Sexta-feira, 5 de Agosto de 2022

Renault R5 Pick-up - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault R5 Pick-up - Um olhar sobre as minhas miniaturas

620 ª – JB Tenere Renault 5 Solido transformado

Renault 5 Tenere

Uma Pick up descapotável, em versão top, baseado no Renault R5, Smoking e Bermuda para o Renault 5 com o qual brincávamos quando o António Varejão enquanto trocávamos o  L´Automobile.

 Modelo real

O estilista Joël Brétécher depois de ter trabalhado na  Pinifarina e Osi abriu um estúdio de design. Stirling Desing, perto de Nantes que pouco depois mudou para Euro Design Center, para comercializar kits para a Renault e apresentar este Pick-up feita a partir do Renault 5 e apresentada em Junho de 1983 e divulgada na revista L`Automobile.de Agosto de 1983 onde o Renault 5 continuava a suscitar novas interpretações para a popular berlina francesa nos seus 12 anos de idade

Pick-up feita a partir do Renault 5.tinha as portas entalhadas, roll bar.e barras de protecção à frente e nas traseiras e a roda suplente ficou visivel.

Modificação na miniatura

Modelo foi cortado, feito o arco de segurança, assim como as barras da frente e traseiras. As portas foram re-estilizadas

IMG_20220805_235710.jpg

IMG_20220805_235830.jpg

IMG_20220806_000038.jpg

IMG_20220806_000046.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série

Referencia nº 10 para 5TL ou nº 58 para Alpine

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 23:50
link do post | comentar | favorito
Domingo, 15 de Maio de 2022

 Renault 18 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

 Renault 18 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

570ª – Renault 18 Solido

A chegada a Via Real da Revista Le Fanatique de L´Automobile em Janeiro de 1983, que todos os meses nos dava conta de algumas novidades principalmente francesas. E que eu passei a comprar por causa dos carros antigos, Quando chegava, levava-a para a Rosas para ali nos deliciarmos com um pouco as novidades que com a partilha com o Machado e o Varejão e que por vezes lá fotocopiávamos uma pagina pois eram 5$00. E só quando a fotocopiadora estava quente e a funcionar. Porque por uma cópia ninguém fazia.

 Modelo real

O Renault 18 estava destinado a substituir o Renault 12, em produção desde 1969, e a mostrar sua idade no final da década de 1970, o Renault 12 esteve em produção ao lado do 18 até 1980.

Projetado rapidamente necessitou de apenas dezoito meses, foi baseado na arquitetura do 12. O Renault 18 entrou em produção em Flins, na França, em Dezembro de 1977. Apresentado no Salão de Genebra em Março de 1978 e vendas no mês seguinte.

Disponível em berlina de 4 portas, e 18 TL e um motor de 1397cc.

Com um motor 1647cc nas versões TS e GTS uma versão diesel também estava disponível.

A produção atingiu o pico cedo em 1979 , o maior ano do R18, após o qual as vendas começaram um declínio gradual. Seria posteriormente produzido em dez outros países e quatro continentes ao redor do mundo.

A American Motors Corporation (AMC) em  acordos de montagem e marketing com a Renault desde a década de 1960 atá á parceria financeira em 1979 que evoluiu para a empresa francesa deter uma participação de controle (46%). Um aspecto da estratégia da AMC incluía a comercialização de um automóvel de tração dianteira de tamanho maior.

O Renault 18 foi adaptado para os mercados americano e canadense e nas s modificações incluíram controles de emissões mais rigorosos, pára-choques maiores projetados para suportar impactos de 8 km/h (5 milhas por hora), pintura em dois tons, faróis selados descobertos.

IMG_20220515_165930.jpg

IMG_20220515_170931.jpg

IMG_20220515_171018.jpg

IMG_20220515_171040.jpg

Miniatura

Abre as portas da frente.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série

Referencia nº13018 - 1/82 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está encaixada na carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e vitrine plástica.

País - França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 17:46
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Abril de 2022

Renault 40CV 1926 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault 40CV 1926 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

531ª– Renault 40CV 1926 Solido

1927 Renault 40cv Type MM Tourer Limousine decouvrable

Enorme e presidencial ganhou o Raly de Monte Carlo em 1925

 Modelo real

1926 Renault Tipo NM 40CV

As evoluções continuam na década de 1920, o Tipo JP, JD, JV, KO. Em 1922, o Renault 40CV foi equipado com freios nas quatro rodas, bem como um servo-freio, um dispositivo desenvolvido pela Dewandre-Repusseau. Em 1923, o Renault 40CV Type MC apareceu e permaneceu no catálogo da Renault por três anos. Em 1925, o Renault 40CV Type NM foi adicionado a ele, que foi o último de uma longa linha. O Tipo MN é equipado com uma embraiagem seca monodisco substituindo a técnica de cone reverso, o carro possui uma nova caixa de três marchas.

O Renault 40CV Type NM é sem dúvida uma das versões mais conhecidas do 40CV, o modelo é o mais bem-sucedido e facilmente se compara com Rolls-Royce, Hispano-Suiza e outras marcas de luxo da epoca. Entre 1920 e 1928 o Renault 40CV serviu de transporte oficial para os presidentes franceses Alexandre Millerand e Gaston Doumergue, substituindo a função anteriormente ocupada pelo Panhard 20CV.

Em 1925, o Renault 40CV se destacou ao vencer o rali de Monte-Carlo. François Repusseau e a esposa e mais quatro elementos da família do fabricante dos carburadores Repusseau.

Naquela época os fabricantes estavam empenhados em estabelecer novos recordes, uma moda incentivada pela construção de anéis de velocidade. Na França, em Autódromo de Linas-Montlhéry construído em 1924 era o palco para muitos confrontos, com a última palavra para o cronômetro.

Em 1926, o NM forneceu a base para um novo carro recorde de velocidade, destinado a recuperar o recorde de 24 horas da Renault, quebrado em setembro de 1925 pela Bentley.

O programa desportivo da Renault para este modelo com um enorme motor de 9.121 cm3 e cilindros a partir de 1925 com recordes de velocidade no ringue de Montlhéry, feito repetido em 1926.

Em 1928, termina a série do Renault 40CV nascida em 1908 com o Type AR e termina com o Reinastella. Quanto ao número de Renault 40CV produzidos, isso permanecerá desconhecido, pois houve tantas versões diferentes...

IMG_20220404_184416.jpg

IMG_20220404_184600.jpg

IMG_20220404_184652.jpg

IMG_20220404_185117.jpg

Miniatura

Levanta o capô para ver o motor.

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante  Solido

Série Age d´or

Referencia nº 149 2/67

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 20:11
link do post | comentar | favorito (1)
Domingo, 3 de Abril de 2022

Renault Reinastella 1934 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault Reinastella 1934 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

528ª – Renault Reinastella Tipe RM2 1934 Solido

Renault Reinastella Tipe RM2 1934

Um Renault de luxo

 Modelo real

O Renault Reinastella é um automóvel de luxo fabricado entre 1929 e 1933.

A Renault, ansiosa por desenvolver um digno sucessor do seu 40 CV, decidiu equipar o novo modelo topo de gama com um motor de 8 cilindros

O Renault Renahuit ou Reinastella foi o primeiro da série Stella da Renault, destinados a competir com a Hispano-Suiza, Rolls-Royce, Daimler, Lincoln, Packard e Cadillac. Os Stellas, ou Grand Renaults, eram marcados com uma estrela (Stella) rebitada na grade do radiador acima do famoso losango Renault,

Com 5,3 metros de comprimento e 2 metros de largura, pesava cerca de 2,5 toneladas e foi o primeiro Renault a ser equipado com um motor de 7,1 litros e 8 cilindros, atingindo uma velocidade máxima de 140 km/h.

Com um longo capot o Reinastella estava disponível em diferentes acabamentos tais como sedan fechado, berline e carro de cidade. A construção de carrocerias foi feita pelos principais carroceiros franceses.

A alta proporção de alumínio usado na construção tornou todas as Stellas desejáveis ​​para reciclagem durante a Segunda Guerra Mundial. Apenas algumas centenas de exemplares do veículo foram produzidos.

 

IMG_20220403_145225.jpg

IMG_20220403_145341.jpg

IMG_20220403_145418.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante  Solido

Série Age D´or

Referencia nº 97 – 11/79

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 23:30
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 30 de Março de 2022

Renault 17 TS protótipo - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault 17 TS protótipo - Um olhar sobre as minhas miniaturas

524ª – Renault 17 TS Solido 

Renault 17 prototipo no Rallye : Bandama Cote d´Ivory Coast de 1973 com Jean-François Piot - Jacques Jaubert

 Modelo real

La Renault 17 TS protótipo

A estreia do Renault 17 TS, em provas internacionais deve-se a Jean-François Piot e Jacques Jaubert no Rali de Bandama, prova que no ano anterior nenhum participante, se classificou.

O 4º Rallye Bandama disputou-se co duras condições atmosféricas onde as tempestades se sucederam, levaram os organizadores a decidiram cancelar o evento por completo. O possível primeiro classificado já tinha excedido o tempo limite da prova e os controladores já não se encontravam no controle

A prova na Costa do Marfim em 1973, ainda não contava para o Campeonato do Mundo, mas a sua reputação já era de destruidora de carros.

A concorrência era forte, entre os Datsun eram os favoritos com 4 viaturas, dois 180B com 175 cv preparados directamente no Japão., Citroën também com 4 viaturas com dois protótipos SM e a Peugeot com 3 504 do Grupo 2 O importador local com 2 504, um de grupo1e outro do grupo 2. Alem e as três equipas femininas do Team Aseptogyil em 504 do gr1.  

A Alpine Renault com um 1 11 1800 e a Renault com o 17 Ts  protótipo com um motor preparado por Soubran com cerca de 155cv antecipando o Safari com duas viaturas.

O Renault 17 com Piot a procurar um bom lugar, na subida de Djibi, para determinar a ordem de partida, um acidente, provocou um deslocamento das vértebras lombares a Jean-François mas, que não o impediu de ocupar o seu lugar na partida na manhã seguinte.

A cerca de cinquenta quilómetros do primeiro controle, o Renault 17TS para, longe de qualquer assistência e abre a lista dos abandonos.

O Alpine-Renault A110 1800A da equipa Jabouille Jean-Pierre Jaboiille – John Rives Johnny mão tem melhor sorte também abandona, mas por acidente.

Modificação na miniatura

Colocadas as entradas de ar no tejadilho foi decorado com a folha de decalques da Solido.

IMG_20220330_122049.jpg

IMG_20220330_122239.jpg

IMG_20220330_122554.jpg

IMG_20220330_123640.jpg

 

Miniatura

Abres as portas.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série

Referencia nº 196 – 4/72

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País – França

 

 

 


publicado por dinis às 23:13
link do post | comentar | favorito (1)
Quinta-feira, 17 de Março de 2022

Alpine Renault Le Mans 1977 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Alpine Renault Le Mans 1977 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

511ª – Alpine Renault A 442B Solido transformada

 Alpine Renault A442 de J.P. Jabouille / D. Bell da Equipe Renault Elf em Le Mans 1977, abandonou

O último a abandonar

Como a miniatura do Alpine Renault A 442B de 1978 da Solido era muito parecida com o de 1978 pensei que poderia facilmente fazer o de 1977 e para isso escolhi o A442 de J.P. Jabouille / D. Bell da Equipe Renault Elf que abandonou como todos os outros.

 Modelo real

Em Le Mans em 1976 e 1977 a disputa era entre a Renault e a Porsche, em 1977 e a vitória para a Renault esteve perto mas, os quatro Alpine A442 não terminaram devido a problemas com os motores.

A Renault alinhou em Le Mans em 1977 com três AlpineA442 pilotos, o Nº9 para Jeam Pierre Jabouille/ Derek Bell, o Nº 8 Jacques Laffite/Patrick Depailler e Nº7 Patrick Tambay/Jean Pierre Jaussaud, reforçado por um quarto carro apresentado por Jacky Haran e Hughes de Chaunac, também um A 442 com o Nº16 para René Arnoux/Didior Pironi/ Gui Frequelin.

Nos treinos, os quatro protótipos franceses ocuparam as cinco primeiras posições na grelha de partida, ladeados pelo Porsche 936 nº 3.

Na corrida e logo na primeira volta Didier Pironi parou entre Mulsanne e Indianápolis, quando o motor se incendiou repentinamente por um vazamento de óleo.

Na noite fria e chuvosa os pilotos nº 9 e nº 8 do A442 lideram a corrida contra um Porsche com problemas mecânicos.

Às quatro da manhã, o nº 8 da Laffite/Depailler parou para reparar as engrenagens da caixa de velocidades enquanto Patrick Tambay tem uma saída na curva Indianápolis, com o V6 Turbo quebrado.

Para a Renault, as últimas esperanças terminaram quando Jean-Pierre Jabouille leva o Alpine Renault nº 9 com uma nuvem de fumaça preocupante e assim o último Alpine Renault abandona Le Mans, enquanto Jürgen Barth, Hurley Haywood e Jacky Ickx assumiram a liderança da corrida.

Modificação na miniatura

Retirei a bolha de plástico e aproveitei os decalques uma vez que os da BAM eram muito caros e era preciso importá-los.  

IMG_20220317_165633.jpg

IMG_20220317_165735.jpg

IMG_20220317_165812 (2).jpg

Miniatura .

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série

Referencia nº 87

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 19:35
link do post | comentar | favorito (2)
Domingo, 13 de Fevereiro de 2022

Fiat 131 Abarth que ganhou em Vila Real - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fiat 131 Abarth que ganhou em Vila Real - Um olhar sobre as minhas miniaturas

482ª – Fiat 131 Abarth Solido

A miniatura de um modelo que vi há uns meses em Vila Real quando efetuou o troço cronometrado no Circuito Internacional de Vila Real numa edição especial da Solido com uma inédita folha de instruções om pedaço de papel com ma foto da frente late lateral direita de um lado e do outro lado uma outra foto agora da esquerda

 Modelo real

Em 1971, a Fiat assumiu a Abarth e a transformou-a no departamento oficial de corridas da empresa e preparar o lançamento da Fiat Racing Team, que se estreou na temporada de corridas de 1972 com o 124 Abarth Rally Group 4.

No Salão Automóvel de Genebra de 1976 foi revelado o Fiat 131 Abarth derivado da berlina estreada em 1974, como sucessora do Fiat 124 desde Outubro de 1974.

A concepção e construção da carroçaria do 131 Abarth Rally é do Bertone Style Centre que utilizou a fibra de vidro e alumínio foi equipado com capots e guarda-lamas em resina e portas em alumínio. Arcos de roda maiores, spoilers foram então adicionados e entradas de ar dinâmicas extra grandes no lado esquerdo do capot.

Em 1976 foram construídas as 400 unidades necessárias para a homologação e inscrição no Grupo 4 o nível mais elaborado de preparação que uma viatura podia obter.

A estreia foi no Rallye do Marrocos, com o patrocino do Olio Fiat, estão os pilotos Markku Alen, Maurizio Verini e Fulvio Bacchelli

A primeira vitória num rali internacional acontece no Rallye de Portugal em 1977 por intermedio de Markku Alén/Kivimäki

No ano seguinte Markku Alén/Kivimäki voltam a Portugal com novas cores a decorarem o 131 Abarth da Alitália onde volta a vencer.

Em 1980 a pista do Circuito Internacional de Vila Real serve de palco para a 29º prova de classificação denominada Vinho do Porto com 7 quilómetros de extensão antes de seguirem para Cheires.

A Fiat, agora com as cores da Fiat Itália e com Walter Röhrl/Christan Geistdörfer vencem a prova de Vila Real e também o rali.

No final do ano o Fiat 131 Abarth ganhou três títulos mundiais de construtores em 1977, quando Sandro Munari alcançou o título de campeão mundial de construtores do Grupo 4.

Em 1978 a Fiat com Markku Allen ganha o Mundial de Pilotos e a ganhar ambos os títulos em 1980, mas agora com Walter Rörhl a ser coroado campeão mundial de ralis quando o grupo Fiat já estava a trabalhar no sucessor do 131 Abarth Rally, o Lancia 037 Rally.

Curiosamente e com a mesma decoração há um Portugal que participa nos ralis históricos e que se encontra em exposição Clube Aveirense Automóveis Antigos.

IMG_20220213_142929.jpg

IMG_20220213_142943.jpg

IMG_20220213_142957.jpg

IMG_20220213_143026.jpg

IMG_20220213_143205.jpg

Miniatura

É uma edição especial da Solido. Baseada na edição 1701 que por sua vez deriva do nº 54

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante  Solido

Série Edição limitada

Referencia nº 54 – 11-77 Edição Limitada 1704

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Itália

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 17:43
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Fevereiro de 2022

Renault 12/16 BZ 1910 Doctor's coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault 12/16 BZ 1910 Doctor's coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

481ª – Renault 12/16 1910 Corgi Toys

Uma relíquia encontrada no Bazar dos Três Vinténs na Rua de Cedofeita perto da Praça Carlos Alberto, no Porto

 Modelo real

Renault 12/16 BZ com carroceria Doctor’s Coupé executado pela Cann Limited de Londres.

A Renault foi fundada em 1899 pelos irmãos Louis, Marcel e Fernand Renault.

Quando em 1906 Ferenc Szisz venceu o Grande Prêmio da França a bordo de seu temível AK 90CV de 13 litros, permitiu à Renault continuou a prosperar e quando Fernand morreu em 1909 e Louis tornou-se o único proprietário, alterando o nome da empresa Société des Automobiles Renault para Renault Automobile Company.

A Renault apresentou no Salão Automóvel de Paris em Novembro de 1908 e a autoridade nacional de registro e aprovou-o em 22 de janeiro de 1909.

O 12CV estava dotado de um chassi robusto tipo escada equipado com suspensão de molas (frente semi-elíptica / traseira elíptica de três quartos), acionado por eixo com travões nas rodas traseiras operados por alavanca manual. Equipado com um motor de cabeçote em L de quatro cilindros e 2,413 litros de 80 mm x curso 120 mm e uma transmissão manual de três velocidades, o 12CV apresentava ignição por magneto e a potência do motor era transmitida ao eixo traseiro através de um cardan. A velocidade máxima variava entre  38 km/h a 56 km/h.

Disponível em chassi normal e o especial para carrocerias leves e mais longo e carroçado como carro de turismo , sedan , landaulet e coupé doctor.

Os fabricantes de automóveis utilizavam o radiador de refrigeração na frente e o motor atras, mas a Renault inovou e persistiu com o radiador atrás do motor até os anos vinte e que acabou por ser conhecido como balde de carvão. Na realidade a enorme peça que fica na frente da cabine de passageiros, na parte de trás do capot, é na verdade, o radiador. Parte dele é exposto e parte é fechado, há uma enorme ventoinha de ferro fundido que arrasta o ar sobre o motor, através do radiador. Essa protuberância prateada sob o motor é na verdade um compartimento sob o motor, o compartimento do motor é selado para controlar o fluxo de ar sobre o motor e para o radiador. Na borda inferior frontal do capô, poderá ver uma alça de latão para o levantar, na vida real.

O preço situava-se entre 9.600 e 10.000 francos.

O modelo ajudou a aumentar as vendas da Renault de 1.615 em 1906 para 5.100 em 1910.

Desenvolvido progressivamente o 12CV evoluiu através do AZ em 1909, BZ 1910, CB 1911 e 1912 e DG 19131914.

IMG_20220212_145458.jpg

IMG_20220212_145717.jpg

IMG_20220212_145737.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de metal de acordo com as originais.

Fabricante Corgi Toys

Série Corgi Classic

Referencia nº 9032

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão fechada.

País – Gt Britain

Anos de fabrico  1965 a


publicado por dinis às 17:59
link do post | comentar | favorito
Domingo, 30 de Janeiro de 2022

Sovra LM4 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Sovra LM4 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

468ª – Sovra LM4 Solido transformado

Uma ideia interessante proposta pela revista "LUI" e o costureiro Jean Cacharel já tinham em 1976 apresentado o Renault 5 Cabriolet

Modelo real

A versão LM

A Sovra (SOciété de Vente et de Repair Automobile realizou inúmeras transformações, mas a partir de 1980 apresentou o Sovra LM4, um modelo baseado no Renault 5 de três portas.

O cliente deixava seu carro por 4 dias, novo ou usado, para ser transformado numa versão aberta.

O R5 Sovra é mais uma mistura entre uma targa e o habitáculo da frente do Renault 5, onde as portas mantêm os seus montantes mas ficava sem tejadilho na frente para enxertar uma estrutura rígida em poliéster removível, enquanto um grande arco confere rigidez, com um tejadilho de lona retráctil à frente e uma lona dobrável atrás

Na traseira, o teto é substituído por uma capota que se abre como um descapotável, entre os dois um arco serve como reforço da carroceria. O porta-malas mantém o volume inicial e o banco traseiro rebatível.

O novo modelo é aprovada pelo departamento de mineração com o apoio de uma nova ficha de registro e um número de série rebitado no compartimento do motor.

.Modificação na miniatura

Cortado o tejadilho com muito cuidado para que os aros da porta não se partissem e o mesmo para o tejadilho traseiro.

Feita a capota  e o targa e pintado a meu gosto.

IMG_20220130_144429.jpg

IMG_20220130_144522.jpg

IMG_20220130_144822.jpg

Miniatura

Abres as portas.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante  Solido

Série

Referencia nº 1317

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França

Anos de fabrico  a

 

 


publicado por dinis às 22:41
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022

Renault 5 Le Car Van - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault 5 Le Car Van - Um olhar sobre as minhas miniaturas

458ª – Renault 5 Le Car Van Auto Pilen transformada

Modelo real

A Heuliez criada em 1920 por Adolphe Heuliez, que começou fazendo carroças puxadas por cavalos, apresentou em 1979 uma das carrinhas mais pequenas do mundo, como um exercício estilo, o Renault 5 Le Car Van, aproveitada pela Renault numa tentativa de conquistar o mercado nos Estados Unidos, quando em 1976 em cooperação da AMC (American Motors Corporation) lançou a comercialização de seu Renault 5 nos Estados Unidos sob o nome AMC "Le Car"

A Renault tornar-se-ia na maior acionista da AMC em 1980 e aumentaria a sua participação até aos 49%.

A principal alteração e a mais visível foi na traseira do Renault 5, quando retirou os vidros laterais traseiros e os substituiu por um painel de poliéster injetado com vigia escurecida com moldura em alumínio, e a porta traseira envidraçada por uma porta inteiriça em poliéster, com vigia rectangular do mesmo tipo como nos dos painéis laterais.

A roda sobressalente foi colocada na tampa traseira e coberta com uma tampa com a inscrição “Car Van” inspirado nas vans americanas que estavam na moda. Disponível nas versões TS, automáticas, mas também para empresas. Isso ofereceu uma ampla escolha de 2 a 4 lugares.

A carroceria principal é preta mas também foi disponibilizada em branco ou nas cores padrão da Renault onde se destaca uma faixa de arco-íris nas laterais e na traseira. A parte inferior do corpo e o capô também trazem a inscrição identificando o modelo. O compartimento traseiro, é um verdadeiro pequeno salão acolchoado totalmente coberto com carpete ocre de alta qualidade, sem o banco traseiro.

O interior também foi modificado embora idêntico ao do R 5 de série, pode beneficiar, como opção, de bancos reestofados em vermelho persa, tapete vermelho no chão e nos painéis das portas.

A modificação inicialmente baseada no modelo "R5 TS" e, a partir de 1980, nos modelos "R5 Automatic" e "R5 Alpine".e rodas de alumínio Amyl.

A Heuliez podia levar muito mais longe o luxo dos acessórios para encomendar.

A Heuliez também produziu uma versão para empresas " do Car Van, chamada Van Cargo sem a roda sobressalente externa, rodas comuns e um compartimento traseiro sem a carpete.

O cliente deveria fornecer um Renault 5 e pagar o custo de conversão de 12.500 francos, ou 40% do preço do carro.

O Car Van TS custava 47500F.

O modelo foi produzido entre 1979 e 1983 com cerca de 450 unidades construídas.

Modificação na miniatura

Retirados os vidros traseiros foram tapados com um bocado de lata e cobertos com barro plastídio.

O modelo foi pintado e acrescentado com um cano de escape duplo.

IMG_20220120_142021.jpg

IMG_20220120_142109.jpg

IMG_20220120_142125.jpg

IMG_20220120_142201.jpg

Miniatura

Abres as portas, levanta a mala .

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

As rodas são de plástico Whizzwheels.

Fabricante  Auto Pilen

Série

Referencia nº 349

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Espanha

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 20:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Renault R5 Pick-up - Um o...

.  Renault 18 - Um olhar so...

. Renault 40CV 1926 - Um ol...

. Renault Reinastella 1934 ...

. Renault 17 TS protótipo -...

. Alpine Renault Le Mans 19...

. Fiat 131 Abarth que ganho...

. Renault 12/16 BZ 1910 Doc...

. Sovra LM4 - Um olhar sobr...

. Renault 5 Le Car Van - Um...

. Renault 4L - Um olhar sob...

. Renault 14 - Um olhar sob...

. Renault 12 - Um olhar sob...

. Renault 12 Breack- Um olh...

. Renault R17 Rali de Marro...

. Renault 16 Táxi radio - U...

. Renault 15- Um olhar sobr...

. Renault 17 TS - Um olhar ...

. Renault AG Town Car 1910 ...

. Renault Paris Madrid 1903...

.arquivos

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub