Quarta-feira, 6 de Março de 2024

Opel Omega 3000 24v Evo 500 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Omega 3000 24v Evo 500 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1134ª – Opel Omega 3000 Evo Team Eggenberger Ferté Minichamps

Opel Omega 3000 24v Evo 500 Alain Ferte Team Eggenberger 1991 "Commodore"

O Opel Omega é um carro executivo projetado e fabricado pela Opel A primeira geração, o Omega A substituiu o Opel Rekord.

Modelo real

O Opel Ômega 3000 24V 1990 apareceu pela primeira vez no DTM em 1990 através da a Irmscher, usavam o 24 V aspirados com uma cilindrada de 2.994 cc (em vez dos carros de estrada de 2.969 cc).

Para o ano seguinte. alguns dos carros de 1990 foram atualizados, os Evo tinham cavas das rodas mais largas para acomodar aros maiores, o spoiler dianteiro agora tinha um divisor extensível com um grande aileron traseiro, ajustável na parte traseira. O novo Opel Omega Evolution 500 de carroçaria larga, melhorou o desempenho dos carros de carroçaria estreita anteriores. A cilindrada de 2.994 cc, agora com uma nova taxa de compressão de 12:1 e, combinando isso com outras modificações, esses motores produziam 410 CV a 9.300 rpm e o torque máximo era novamente de 250 lb/ft, mas a 7.500 rpm. A injeção de combustível com corpo de aceleração Bosch Motronic 1.8 foi mantida. Essas melhorias fizeram com que o carro acelerasse até 62 mph em apenas 4,7 segundos, mas a velocidade máxima foi limitada à mesma de antes, a 186 mph.

Alain Ferté também participou no DTM com uo Opel Omega 3000 Evo 500 da equipa Eggenberger Motorsport.

Na primeira prova do campeonato em Zolder na Bélgica de 30/3/1991 e 31/3/1991 perante uma grelha bastante diversificada, os dois Opel do Team Eggenberger, nos treinos ocuparam o 13º lugar, com o nº36 do Opel Team Irmscher no Opel Omega 3000 24v Evolution 500 Franz Engstler com um tempo de 1.45,81 e em 14º lugar no nº 26 o Opel do Team Eggenberger, Opel Omega 3000 24v Evolution 500 Alain Ferté, fez 1.46,12 

Na primeira corrida, classificou-se em 25º Alain Ferté, ao fim de 24 voltas, em 27º, foi o Opel do Team Schübel Opel Omega 3000 24v Evolution 500 Peter Oberndorfer,

Na segunda corrida, o 16º foi Franz Engstler, seguido no 17º  no nº26 de Alain Ferté, e em 20º Peter Oberndorfer, Opel Omega 3000 24v Evolution 500.

A época não correu bem para o Evo 500 no DTM, substituto, o pelo Opel V6 Calibra 4x4.

A equipe Eggenberger Motorsport já vinha a participar no DTM desde 1989 a 1991 onde conquistou 4 vitórias e 3 pole positions. 4 pilotos competiram em 46 corridas em 2 carros diferentes.

Em 1991, Alain Ferté quase venceu as 24 Horas de Le Mans com a Sauber-Mercedes, depois passou 21 horas na liderança com os seus companheiros de equipa antes de abandonar a três horas da linha de chegada devido a uma falha no motor.

IMG_20240306_140931.jpg

IMG_20240306_141001.jpg

IMG_20240306_141030.jpg

IMG_20240306_141039.jpg

IMG_20240306_141107.jpg

IMG_20240306_141341.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Miniacahamps

Série Paul´s Model Art

Referencia nº14002 preço 4665$00

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Alemanha, made in China

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 18:11
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024

Last Race of Keke Rosberg - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Last Race of Keke Rosberg - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1125ª – Opel Calibra V6 DTM 1995 K. Rosberg Minichamps

Last Race of Keke Rosberg

Hockenheim 15 de Outubro de 1995

Modelo real

Opel Calibra V6 4x4

O Opel Calibra marcou o DTM Classe 1, de 1993 a 1996. com o apoio das empresas experientes da Fórmula 1 Williams (hidráulica) e Cosworth (motor), o Calibra tornou-se um carro vencedor de corridas. No processo, o carro de corrida de Rüsselsheim não se destacou apenas pelo visual característico, mas também pelo motor V6 de 2,5 litros, que entrega mais de 500 cv e acelera até 12.000 rpm, desenvolvendo um som brutal.

Keke Rosberg, campeão mundial de Fórmula 1 em 1982 com a Williams, já estava ao volante durante a estreia do Calibra na competição, inicialmente com a Opel Team Joest e a partir de 1995 na sua recém-fundada Team Rosberg. O seu companheiro de equipa, Klaus Ludwig, deu aos adeptos da Opel motivos para comemorar com duas vitórias durante o final da temporada em Hockenheim, a 16 de Outubro de 1995, e ainda mais quando Manuel Reuter e Uwe Alzen fizeram o 1 e 2 em ambas as corridas. Com suas bandeiras brancas e amarelas, os torcedores criaram um clima muito especial no Motodrom. As comemorações também incluíram Keijo Erik “Keke” Rosberg, que recebeu uma despedida apaixonada em sua despedida.

O Opel Calibra V6 4x4, no qual o ex-campeão mundial de Fórmula 1 Keke Rosberg fez a sua última corrida no DTM em 1995,

O piloto finlandês Keke Rosberg estreou no Campeonato Alemão de Carros de Turismo de 1995 com o Opel Calibra V6 da Opel Team Rosberg. No final da temporada ele conseguiu terminar em 18º na geral.e 6º no Campeonato por Equipas DTM com Opel Calibra V6

O piloto português Ni Amorim #21 também participou no Opel Calibra V6 4x4 Team Joest DTM / ITC 1995

O Opel Calibra V6 4x4, no qual o ex-campeão mundial de Fórmula 1 Keke Rosberg fez a sua última corrida no DTM em 1995, regressa à pista com a Mücke Motorsport Classic durante a abertura da temporada da DTM Classic Cup em Lausitzring Turn 1, fim de semana  de 20 a 22 de maio de 2022. Nas duas corridas de sábado e domingo, o ex-piloto do DTM Stefan Mücke de Berlim e Ronny Scheer de Dresden correrão com o ex-Rosberg Calibra..

IMG_20240227_144108.jpg

IMG_20240227_144128.jpg

IMG_20240227_144134.jpg

IMG_20240227_144138.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Minichamps

Série Team Rosberg Colection

Referencia nº preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - Alemanha

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 18:19
link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Fevereiro de 2024

Opel Kapitan - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Kapitan - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1102ª –   Opel Kapitan 1951 Minichamps 

Muitas brincadeiras foram feitas no Opel Kapitan desta cor com a minha irmã em Vila Nova e Campo de Jales enquanto dizíamos, Opel - Olhai para estas latas

Modelo real

Opel Kapitan 1951–1953

Em 1931, a General Motors assumiu o controlo total da empresa Opel e a partir de então, muitos modelos da Opel tenham surgido com traços de estilo distintamente americanos. o último desenvolvimento da Opel antes da guerra, foi o Kapitän com a carroçaria unitária e suspensão dianteira independente, era um automóvel verdadeiramente moderno. a produção de automóveis civis foi interrompida em 1940, mais de 25.000 unidades já haviam sido construídas. Em 1948, a produção foi retomada, tornando-o o primeiro modelo de seis cilindros da Alemanha no pós-guerra. Inicialmente disponível apenas para as potências ocupantes, o Opel basicamente inalterado foi vendido a partir de 1949 a clientes privados.

O Opel Kapitän 1951, lançado em março de 1951, era uma versão estilisticamente ligeiramente modernizada do modelo antigo; tecnicamente era praticamente a mesma coisa. A taxa de compressão do motor aumentou de 6,0:1 para 6,25 para 1, sua potência de 55 CV (40 kW; 54 CV) para 58 CV (43 kW; 57 CV).

O motor de 2,5 litros, tinha transmissão manual de 3 velocidades ao volante, distância entre eixos 2.695 mm, comprimento 4.715 mm Largura 1.720 mm Altura 1.625 mm e um Peso total 1.240 kg

Do lado de fora, o carro foi facilmente distinguido dos primeiros Kapitäns do pós-guerra, graças à abundância de cromados e uma grade estilo americano na frente. Este foi o carro de grande porte mais moderno produzido em massa na Europa durante os anos imediatamente anteriores e pós-guerra.. O resultado foi que este carro confortável e de construção sólida perdeu rapidamente em valor e esforço de manutenção, com poucos compradores de segunda mão sendo capazes de pagar impostos e segurar um motor de 2,5 litros na época. Posteriormente, a potência aumentou para 60 CV (44 kW; 59 CV), pois a melhor qualidade da gasolina permitiu aos fabricantes aumentar as taxas de compressão.

De março de 1951 a julho de 1953, a Opel construiu 48.562 carros desta série.

IMG_20240131_183704.jpg

IMG_20240131_183812.jpg

IMG_20240131_183820.jpg

IMG_20240131_184218.jpg

IMG_20240131_184436.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Minichamps

Série Paul´s Models Art

Referencia nº preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Alemanha China

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 18:45
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2024

Opel ou Vauxhall - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel ou Vauxhall - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1094ª – Opel Calibra Gama   

Opel Calibra ou Vauxhall Calibra

Modelo real

Pra dar uma imagem mais desportiva e dinâmica graças as linhas agressivas e de uma tecnologia sofisticada que se subentende vir da Lotus, a  Opel apresenta o Calibra, um coupé de 1uatro lugares,  um nome escolhido pelo computador, foi anunciado para o Salão de Francfort para substituir o Monza e o Manta.

Embora como muitas vezes o fez para economizar tempo e recursos como Jorge Ferreyra-Basso, o diretor do projeto do Calibra relembra que o tempo necessário para um projeto idêntico estava entre os quatro e os seis anos, enquanto a utilização de componentes oriundos de outros modelos, reduzia muito o tempo decorrido entre o surgimento da ideia do modelo e a criação de uma pré-série foi de dois anos e meio.

Projetado por Erhard Schell, possuía uma aerodinâmica excepcional, com coeficiente de apenas 0,26, era baseado na plataforma do sedan Vectra, o Calibra estava disponível com motores V6 de 2 litros ou 2,5 litros.

Também foi desenvolvida uma configuração de tração nas 4 rodas, disponível apenas na versão 2.000 cc. Em 1993 foi apresentada uma das versões mais interessantes, o 2.0 turbo 4x4

Em 1992, o novo diretor desportivo da Opel, Walter Treser, retirou o Opel Omega do DTM para construir um novo carro para 1993 de acordo com os regulamentos aprovados pelo ITR em 1991.

O novo regulamento retirou as dusas divisões das corridas, mas tornou a cilindrada uniforme de 2,5 litros e um máximo de 6 cilindros. A tração nas quatro rodas era permitida.

Essas mudanças estavam programadas para entrar em vigor na temporada de 1993 e o Calibra com tração integral e motor V6 naturalmente aspirado ainda não estava pronto para 1993.

A primeira vitória do Calibra ocorreu na Grã-Bretanha, não contabilizou para a classificação do DTM. Na primeira das duas corridas, Manuel Reuter empurrou seu técnico e companheiro de equipe Rosberg para fora da pista

Depois de abandonar na primeira corrida, Reuter alinhou na última linha da grelha na segunda corrida, e mesmo assim ficou em segundo. Após a corrida, o piloto da Alfa, Alessandro Nannini, vencedor, foi desclassificado devido ao teste obrigatório de combustível e Reuter ficou em primeiro.

Opel Calibra sagrou campeão em 1996.

A participação nas séries de corridas tornou-se cada vez mais cara para os fabricantes. “Em meados de 1996, foi feita uma tentativa de congelar a tecnologia para a temporada de 1997 e depois começar em 1998 com carros tecnicamente menos complexos (sem tração integral e sem ajudas eletrónicas de condução).” No entanto, a 25 de setembro de 1996, os dois fabricantes Alfa Romeo e Opel anunciaram a sua retirada do ITC numa carta escrita em conjunto.

IMG_20240126_130200.jpg

IMG_20240126_130225.jpg

IMG_20240126_130252.jpg

IMG_20240126_130325.jpg

IMG_20240126_130426.jpg

Miniatura

Abre as portas, levanta a mala.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante gama

Série Mini

Referencia nº1138 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor também em cartão.

País – Alemanha

Anos de fabrico  a

 

 

 


publicado por dinis às 18:10
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 7 de Julho de 2023

Opel GT 1900 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel GT 1900 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

927º - Opel GT Solido

Opel GT de Vicêncio Oliveira Matos

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/tag/miniatura+0104+opel+gt+solido

O estilista da Opel Erhard Schnell, projectou o Opel GT em estilo fastback, sem um porta-malas acessível externamente, Uma prateleira atrás dos assentos que só podem ser utilizados através das portas principais. Atrás da prateleira há um painel dobrável que esconde um pneu sobressalente e um macaco. O interior do GT é surpreendentemente grande para um carro do seu tamanho, devido ao seu processo de design original em que o metal exterior foi esculpido em torno de um modelo interior. A altura livre e o espaço para as pernas são suficientes para aqueles com 1,83 m de altura.

O Opel GT utiliza um modelo unibody de aço e um motor de tração dianteira, montado muito atrás no chassis para melhorar a distribuição de peso. A suspensão dianteira é composta por braços superiores A e por uma mola de lâmina transversal inferior. Um eixo vivo e molas helicoidais são usados ​​na parte traseira. O sistema de travagem assistida usa discos na frente e tambores na parte traseira.

Na América do Norte, o GT foi vendido nas concessionárias da Buick.

Modelo real

Para o Circuito Internacional de Vila Real em 1971Vicêncio Edgar Oliveira Matos pilotou um Opel GT 1900, mas não se qualificou.

No rali TAP, tinha o #113 e no minuto de partida o Matos levou o carro para o início do palanque de partida e esperou pelo navegador...esperou...esperou... mostrando o desespero por ele não ter aparecido a horas...

Chegou passado muito tempo de táxi e para contar a odisseia..

IMG_20230707_191834.jpg

IMG_20230707_191838.jpg

IMG_20230707_191850.jpg

IMG_20230707_191910.jpg

Miniatura

Abre as portas e os faróis rodam-se para imitar o acender ou o apagar. Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série  

Referencia nº 171 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 21:48
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Junho de 2023

Reynard Opel Lotus - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Reynard Opel Lotus - Um olhar sobre as minhas miniaturas

922ª – Opel Lotus Chalaenge

Reynard Opel Lotus Fórmula - Pedro Lamy 1991

Modelo real

Pedro Lamy o primeiro piloto português a obter um ponto numa prova do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, no Grande Prémio da Austrália de 1995, pela Minardi, .foi Campeão Nacional de Mini-Motos, em 1987 começou de novo e, até 1992, todos os anos venceu um campeonato. Em 1987 e 1988, foi no Karting nacional; em 1989, na Fórmula Ford 1600. Depois, passou para o outro lado da fronteira, mal tirou a carta e, mesmo sem saber falar inglês, rumou a Inglaterra.

Em 1990, venceu a Taça das Nações de Fórmula Opel em Spa-Francorchamps, numa célebre edição em que formava, com Rubens Barrichello, este ainda com aparelho nos dentes, eram os “meninos traquinas” do “paddock”.O seu colega de Seleção foi Diogo Castro Santos, com quem repetiu a “dose” em 1991, ano em que também se sagrou Campeão Europeu da categoria.

Dan Partel convenceu a General Motors  para uma nova formula tipo  a Fórmula Ford , e a  GM Lotus Euroseries

Desenhado de acordo com os regulamentos técnicos elaborados pelo diretor técnico da EFDA, Howard Mason, a construção de um lote inicial de 50 chassis foi subcontratada à Reynard, coincidentemente uma empresa criada pelo vencedor do primeiro campeonato EFDA FF2000 em 1979, Adrian Reynard.

O preço de um carro completo, incluindo chassi, motor, caixa de câmbio e um conjunto de rodas e pneus foi inicialmente fixado em £ 16.000 (cerca de £ 60.000 no dinheiro de hoje 2023 ). A produção total de 50 carros foi rapidamente comprada por clientes ansiosos.

O chassi tinha um pouco de flexibilidade e o motor 2.0L da Família II de 16 válvulas da GM era potente e confiável.

Para 1990, a Partel apostou em mais uma inovação, um evento para seleções nacionais,.a Copa das Nações EFDA realizada pela primeira vez em Spa-Francorchamps em julho de 1990 com 17 equipes de dois carros, cada uma competindo com as cores nacionais de seus respectivos países.

É importante ressaltar que as posições finais de ambos os pilotos contariam, com a equipe de 'menor pontuação' vencendo em termos de posição combinada e em duas baterias.

“Foi um verdadeiro desafio para os pilotos descobrir como correr em equipe. Se eles estão em um caminho rápido, eles se qualificam e se unem? Havia muitas estratégias diferentes que poderiam ser geradas.”

“Como era uma equipe de dois carros, praticamente todos eram pilotos sem nome, mas era uma equipe nacional. Eu promovi isso fortemente e o transmiti pela televisão em muitos países ao redor do mundo.”

O primeiro evento foi para Portugal, cortesia do futuro campeão da Le Mans Series Pedro Lamy e Diogo Castro Santos, seguido pela dupla brasileira Rubens Barrichello e Andre Ribeiro, que venceram no topo dos monolugares.

Muitas equipes incluíram pilotos desconhecidos para completar a sua equipa e aquele primeiro evento contou com uma equipe nacional da Alemanha Oriental competindo possivelmente pela primeira e última vez no automobilismo internacional, enquanto o futuro vencedor da Indy 500 Gil de Ferran competiu para a França, seu país natal, ao invés do Brasil.

IMG_20230629_181757 (3).jpg

IMG_20230629_181821 (2).jpg

IMG_20230629_181843 (2).jpg

IMG_20230629_181907.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante gama

Série

Referencia nº 1164 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - Alemanha

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 19:04
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 1 de Março de 2023

Opel Manta 400 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Manta 400 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

807ª – Opel Manta 400 Vitesse

Opel Manta 400 de Guy Colsoul / Alain Lopes Paris-Dakar 1985. esteve na II Exposição de Miniaturas do CAVR na Garagem S. Cristóvão de 11 a 17 de Julho de 1988.

Modelo real

Em 1982, Walter Röhrl no Opel Ascona 400 foi a última tracçaõ traseira a conquistar o título mundial de rali, depois do Opel Manta B 400 der apresentado no Salão de Genebra em 1981, denominação devida às 400 unidades necessárias para a homologação de uma versão de competição em Grupo 4,

O mais raro e potente Opel Manta 400 dispunha de um motor de quatro cilindros DOHC (dupla árvore de cames à cabeça) de 2,4 litros, com quatro válvulas por cilindro e 144 cv.

O Campeão belga de rally em 1981 no Opel Ascona 400 Gr.4 foi Guy Colsoul  e Alain Lopes, mas foi ao volante de um Mercedes 280 GE em 1983  termina o Dakar em 6º lugar geral.

No ano seguinte, 1984 volta ao Rally Paris-Dakar, agora com o Opel Manta 400, Guy Colsoul e Alain Lopes para vencer a sua classe de veículos de tração ás duas rodas, termina em 4º lugar da classificação geral, logo atrás de três veículos de tração integral. O vencedor foi o Porsche 911 René Metge / Dominique Leymoyne seguido de  Zaniroli, Da Silva no Range Rover V8 e em 3º Cowan, Syer no Mitsubishi Pajero.

Em 1985 voltam novamente ao Paris-Dakar mas não tiveram   a mesma sorte onde o coupé de tração traseira talvez mais adaptado aos troços de rali do que ao Dakar e a ter de transportar por cima da mala um bidão, não terminou a prova, com o sucessor da Manta além de não ganha um título mundial, têm nos Quattro desde 1982, agora mais fortes para os simples tração às duas rodas.

Modificação na miniatura

IMG_20230314_141022.jpg

IMG_20230314_141420.jpg

IMG_20230314_141654.jpg

IMG_20230314_141943.jpg

IMG_20230314_142137.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Vitesse

Série

Referencia nº preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - Portugal

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 19:12
link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Novembro de 2022

Opel Ascona 400 Plubimmo Racing - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Ascona 400 Plubimmo Racing - Um olhar sobre as minhas miniaturas

719ª – Opel Ascona Troféu

Anders Kullang e Bruno Berglund Opel Ascona 400 no Rallye de Portugal 1981

Modelo real

A Opel através da equipa monegasca Plubimmo Racing inscreveu o Opel Ascona para o Sueco Anders Kullang e Bruno Berglund

Com uma previsão de muita chuva na verdade pouco choveu.

No Marão Mikkola no Audi desistiu com o motor partido  e Per Eklund  no Toyota Celica a teve uma saída e o navegador Ragnar Spjuth  a ser reportado para Vila Real e em seguida de helicóptero para o Porto. Anders Kullang e Bruno Berglund não passou tinha, ficado no final do 10º troço na Lousa  teve de abandonar com problemas no semi-eixo quando a sua prestação estava a ser melhor do que no ano passado.

Na no Safari em 1981 também com o Ascona 400 do Gr.4 mas com condições meteorológicas adversas quando detinha uma confortável vantagem na liderança  apesar de um furo a 12 km da chegada a Nairobi, continuou a não ter sorte.

Na segunda etapa e na passagem pela reserva uma vaca provoca um acidente obrigando a nova intervenção da Opel. O primeiro lugar acaba quando a bateria o leva a uma imobilização de 35 minutos, leva ao abandono e ver quatro Datsun nos quatro primeiros lugares. Mehta no Datsun 160J é o primeiro.  

Em 1990 Anders Kulläng fundou uma escola de rally por onde passaram muitos pilotos.

Modificação na miniatura

É um Kit da Trofeu em resina 

IMG_20230109_142028.jpg

IMG_20230109_142100.jpg

IMG_20230109_142325.jpg

IMG_20230109_142446.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de resinade acordo com as originais.

Fabricante Trofeu

Série Kit

Referencia nº 03 preço

Material – zamac

Material da placa de base – resina

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País - Portugal

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 18:18
link do post | comentar | favorito
Domingo, 16 de Outubro de 2022

Opel Kadett Ronda GT/EChevenole - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Kadett Ronda GT/EChevenole - Um olhar sobre as minhas miniaturas

684ª – Opel Kadet GT/E Solido

Ronde Chevenole 1976 Opel Kadett groupe 4 de Jean Louis Clarr 6º classificado

Nos treinos os carros levavam um número e para a prova era colocado no do tempo alcançado nos treinos.

Isto é na Round 76 de acordo com os dos números da corrida que são diferentes nos treinos: 43 e 8....com o 43º tempo ou então o n°43 nos testes em que ela teria alcançado o ..... 8º tempo de scratch !!

Modelo real

Lembro-me que para a corrida de domingo os números atribuídos correspondiam à classificação do treino de sábado

Esses testes foram classificatórios porque havia muitas inscrições e apenas um número limitado de competidores poderia participar da corrida (cerca de sessenta eu acredito)

Sobre este assunto, lembro-me de uma anedota bastante significativa sobre o estado de espírito que reinava na época entre os concorrentes.

“Em 74 creio que a Opel BP Marseille contratou 2 Commodores do grupo 1; um para Jean Louis BARAILLER que estava concorrendo ao título de campeão francês na categoria e um para a charmosa Marie Odile DESVIGNES que veio fazer um "freelance" graças à BP.

No entanto, nos treinos ela não foi rápida o suficiente e os tempos que conseguiu não permitiram que ela se classificasse para a corrida.

Um estratagema foi então posto em prática: Jean Louis Barailler (amplamente qualificado) fingindo ter a montaria errada (eram estritamente idênticas, exceto pelos números) partiu com a de Marie Odile para seu último teste.

Infelizmente, quebrou no meio do caminho e o locutor anunciou que Marie Odile havia parado perto de Le Vigan e que estava esperando por sua ajuda.

Você pode imaginar o constrangimento do pobre Jean Louis que não ousou sair do carro por medo de ser reconhecido.

A moral estava segura já que Marie Odile não foi admitida na largada!!!!!”

Cordialmente

Jean-Louis Clarr

Então, se este Kadett é o número 6 ou 26, é o mesmo carro na rodada 76 e em ambos os casos estou dirigindo

JLC

Vincent Francis em Alpine-Renault A310 GR4 em 2:13:00.8

94.7 foi o vencedor seguido de Mouton Michèletambem também em Alpine-Renault A310

Modificação na miniatura

É um Kit da Solido muito simples de montar

IMG_20221014_124554 (1).jpg

IMG_20221014_124621 (1).jpg

IMG_20221014_124632.jpg

IMG_20221014_125002 (1).jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série K 70

Referencia nº 70 – 11/78 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão em Kit e em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico o modelo de venda normal.

País – França

Anos de fabrico  a

 

 


publicado por dinis às 19:08
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Agosto de 2022

Opel Kadett GTE- Um olhar sobre as minhas miniaturas

Opel Kadett GTE- Um olhar sobre as minhas miniaturas

639ª – Opel Kadett coupé GTE Solido

Opel Kadett coupe GTE  Rally Mille Pistes 1978 Alain Errani/ R. Luparia

Miniatura fotografada no dia em que fui buscar o nº1 da colecção WRC da Salvat

Modelo real

O Opel Kadett GTE tornou-se numa lenda dos ralis…é a versão desportiva do Kadett C lançada em 1975. Equipado com um motor de 4 cilindros de 105cv, o carro fez grande sucesso e foi amplamente utilizado em competições, devido à homologação nos Grupos 1 e 2. Já no início da carreira, no Rali de Monte Carlo de 1976, o GT/E obteve um excepcional quarto lugar geral com Walter Rohrl, depois dos três Lancia Stratos HF.

Em 1977, o motor do GT / E foi aumentado para 1979cc para uma potência de 115 cavalos, graças ao ajuste de Irmscher.

O Opel GTE participou em muitos ralis, como o famoso Rallye des Mille Pistes em 1978, onde foi conduzido por Alain Errani mas que teve de abandonar.

Foram construídas 8.660 unidades do GT/E 1.9 - e 2.234 unidades do 2.0.

Modificação na miniatura

A primeira decoração disponibilizada pela Solido permitia fazer o Opel Kadett coupe GTE do Rally Mille Pistes pilotado por Alain Errani/ R. Luparia e 8 e 9 de Julho 1978 grupo 2 calasse II

Cortados parte dos alargamentos traseiros.

Enquanto  decoração 2 da Solido me deixava uma possível decoração para o rali de Portugal

IMG_20220830_171925.jpg

IMG_20220830_170915.jpg

IMG_20220830_170953.jpg

IMG_20220830_171035.jpg

IMG_20220830_171051.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série K70

Referencia nº 70 - 11/78 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 17:52
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Opel Omega 3000 24v Evo 5...

. Last Race of Keke Rosberg...

. Opel Kapitan - Um olhar s...

. Opel ou Vauxhall - Um olh...

. Opel GT 1900 - Um olhar s...

. Reynard Opel Lotus - Um o...

. Opel Manta 400 - Um olhar...

. Opel Ascona 400 Plubimmo ...

. Opel Kadett Ronda GT/EChe...

. Opel Kadett GTE- Um olhar...

. Opel Kadett GTE Rallye Mo...

. Opel Kadett GTE - Um olha...

. Opel Ascona Rallye - Um o...

. Opel Manta - Um olhar sob...

. Opel Rekord - Um olhar so...

. Opel Commodore- Um olhar ...

. Opel Doktorwagen  - Um ol...

. Opel Doktor Wagen - Um ol...

. Opel GT - Um olhar sobre ...

. Opel CD - Um olhar sobre ...

.arquivos

. Maio 2024

. Abril 2024

. Março 2024

. Fevereiro 2024

. Janeiro 2024

. Dezembro 2023

. Novembro 2023

. Outubro 2023

. Setembro 2023

. Agosto 2023

. Julho 2023

. Junho 2023

. Maio 2023

. Abril 2023

. Março 2023

. Fevereiro 2023

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub