Quarta-feira, 30 de Agosto de 2023

O Bugatti  duplo vencedor de Le Mans - Um olhar sobre as minhas miniaturas

O Bugatti  duplo vencedor de Le Mans - Um olhar sobre as minhas miniaturas

950ª – Bugatti 57C “Tank” Grand Prix Models

Bugatti 57 C #1 J-P Wimille/P. Veyron Winner Le Mans 1939

Bugatti Type 57 C e as vitórias de 1937 e 1939

O Bugatti Type 57 C de 1937

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/bugatti-t-57-tank-um-olhar-sobre-as-1720487

Modelo real

A Bugatti está de volta, depois de no ano anterior, não ter estado presente, voltou em 1939 o Bugatt 57C com atualizações adicionais, onde a Bugatti conseguiu reduzir o peso do capot redondo em forma de pontão. O eixo traseiro, virabrequim e outras peças também foram otimizados.

Agora já equipado com os novos faróis amarelos, tornados obrigatórios a partir de 1936 para, na eventualidade de uma guerra contra a Alemanha se poderem distinguir as viaturas francesas das do inimigo.

Dotado de um compressor, o motor de 8 cilindros com 3251 cc. duas árvores de cames à cabeça produzia cerca de 200 cv. Isso permitiu velocidades superiores a 255 km/h na reta.

No início das 24 Horas de Le Mans, 1939. Raymond Sommer, duas vezes vencedor de Le Mans, com um novo Alfa Romeo, lidera a corrida desde o início e aumentou a diferença com os outros pilotos, incluindo Jean-Pierre Wimille. Mas o profissional da Bugatti dirigiu excepcionalmente, fazendo linhas limpas nas curvas enquanto preservava os pneus e travões . Até tarde da noite, os carros circulavam com cada vez mais velocidade. A luta feroz de Sommer e Wimille pelo primeiro lugar logo foi acompanhada por Louis Gérad e Georges Monnert, pilotos da Delage. Mas o seu carro de corrida não aguentou o esforço: na manhã de domingo, um problema no motor obrigou-os a parar nas boxes. Enquanto isso, Pierre Veyron continuou levando o Type 57 C volta após volta.

Dos 42 carros que largaram, apenas 20 cruzaram a linha de chegada, Wimille e Veyron percorreram 3.354 quilômetros, fizeram 249 voltas em 24 horas. atingiu uma velocidade média de 139,781 km/h. O carro vice-campeão da corrida fez ficou três voltas a frente do segundo e o terceiro carro nove voltas.

A guerra viria dois meses e meio depois desta vitória, mas antes dessa grande tragédia ainda houve espaço para um drama que mudaria a história da Bugatti.

O Bugatti 57C vencedor de Le Mans foi entretanto  reconstruído na fábrica pois tinha acabado estas 24 Horas em muito mau estado mecânico e deveria ter sido entregue a William Groover-Williams,

No dia 15 de Agosto de 1939, véspera da fábrica fechar (para as férias obrigatórias desde 1936) Jean Bugatti foi ensaiar este automóvel, acabando por morrer ao tentar evitar um ciclista bêbado.

O 57C ficou dobrado ao meio e seria enterrado nos terrenos da fábrica, em Molsheim, num local que se manteve secreto até hoje. Por sua vez, o Grande Prémio de La Baule seria cancelado com o início da Guerra, no dia 1 de Setembro.

Modificação na miniatura

Depois de limado e lixado foi pintado e ainda se encontra a espera dos números de prova.

IMG_20230830_180001.jpg

IMG_20230830_180051.jpg

IMG_20230830_180121.jpg

IMG_20230830_180128.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Grand Prix Models

Série

Referencia nº preço

Material – zamac

Material da placa de base – metal

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão

País - Inglaterra

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 18:21
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Agosto de 2023

Bugatti T 57 Tank - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Bugatti T 57 Tank - Um olhar sobre as minhas miniaturas

941ª – Bugatti 57 G “Tank” Grand Prix Models

O primeiro Bugatti vencedor em Le Mans

Modelo real

Bugatti Type 57G "Tank" - 24h Le Mans -1937

Jean Bugatti, filho de Ettore Bugatti, começou por desenvolver um carro desportivo para competições de longa distância. Para ter o centro de gravidade mais baixo possível, decidiu-se combinar o chassi padrão do tipo 57S com o Bugatti de 3,3 litros e oito cilindros em linha e uma distância entre eixos de 2,98 m. O motor do Tanque 57G entregava aproximadamente 200 cv e, graças à carroceria com desenho aerodinâmico, podia atingir rapidamente velocidades superiores às dos concorrentes da época.

O Bugatti Type 57G ficou conhecido como Tank e dos quais apenas três carros foram produzidos na fábrica da Bugatti na Alsácia  em Molsheim em 1936 e 1937.. Com esses carros de corrida, a Bugatti pretendia levar o mundo do automobilismo francês a novas vitórias, já que naquela época apenas marcas estrangeiras venciam constantemente.

Durante os testes em Montlhéry antes de Le Mans, acredita-se que o protótipo do carro tenha sido danificado. As 24 Horas de Le Mans foram canceladas por causa de uma greve geral em 1936.

Jean-Pierre Wimille foi o autor das primeiras vitórias no tanque 57G foram conquistadas em 1936 no Grand Prix de l'A.C.F em Montlhéry e no Grand Prix de la Marne.

Para a corrida de 24 horas de Le Mans em 19 e 20 de julho de 1937, dois carros de corrida desse tipo foram inscritos. O primeiro carro foi dirigido pelos pilotos de teste Pierre Veyron e Roger Labric, com Jean-Pierre Wimille e Robert Benoist assumindo o controle do segundo tanque.

O nº 1 retirou-se logo após a meia distância, enquanto Jean Pierre e Robert venceram por 7 voltas do 2º lugar Delhaye conduzido por Joseph Paul e Marcel Mongin

Wimille venceu a corrida com uma velocidade média de 136,99 km/h (84 MPH) e uma distância total de 3.287,938 km (2.043 milhas). Assim, ele conseguiu a primeira vitória da Bugatti nesta corrida lendária e se tornou uma lenda da marca, e iniciar a primeira das duas vitórias gerais da Bugatti em Le Mans.

O nº 57355 é facilmente distinguido de seus irmãos pelas saídas de ar altas das rodas dianteiras, exclusivas do nº 84, que podem ser facilmente vistas nesta foto em preto e branco vinculada dos três carros intactos tirados em Montlhéry em 1936 e confirma que o nº 57355 venceu cada um as três corridas em que foi inscrito.

Hoje, # 57355 é o único sobrevivente do 57G, embora haja pelo menos uma cópia concluída no início deste ano que apareceu em Goodwood. # 57355 normalmente pode ser encontrado no Simeone Foundation Automotive Museum na Filadélfia, Pensilvânia, mas é visto nestas fotografias de Geoffrey Horton no The Quail no ano passado.

Modificação na miniatura

O kit foi rebarbado lixado e montado

IMG_20230821_171859.jpg

IMG_20230821_171954.jpg

IMG_20230821_172118.jpg

IMG_20230821_172146.jpg

IMG_20230821_172210.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Grand Prix Models

Série

Referencia nº preço

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão

País – Great Britain

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 18:21
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 5 de Julho de 2023

Bugatti T 50 59 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Bugatti T 50 59 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

925ª – Bugatti T 50 59 Grand Prix Models

Bugattti t 50 59 Grand Prix Models

Modelo real

Bugatti Type 59/50 BIII Cork Car

O último carro de carrida

Os carros de corrida Bugatti eram construídos em Molsheim,na  Alsace, onde a Bugatti projetou seu último carro de corrida, um puro Grand Prix sob a liderança do fundador da empresa, Ettore Bugatti, o  Bugatti Type 59/50 BIII com número de chassi 441352 e quadro número 6, o chamado “Cork Car”. é considerado a evolução final da era dos carros de corrida Bugatti Grand Prix,

Era alimentado por um motor de oito cilindros em linha de 3,0 litros com duas árvores de cames à cabeça e um compressor.

Foi também o último carro de corrida oficial da Bugatti Works a competir em um Grande Prêmio.

O modelo top de todas as versões do Grande Prêmio foi baseado no Type 59 de oito cilindros. No Grande Prêmio da França em Montlhéry em junho de 1935, o carro com chassi número 6 e um motor superalimentado de oito cilindros de quase cinco litros fez sua estreia.

No Grande Prêmio de Cork em abril de 1938, o Type 59/50 competiu com uma nova carroceria monolugar mais leve e um motor completamente novo - daí o apelido de Cork Car.

O Cork com o motor 50 BIII disputou sua última corrida em 1938 no GP da França em Reims. Hoje, o modelo com seu motor de 3 litros é um dos raros carros genuínos de Grand Prix da década de 1930.

No início da guerra, a Bugatti levou o stock da Alsácia, perto da fronteira com a Alemanha, para Bordeaux, para evitar que o material caísse nas mãos das tropas alemãs. Na  década de 1950 que o carro de corrida reapareceu - como um chassi rolante sem a carroceria elaborada. Em 1964, Ray Jones, comprou o Type 59 e rastreou o motor Type 50 BIII superalimentado de 3,0 litros desenvolvido nas fábricas da Bugatti. Ray Jones procurou e coletou por quase quatro décadas até conseguir reunir todas as peças originais do carro. Em 1995, o agora concluído Bugatti Type 59/50 BIII foi exibido ao público em sua elegância original pela primeira vez desde 1938 com extensa documentação.

Modificação na miniatura

É um kit em metal

IMG_20230705_173439.jpg

IMG_20230705_173444.jpg

IMG_20230705_173502.jpg

IMG_20230705_173508.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas têm pneus de borracha de acordo com as originais.

Fabricante Grand Prix Models

Série

Referencia nº preço

Material – metal

Material da placa de base – metal

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão.

País - Inglaterra

Anos de fabrico  a

 

 


publicado por dinis às 23:35
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Bugatti  duplo vencedor...

. Bugatti T 57 Tank - Um ol...

. Bugatti T 50 59 - Um olha...

.arquivos

. Fevereiro 2024

. Janeiro 2024

. Dezembro 2023

. Novembro 2023

. Outubro 2023

. Setembro 2023

. Agosto 2023

. Julho 2023

. Junho 2023

. Maio 2023

. Abril 2023

. Março 2023

. Fevereiro 2023

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub