quatro anos.

A equipe McLaren, perderam um de seus heróis e líderes naturais mas a equipe McLaren continuariam correndo na série Can-Am de 1970 e durante muitos mais anos.

O modelo ainda existe e em 2000, o M8D da  The Mathews Collection correu na corrida Can-Am em Elkhart Lake, onde Greg Mathews estabeleceu a volta mais rápida de 2: 09.347. Em 1970, na corrida de Elkhart, Hulme no M8D qualificou-se a 2: 10,6 e teve a volta mais rápida com 2: 12,4. Uma comparação desses resultados mostra o quão bem os carros dos Mathews são mantidos. Eles ainda podem correr tão rápido quanto no seu apogeu

IMG_3780.JPG

IMG_3782.JPG

IMG_3785.JPG

IMG_3787.JPG

IMG_3791.JPG

Miniatura

Levanta o porta-malas com as portas e o capô.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha

As rodas são rápidas mas semelhantes as originais.

Fabricante Mebetoys

Série Grand Toros

Referencia nº 6626

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Italia

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 22:29
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 31 de Maio de 2021

Fiat Nuova 500 que virou a Lombardi 500 Maggiolina - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fiat Nuova 500 que virou a Lombardi 500 Maggiolina - Um olhar sobre as minhas miniaturas

224ª – Fiat Nuova 500 Mebetoys

Um Fiat Nuova 500 que virou a Lombardi 500 Maggiolina

Um dia cortei-lhe o tejadilho e recreei o Lombardi 500 Maggiolina apresentado no Salon Automobile di Torino em 1967 pela Carrozzeria Francis Lombardi

 Modelo real

O Fiat 500 criado por Dante Giacosa, foi apresentada em 1957 com o nome de Nuova 500 com um motos de 479cce as portas ainda são as suicidas. Em 1961 virou a 500D e recebe um motor 499cc. Em 1965 surge a 500F  com as portas abrir no bom sentido.

Muito popular entre os jovens italianos, esteve em produção na Fiat italiana, entre os anos de1957 e 1975. A carrinha é conhecida por Giardiniera.

Versões luxuosas e desportivas foram produzidas pele aAbarth, Giannini, Lombardi, Moretti e Steyr Puch.

O Lombardi 500 Maggiolina apresentado deve ser único porque a fábrica produzia em 1968 cerca de 15 viaturas por dia.

O modelo fechado Lombardi My car custava cerca de 570000liras e o descapotável 640000liras

Modificação na miniatura

Cortado o tejadilho e feita a capota.

IMG_3727.JPG

IMG_3728.JPG

IMG_3733.JPG

Miniatura

Abre as portas.

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais

Fabricante Mebetoys

Série Europa

Referencia nº A 36

Material – zamac

Material da placa de base – metal

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e posteriormente em vitrina e base plástica.

País – Itália

Anos de fabrico 1969 a

 

 


publicado por dinis às 19:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2021

Chaparral aspirador Can Am - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Chaparral aspirador Can Am - Um olhar sobre as minhas miniaturas

128ª – Chaparral 2J Mebetoys

As cores não eram as do Chaparral e a vontade de o ver em condições foram maiores, pintei o carro passados poucos dias de acordo com uma foto da revista L´Automobile.

A parte frontal não ficou bem e coloquei-a enfrente de um aquecedor de barras, para secar mais depressa.

 Pouco depois começou a derreter.

Uma arrelia e mais trabalho, refazer a parte direita… enfim pressas.

Modelo real

A atracção principal da primeira prova americana da Can Am foi o Chaparral 2J e as suas ventoinhas na traseira.

Inspirado no principio do aspirador que ao sugar o ar do carro o colaria ao solo foi construído este protótipo.

Para melhor aderência, uma saia, ladeava o carro e impedia o ar entrar para debaixo do carro, enquanto as duas turbinas sugavam ar existente no carro e as ventoinhas o expeliam com a ajuda de dois motores auxiliares de 1000cc cada um, enquanto o do caro era um Chevy V8 de 7 litros.

A depressão provocada pela aspiração aumentou a aderência aos pneus independentemente do movimento para frente do carro e permitiu que o carro fizesse uma curva mais rápido em curvas lentas e em alta velocidade

A carroçaria também era composta por placas de plástico polido com materiais especiais, o que deixava o veículo mais leve.

Na primeira corrida, o 2J registrou a volta mais rápida em Watkins Glen, em New York, e depois conquistou a pole position em todas as outras corridas. A FIA proibiram o 2J no final da temporada Can-Am de 1970 porque as saias deslizantes de policarbonato violavam a proibição do “dispositivo aerodinâmico móvel”

Jim Hall nunca vendeu nenhum carro e sempre os guardou na sua garagem.

O  Permian Basin Petroleum Museum adoptou a coleção Chaparral, construindo para isso uma ala dedicada aos sete carros restantes. Para uma equipe que surgiu do dinheiro do petróleo, não há casa mais apropriada.

Todos os anos, o Permian Basin Petroleum Museum, em Midland, Texas, proporciona o Live Drive para os membros do Chaparral Fan Club.

IMG_2293.JPG

IMG_2294.JPG

IMG_2296.JPG

IMG_2300.JPG

Miniatura

Abre o motor e levanta o capô dianteiro.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas têm pneus

Fabricante Mebetoys

Série Grand Toros

Referencia nº 6628

Material –

Material da placa de base –

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em expositor transparente com base de plástico.

País – Inglaterra

Anos de fabrico  a

 

 

 


publicado por dinis às 21:50
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2021

Ferrari Can-Am  - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ferrari Can-Am  - Um olhar sobre as minhas miniaturas

90ª – Ferrari 612 Can Am Mebetoys

 

 Modelo real

Ferrari 612 Can-am 1968

Luigi Chinetti convenceu os dirigentes da Ferrari a apoiar a empreitada e a investir num carro para tentar ser competitivo na Can-Am.

No fim de 1968 surgiu o modelo 612 P, com um motor de 6,2 litros. Inicialmente o carro era equipado com um freio aerodinâmico, mas nos testes mostrou-se nada mais do que uma fonte de vibração quando acionado e foi descartado. Era melhor manter a tradição do que a inovação cheia de efeitos colaterais.

Somente em 1969 o 612 P foi competitivo. Chris Amon conseguiu um segundo e dois terceiros lugares, além de algumas poles nas qualificações sinal de que a Ferrari poderia estar surgindo como um carro competidor, o que não aconteceu.

IMG_1918.JPG

IMG_1921.JPG

IMG_1922.JPG

Miniatura

Abre as portas, porta-malas e capô.

Motor e interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus e são do tipo rápido

 

Fabricante Mebetoys

Série Sputafuoco Hot Wheels

Referencia nº 6601

Material –

Material da placa de base –

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão envolto em esponja e posterior em caixa plástica transparente base plástica.

País - Itália

Anos de fabrico  a By Mattel

O da Joal.é idêntico e tem a Ref.116


publicado por dinis às 18:53
link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Janeiro de 2021

Ford MKII - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ford MKII - Um olhar sobre as minhas miniaturas

78ª – Ford MK II Mebetoys

Por vezes surgem problemas inesperados como no ano de 1966, quando na colocação dos carros para a foto de Família altera a classificação e retira a vitória a Ken Miles, piloto que meses depois a 17 de Agosto, no Circuito de Riverside viria a perder a vida.

Modelo real

O Ford Mk.II era muito semelhante ao Mk.I equipado com o 7 litros do Ford Galaxie, usado na NASCAR mas, para albergar o motor 427 algumas partes do carro tiveram que ser redesenhados e modificados por Shelby.

Em 1966, o Mk.II venceu Le Mans com Bruce Mc Laren e Cris Amon seguifos de Denny Hulme e Ken Miles e em 3º Dick Hutcherson e Ronnie Bucknum

Dan Gurney e Jerry Grant abandonaram a 18

Mário Andreti e Luicien Bianchi  abandonaram á 8 volta

John Whitmore e Frank Gardner abandoram à 6º volta

Paul Hawkins Mark Donohue abandonaram à 5º

Os Ford GT 40 abandonaram todos.

Para 1967, os Mk.IIs foram atualizados e designados por  "B"; e equipados por dois carburadores Holley.

Quem vence é o MK IV e em 4º os MKIIB e os Gt 40 e MKB abandoman.

IMG_1567.JPG

IMG_1573.JPG

IMG_1575.JPG

IMG_1576.JPG

IMG_1577.JPG

IMG_1578.JPG

Miniatura

Abre as portas, levanta a frente e o capô traseiro.

Motor e interior detalhado

Com suspensão em lamina.

As rodas têm pneus

A base está aparafusada à carroçaria

Fabricante Mebetoys

Série A

Referencia nº 24

Material – Zamac

Material da placa de base – Zamac

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela envolvido por esponja e posteriormente e 6007 Matel Spultafuogo Gran Toros em expositor transparente com base de plástico.

E replicado pela Auto Pilen M 311 em expositor transparente com base de plástico, que mereceu um artigo na sua revista de miniaturas Four Small Wheels, da Grand Prix Models

País – Itália

Anos de fabrico 1969 a


publicado por dinis às 17:36
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Dezembro de 2020

Porsche Carrera 10 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Porsche Carrera 10 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

26ª – Porsche Carrera 10 Mebetoys

O Porsche 910 ou Carrera 10 era um carro de corrida baseado no Porsche 906. 29 foram produzidos e correram em 1966 e 1967. O nome de fábrica do 910 era 906/10. O 910 era mais leve e mais curto do que o 906.

A Mebetoys fundada pelos irmãos Besana deve o seu nome às iniciais de MEccanica BEsana, com a adição da palavra inglesa TOYS, toys.

Os primeiros modelos foram apresentados oficialmente na Feira de Brinquedos de Milão em 1966.

Em 1970, o Mebetoys foi vendido para a Mattel.

Quando a Mattel comprou a Mebetoys, alterou a linha para Hot Wheels / Gran Toros, uma linha de carros na escala 1/43 vendidos na Itália pela Mebetoys sob a marca Sputofuoco (“Spitfire”).

Os primeiros modelos da série Mebetoys apareceu em 1967 no seu catálogo. O modelo número A-25, foi convertido para fazer o Gran Toros Porsche Carrera 10 modelo # 6613. Ambos os modelos foram feitos simultaneamente até a série Hot Wheels Gran Toros (Série Sputafuoco) ser descontinuada.

Depois de 1972, algumas das versões Mebetoys deste modelo (# A-25) foram embaladas na embalagem europeia de terceira geração que tinha o nome Gran Toros. Fora da caixa, este modelo é indistinguível do modelo da Série Mebetoys e tem uma base e rodas diferentes da versão Hot Wheels Gran Toros / Sputafuoco 6613.

Este é um Porsche Carrera 10 é um modelo pré-Mattel ao apresentar o nome e o logótipo Mebetoys na base.

A miniatura em verde, era horrível, e a solução foi pintá-la com as cores da equipe Hollyood, influências da revista brasileira Auto Esporte no Autódromo de Curitiba com o Porsche 910 vitorioso de Mario Olivetti nas 3 Horas que só foram duas em 1970,

A qualquer momento poderia ser revertido para os 910 de Vila Real 1969 de Bill Bradley-Tony Dean (Porsche 910)  3º geral, Nomex Giampero Moretti 11 ou Porsche 910 - Nicha Cabral  no Porsche 910 de André Wicky em1969

Na apresentação de Christian MoitY na sua rubrica no L´Automobile de 1968 ia lembrando “(…)Mebetoys refletiu e por agora pensou no 910 e ser-lhe-á perdoado alguns erros no modelo, a começar pelo que consiste  em confundir uma frente de Carrera 6 ( mais angulosa) com a de um 910 ( mais arredondada e cheia )   as linhas de fluidez do tejadilho junto das portas(…)”.

IMG_0545.JPG

IMG_0531.JPG

IMG_0534.JPG

IMG_0541.JPG

IMG_0550.JPG

IMG_0556.JPG

Miniatura Mebetoys

Série Hot Wheeles Gran Toros

Referencia nº 6613

Material – Zamac  

Material da placa de base - Zamac

País - Itália Mattel S.P.A.

Ano de fabrico 1967 - 1972

 


publicado por dinis às 20:08
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Iso Rivolta S 4 300 - Um ...

. Fiat 126 - Um olhar sobre...

. Ford Escort  - Um olhar s...

. Autobianch A 112 Abarth -...

. McLaren M8D Can Am - Um o...

. Fiat Nuova 500 que virou ...

. Chaparral aspirador Can A...

. Ferrari Can-Am  - Um olha...

. Ford MKII - Um olhar sobr...

. Porsche Carrera 10 - Um o...

.arquivos

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub