Quinta-feira, 11 de Abril de 2024

Renault 5 Maxi Turbo - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Renault 5 Maxi Turbo - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1170ª – Renault 5 Maxi Turbo Solido Renault

Renault 5 Maxi Turbo Tour de Corse 1985 Jean Ragnotti/Pierre Thimonier

817ª – Renault 5 Turbo Solido

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/renault-5-turbo-um-olhar-sobre-as-1618310

854ª – Renault 5 Maxi Turbo Solido

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/renault-5-maxi-opal-um-olhar-sobre-as-1644957

877ª – Renault 5 Turbo 2 Heler transformado

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/renault-turbo-cabrolet-um-olhar-sobre-1664301

918ª – Renault 5 Turbo Solido

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/renault-5-turbo-um-olhar-sobre-as-1699700

Modelo real

O Renault 5 preto, guiado por Guy Fréquelin, revelado à comunicação social, na pista de Lédenon, em novembro de 1978, um mês após o lançamento do protótipo exposto no Salão Automóvel de Paris, seguiram-se outras evoluções.

Em 1984, o Renault 5 Turbo (822) deu origem ao Renault 5 Turbo (8221), já a pensar numa versão ainda mais exclusiva, o mítico Renault 5 Maxi Turbo que, surgiu em 1985, e do qual foram apenas produzidas 20 unidades de competição.

Um design muito mais agressivo, apêndices de maiores dimensões conferiam-lhe outra carga aerodinâmica, e um motor revisto com a cilindrada aumentada para 1.526 cm3, capaz de "disparar" 350 cv de potência.

Mais potência, mais binário e um enorme trabalho efetuado também na perda de peso, que permitiu que este bólide não ultrapassasse os 905 kg, foram fatores importantes, que ajudavam, não só nas suas impressionantes performances, como no equilíbrio dinâmico. Para isso também contribuíam um sistema de travagem potente e eficiente, direção mais direta e a montagem de novos amortecedores.

O mais poderoso Renault 5 Turbo de sempre, mas também o mais fácil de conduzir, dada a redução do tempo de resposta do turbo, efetuada pelos técnicos da marca, tornou-se mais "dócil" e também mais competitivo.

O Renault 5 Maxi Turbo estreou-se em 1985 onde os protótipos do Grupo B participaram no Tour De Corse, marcada pelo acidente de Attilio Battega quando bateu com o Lancia 037 numa árvore, do lado do motorista, matando-o instantaneamente, enquanto o  co-piloto, Maurizio Perissinot, sobreviveu ileso.

Outras desistências também incluíram Ari Vatanen, Walter Rohrl e Didier Auriol num outro Renault Maxi 5 Turbo.

O vencedor foi Jean Ragnotti e o co-piloto Pierre Thimonier ao volante de um Renault Maxi 5 Turbo.

IMG_20240411_172827.jpg

IMG_20240411_173537.jpg

IMG_20240411_173805.jpg

IMG_20240411_172835.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série Boutique Renault

Referencia nº preço 1907$00

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 19:24
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Abril de 2024

Ford Capri Turbo III - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ford Capri Turbo III - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1160ª – Ford Capri Turbo Zakspeed Mampe H Heyer #52 Quartzo

Ford Capri Turbo Mampe #52 H.Heyers 1978 Ford Capri Turbo III #001/78 (Zakspeed) - Ford Cosworth BDA/Zakspeed L4 4v DOHC 1427 cc 2xKKK Div.II

Destinado a divisão 2 a pensar na divisão 1,

O Ford Capri III foi um carro de corrida revolucionário e ficou como o primeiro veículo de carros de produção a implementar os princípios do “carro asa” e do “efeito solo” e um dos últimos conceitos em que os regulamentos do Grupo 5 foram seguidos à risca num carro de produção existente.

Modelo real

Ford Capri Turbo visto por Erich Zakowski o homem que trabalhou como mineiro e depois como mecânico de automóveis, abriu uma garagem em Niederzissen, não muito longe de Nuburgring, destinada a assistência de carros e camiões Ford  a expandir-se com a abertura de uma subsidiaria em Nenhausel e assim iniciar-se na competição. E tornar-se na Zakspeed com  Zakowski, um homem com conhecimentos e meios par além de trabalhar o motor , transmissão ,  suspensão e na aerodinâmica até conseguir os melhores resultados.

Uma estrutura composta por 70 metros de tubos de metal leve, alumínio de 40mm muito rígida formando uma gaiola de segurança onde apenas resta a parte superior da estrutura original do Capri e como todos os silhueta, sendo o único componente de serie,

O pavimento é formado por uma chapa de alumínio colada a estrutura superior, à maneira dos F1, foi construída em Niederzisse.

O carro foi concebido sob a direcção do departamento de corridas da Ford em Colônia, para a aerodinâmica sofisticada. trabalhado no túnel de vento do TH Aachen com um modelo 1:5.

A base do motor foi o britânico BD de quatro cilindros da Ford. Sem experiência com motores turboalimentados, a equipe desenvolveu o novo motor de corrida por conta própria. Como base, a Zakspeed utilizou um bloco de ferro fundido cinzento do motor 1,3 litros da série BD (Belt Drive) da série britânica Escort. No final de fevereiro de 1978, o Zak de quatro cilindros, 1427c.c com turbo compressor KKK, Kohnle  Koop e Kausck  foi testado pela primeira vez.

O carro terá custado 100 000 Libras o equivalente a 9 000 000$00 estreado por Harald Ertl, o campeão da Deutsche Rennsport Meisterschaft em 1978, visto pela primeira vez o novo Ford ‘Super Capri’ na sexta-feira do Grande Prémio da Alemanha 29 de julho de 1978, onde a Ford exibia o seu novo carro. Ertl tinha então trocado o BMW 320i Turbo da Schnitzer Motorsport pelo Ford Zakspeed Capri de Erich Zakowski.

Harald Ertl, campeão da Deutsche Rennsport Meisterschaft em 1978, viu pela primeira vez o novo Ford ‘Super Capri’ na sexta-feira do Grande Prémio da Alemanha 29 de julho de 1978, onde a Ford exibia o seu novo carro. Ertl tinha então trocado o BMW 320i Turbo da Schnitzer Motorsport pelo Ford Zakspeed Capri de Erich Zakowski.

Apenas um dia de testes e o carro foi o mais rápido de todo o circuito de Hockenhem nas mãos de Hans, conquistou a pole position a 4 segundos do líder do campeonato BMW 320 de Harald Ertl. Na corrida o carro liderou, com costantes toque toques repetidos mas completou apenas 5 voltas, sucumbindo a uma falha de motor.

No resto da temporada, Heyer conquistou três poles nas corridas restantes, com Zakspeed, Heyer e Ford comemoraram sua primeira vitória na corrida em casa, no Supersprint a 1º de outubro de 1978, a última corrida da temporada de 1978, disputada na pista curta de 2,3 quilômetros de Nürburgring, Heyer venceu o novo campeão Harald Ertl no Schnitzer BMW 320 Turbo, pela primeira vez com o Zakspeed Turbo Capri após 265 km de corrida, incluindo a volta mais rápida da corrida.

IMG_20240401_174304.jpg

IMG_20240401_174309.jpg

IMG_20240401_174312.jpg

IMG_20240401_174333.jpg

IMG_20240401_174435.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Quartzo

Série

Referencia nº3028 preço 3395$00

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Portugal, feito na China

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 18:10
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Fevereiro de 2024

Porsche 935 K3 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Porsche 935 K3 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1128ª – Porsche Kremer Quartzo

Porsche 935 K3 #009 0003 Kremer - Porsche F6 2v SOHC 2992 cc turbo

Modelo real

Erwin e Manfred Kremer construíram carros que correram contra os carros de corrida de fábrica da Porsche. a criação dos irmãos Kremer num campeão mundial. a notável vitória do Porsche 935 K3 nas 24 Horas de Le Mans de 1979

A interpretação das regras do Grupo 5 pelos Kremer resultou em um dos designs mais marcantes de sua época, o Grupo 5 935 dos irmãos Kremer se não de todos os tempos.

.De 1980 a 1982, Wera possuiu e dirigiu com sucesso um Porsche Kremer 935 K3 sob a bandeira Wera Meißberg, disputando a série DRM alemã, o Campeonato Mundial de Marcas e Pilotos e as 24 Horas de Le Mans.

O carro de corrida é originário da oficina de Colônia dos engenhosos irmãos Erwin e Manfred Kremer e atende pelo nome de… Porsche 935 K3.

.Foi vendido para Hermann Werner, cofundador da Wera Werk em 21 de fevereiro de 1980, seguindo-se o patrocínio sob a bandeira ‘Weralit’, e participar no Campeonato Alemão em 1980,

O Wera 935 estreou em 23 de março de 1980 em Zolder, na Bélgica, terminando em quarto pilotado por Edgar Dören (D)

O sucesso inicial culminou na primeira corrida europeia para o campeonato mundial em Monza, na Itália com Edgar Dören e Jürgen Lassig /Gerhard Holup (D)venceram todos os outros num evento dramático e chuvoso e comemoraram a vitória numa corrida do campeonato mundial.

Wera Meissberg Team com Edgar Dören /Jürgen Lässig  ficaram em 5º nas 6 horas de Silverstone

Na 24 Horas de Le Mans a 14.6.1981 com o nº61 o Porsche 935 K3 #009 0003 (Kremer) - Weralit TeamPorsche 935 K3 #009 0003 (Kremer) - Porsche F6 2v SOHC 2992 cc Turbo Gr.5 Weralit Team (D)

Pilotado por Edgar Dören (D)/Gerhard Holup (D)/Jürgen Lässig (D)

Nos treinos os 3:42.660 deraml-he 13tº lugar na partida mas , não terminaram por falta de combustível.

Hoje, trinta e cinco anos depois, é com paixão e entusiasmo que Wera dá as boas-vindas ao seu velho amigo de volta em toda a sua glória no carro #61 de Le Mans, perfurando um saudável 760 CV e parecendo e soando tão dramático hoje como era naquela época.

IMG_20240229_142459.jpg

IMG_20240229_142719.jpg

IMG_20240229_142620.jpg

IMG_20240229_142626.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante quartzo

Série

Referencia nº3004 preço 3395$00

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Portugal feito na China

Anos de fabrico  a

 

 

 

 


publicado por dinis às 18:25
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Fevereiro de 2024

Sauber Mercedes C9 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Sauber Mercedes C9 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1124ª – MAX Sauber Mercedes C9 Max Models 

Sauber Mercedes C9 Schlesser/Jabouille/Cudini 5º lugar 24H Le Mans 1989

1001ª – Mercedes Benz C11 1990 Max Models

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/mercedes-benz-sauber-c11-um-olhar-1757610

1081ª – Sauber Mercedes C-9 Kouros LM 1987 Max Models

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/sauber-mercedes-c-9-um-olhar-sobre-as-1808423

Modelo real

A Sauber Mercedes actualiza o C9, pinta-o de prateado e desenvolve um novo motor V8 M119 biturbo de 5,0 litros, agora com duplo comando de válvulas no cabeçote e quatro válvulas por cilindro, melhorava a potência e a eficiência de combustível e podia produzir 720 cv. A principal preocupação da equipe era se a transmissão Hewland suportaria o torque extremo aplicado por ela por 24 horas.

 Para a 57ª edição das 24 Horas de Le Mans, realizada de 10 a 11 de junho de 1989, aguardava-se um despique entre a Jaguar, Porsche, Mercedes e Nissan.

Jochen Neerpasch, levou 86 elementos para trabalharem com o gerente da equipe Sauber, Dave Price, nos três carros de Jean-Louis Schlesser, Alain Cudini e Jean-Pierre Jabouille. Mauro Baldi fazia equipa com Kenny Acheson e Gianfranco Brancatelli, enquanto Jochen Mass, tinha Manuel Reuter e o sueco Stanley Dickens

Desde a primeira sessão de treinos, as equipes principais travaram uma batalha acirrada, mas no final são os dois Sauber -Mercedes a ocupar a primeira fila, com o tempo de 3'15"04 de Jean-Louis Schlesser no No.62 e o Sauber Mercedes C9 nº 61 de Mauro Baldi com3'15"67 enquanto Jochen Mass, tinha o 11º tempo no Sauber Mercedes C9 nº 63

Os Jaguar qualificaram-se logo atrás na segunda linha e o Porsche 962 nº 9 da Joest Racing sai dos cinco primeiros com os pilotos Bob Wollek-Hans Joachim Stuck.

Na partida os Sauber prateados lideram mas, logo na terceira volta Jones e Nielsen, ultrapassaram-nos e a Jaguar ocupa o 1º e 2º lugar.

Os Jaguar lideraram até que um vazamento de óleo dá a liderança ao Porsche nº 9 de Wollek e Stuck, que eles manteriam até a 10ª hora de corrida, quando um vazamento de água os derrubou para a sexta posição.

A Jaguar recuperou a liderança até que uma mudança de caixa de velocidades deixou a porta aberta para um 1-2 para a Sauber-Mercedes. Bob Wollek, com problemas numa junta na caixa de velocidades no Porsche 962 atrasa-lhe o progresso. Em cada parada, os mecânicos esvaziavam garrafas de refrigerante na embreagem! Este incrível trabalho nos boxes permitiu ao Porsche rosa do patrocinador japonês, chegar ao terceiro degrau do pódio, atrás dos dois Sauber-Mercedes.

Aproxima-se o final e Mass diminuía a velocidade, Acheson e Schlesser, aproximavam-se para a formação, e cruzaram a linha de chegada. mas a invasão da pista impediu-os de chegar à linha de chegada e não completaram a volta.

Sauber garantiu a vitória com o C9 nº 63 conduzido por Jochen Mass, Manuel Reuter e Stanley Dickens

O 2º lugar para o Sauber Mercedes C9 nº 61de Mauro Baldi Kenny Acheson Gianfranco Brancattelli

O terceiro Sauber, o Mercedes C9 nº62 JL Schlesser - JP Jabouille - A. Cudini classificaram-se no 5º lugar.

IMG_20240225_144608.jpg

IMG_20240225_144742.jpg

IMG_20240225_144748.jpg

IMG_20240225_144755.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Max Models  / Danhausen Model Car

Série Limited Serie 3000

Referencia nº 1002 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – West Germany, fabricado em França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 17:18
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024

Chevrolet Corvette- Um olhar sobre as minhas miniaturas

Chevrolet Corvette- Um olhar sobre as minhas miniaturas

1029ª – Chevrolet Corvette Budweiser Burago

Da série um para o Pai outro para o Filho.

Modelo real

Chevrolet Corvette C4

A Chevrolet lançou o novo C4 em 1984 e em poucos meses eles estavam na pista dominando a competição na SCCA Racing

Nas corridas SCCA Showroom Stock os carros eram de serie com exceção dos equipamentos de segurança, a ser pilotados conforme entregues de fábrica. Isso significava que se um carro viesse equipado com rádio, ar condicionado e direção hidráulica, ele também teria que rodar esses itens na pista.

O principal evento Showroom Stock da SCCA foi no Dia Mais Longo em Nelson Ledges, em Ohio em junho de 1984, John Greenwood, Dave Heinz e Rod Millen inscreveram na corrida um Corvette '84 patrocinado pela BFGoodrich. foi a primeira corrida do novo C4, e o carro foi uma sensação classificou em segundo lugar e seu excelente consumo de combustível o colocou na liderança após a primeira hora. O Vette manteve esta posição durante nove horas até ser atingido por problemas mecânicos e terminou em 24º lugar geral no que seria a única não vitória do C4 nas corridas Showroom Stock.

Os C4s ficaram invictos de 1985 até o final da temporada de 1987 e geralmente ocupavam as oito a dez primeiras posições finais, até a SCCA proibiu as maravilhas do plástico e abordasse a Chevrolet sobre a criação de uma série exclusiva série de Corvette Challenge.

Entre 1988 e 1989 foi televisionado pela  rede de cabo SpeedVision. Com carros Corvette idênticos construído de fábrica, que proporcionaram corridas barulhentas, coloridas e intensas, ganhando rapidamente a reputação de uma série de "desportes de contato". Como os carros eram tão equilibrados, manobras agressivas eram muitas vezes a única maneira de obter vantagem.

A Chevrolet rodeou-se da Goodyear, Exxon e Mid America Designs para criar uma bolsa de um milhão de dólares para apoiar o novo Corvette Challenge. Cinquenta e seis Corvetes '88 com opção B9B foram construídas em Bowling Green com transmissões 4 + 3 e suspensões Z51. Quarenta e cinco foram enviados para a Protofab em Wixom, Michigan, onde foram equipados com equipamentos de competição, incluindo assento de corrida, gaiola de proteção, cinto de segurança e pastilhas e dutos de freio PBR. A Protofab também instalou um sistema de extintor de incêndio, emblemas especiais do Corvette Challenge e um escapamento Desert Driveline de baixa restrição. As rodas leves Dymag foram equipadas com pneus de rua Goodyear com meia profundidade de piso.

A primeira corrida foi realizada em 1º de maio de 1988, em Dallas. No final da série de 10 corridas, Stu Hayner foi o campeão da série. Em 1989, 60 carros R7F foram construídos e 29 deles foram convertidos em carros de corrida pela Powell Development America. Os novos carros eram mais parecidos com pilotos do que seus antecessores, com gaiolas completas - incluindo barras laterais - e escapamento direto.

IMG_20240219_142147.jpg

IMG_20240219_142156.jpg

IMG_20240219_142226.jpg

IMG_20240219_142247.jpg

IMG_20240219_142541.jpg

IMG_20240219_142628.jpg

Modelo real

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico e rápidas.

Fabricante Burago

Série

Referencia nº 4192 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização

País – Itália

Anos de fabrico  a

 

 

 


publicado por dinis às 18:42
link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Fevereiro de 2024

Volkswagen Golf - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Volkswagen Golf - Um olhar sobre as minhas miniaturas

 1110ª - Volkswagen VW Golf GTI  Schabak

Volkswagen Golf GTI Mk 2 1990

Finalmente um Golt de quatro portas, embora o meu fosse um Diesel  personalizado com acessórios VW original incluindo as grade de faróis duplos .enquanto por vezes era ultrapassado, eu fazia quilómetros com pouco dinheiro.

A oferta e as gamas de equipamentos existentes para o mk2 e a quantidade de empresas que trabalharam a fazer bodykits, peças de performance, equipamentos de conforto, não é mesmo comparável com outro carro com marcas como a BBS, ou a Kamei, ou a Alpine a produzir material específico só para o modelo,

Após o sucesso inicial do Golf, veio a segunda geração em 1984..depois de ter sido lançado na Europa no Salão Automóvel de Frankfurt em setembro de 1983, Apresentava uma carroceria maior e uma gama mais ampla de opções de motor, incluindo um turbodiesel GTD, nos mercados europeus, mais tarde usando o motor diesel 1.6 "umwelt" (ECO)), uma versão DOHC 1781 cc (1.8) de 16 válvulas do quatro cilindros em linha GTI (bem como o testado e comprovado 1781cc (1.8) 8v GTI), o 8v supercharged "G60" com opções de tração dianteira e nas quatro rodas, e uma variante homologada para corrida deste, o "Rallye Golf"..

Dotada de injecção electrónica Bosch K-Jetronic (CIS), não demorou até aparecer o primeiro GTi, motor 1.8 16v, desenvolvia 139 cv na versão europeia e 129 no mercado norte-americano.

O Golf Rallye em 1989, o Rallye apareceu como uma versão de "homologação especial " de rally. Distinto pelas abas e "bodykit" alargado (semelhante ao Audi Quattro, BMW M3 E30 e Lancia Delta Integrale) e faróis rectangulares, este modelo apresenta o sistema Syncro de tração nas quatro rodas e uma versão do motor de injecção do motor de 8 válvulas G60 de 1.8 litros.

IMG_20240211_150923.jpg

IMG_20240211_150926.jpg

IMG_20240211_151022.jpg

Modelo real

Modificação na miniatura

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Schabak

Série

Referencia nº 1008 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Germany

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 17:29
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2024

Ferrari F1126 C4 M2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ferrari F1126 C4 M2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1101ª – Ferrari F1 126 C4 1984 Brumm

Ferrari F1126 C4 M2 nº 28 1º Bélgica 29 de abril de 1984 1984 Michele Alboreto

O C3 foi ligeiramente modificado para se tornar o C4 em 1984 e Michele Alboreto juntou-se à equipe para substituir Tambay.

Modelo real

1984 Ferrari 126 C4 M2 Fórmula 1 monolugar Chassi nº 072

O Tipo 126 C da Ferrari representa a evolução dos carros de Fórmula 1 e o primeiro projetado especificamente para acomodar um motor sobrealimentado.

A era turbo estava aí, a proibição do efeito aerodinâmico do solo e a consequente obrigação de todos os carros terem um fundo plano, torna a versão 126 C3 na primeira Ferrari com construção monocoque inteiramente em compósito de carbono, tecnologia desenvolvida na Ferrari pelo engenheiro britânico Harvey Postlethwhaite, ex McLaren.

Erradicados os problemas iniciais do motor V6 aberto de 120°, dando-lhe dois campeonatos mundiais de fabricantes sucessivos em 1982 e 1983.

Para 1984, segundo ano do fundo plano, a Ferrari optou por fazer apenas pequenas alterações ao 126 C3, o 126 C4 parecendo um pouco diferente, embora um pouco mais leve. Nove 126 C4 foram construídos, mas apenas sete (numerados de 071 a 077) foram realmente usados. Os pilotos da Ferrari na temporada de 1984 foram o francês René Arnoux e o italiano Michele Alboreto. Naquela época, o V6 biturbo desenvolvia 650 cv e podia chegar a 1.000 cv na versão de qualificação.

Ambos os carros receberam o nome de 126 C4 M2, tendo o primeiro chassis 126 C4 M de Modificato, surgido na Áustria com modificações nos radiadores, intercoolers e sidepods.

O início de temporada de Alboreto com a Ferrari começou bem, com a vitória na terceira prova em Zolder, a 29 de abril de 1984 onde se tornou o primeiro piloto italiano a conquistar uma vitória em Grande Prêmio pela Ferrari desde Ludovico Scarfiotti em 1966. Nas corridas seguintes abandonou sete vezes nas dez provas e só voltou a subir ao pódio uma vez, na Áustria. Nas últimas três provas obteve dois segundos lugares  em Monza e Nürburgring e um quarto no Estoril. Alboreto foi quarto no Campeonato Mundial de Pilotos, enquanto a Ferrari terminou em segundo lugar no Campeonato de Construtores atras da McLaren

O Ferrari 126 C4 M2 Chassi nº 072 em 1986, a Ferrari foi vendido ao colecionador Piero Tonioli, que nunca usou o carro e o manteve em condições estritamente originais até sua morte em 2007, a família o vendeu para outro colecionador, Lorenzo Prandina.

IMG_20240202_142542.jpg

IMG_20240202_142602.jpg

IMG_20240202_142615.jpg

IMG_20240202_142621.jpg

IMG_20240202_142732.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Brumm

Série Oro

Referencia nº 142 preço1450$00

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País – Itália

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 19:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2024

Ford Sierra RS Cosworth  grupo A - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ford Sierra RS Cosworth  grupo A - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1097ª –  Ford Sierra RS Cosworth  33 Export 88 Trofeu

Ford Sierra RS Cosworth | 33 Export 1988 #11 - D.Auriol - B.Occelli.

Didier Auriol Bernard Occelli

Didier foi Campeão Nacional de Ralis em França, título que já era seu desde 1986.

Modelo real

A homologação FIA obtida no dia 1 de março, leva o Lancia Delta Integrale Grupo A, a iniciar o 22.º Rally de Portugal – Vinho do Porto, a terceira prova do calendário de 1988 do Campeonato do Mundo de Ralis, frente ao rápido BMW M3 E30 e Ford Sierra RS Cosworth, a braços com a greve na Ford no Reino Unido, onde os três principais carros inscritos foram, preparados fora do departamento de corridas de Boreham,  o Sierra de Stig Blomqvist é montado em Carlisle por Mike Little, o de Carlos Sainz em Northallerton por Mike Taylor, enquanto Carro de Didier Auriol da R-E-D de Widnes.

Apesar disso, os carros ingleses alinham-se à partida com o papel de principais antagonistas dos Lancia Deltas oficiais, prontos a explorar a maior potência dos motores Cosworth ao longo das especiais no asfalto.

O cenário dos primeiros quilómetros do rali é no Autódromo do Estoril, Carlos Sainz, com o melhor dos Ford, fica apenas em quarto lugar, atrás do surpreendente Fiorio, em cujo Delta os novos pneus desenvolvidos pela Pirelli parecem funcionar muito bem.

Em Montejunto nos 9,60 km, os dois primeiros são Lancia seguidos dos três Ford, para no Especial n°3 em Figueiró dos Vinhos nos 20,50 km Auriol é mais rápido enquanto Sainz Carlos - Moya Luis abandona.

É quarto em Campelo para na Prova Especial n°5 na Serra da Lousã nos 25,00 km, para em seguida  Didier Auriol, Bernard Occelli para no Préstimo fazerem o mesmo tempo de Markku Alén Ilkka Kivimäki no Lancia.

Didier Auriol Bernard Occelli vence a Especial n°8 em Oliveira de Frades num percurso de 8,40 km e na Prova Especial n°10  em Arouca é segundo nos 22,30 km.

A equipa francesa da Ford, com problemas de travagem, parece ser a única capaz de contrariar os Lancia Deltas oficiais,

Os primeiros lugares são disputados entre Biasion e Auriol: o piloto de Bassano, graças a algumas escolhas de pneus bem escolhidas, consegue avançar de forma decisiva, beneficiando também das dificuldades encontradas pelo seu rival durante o nono troço cronometrado. No final da primeira etapa Miki encontra-se na liderança com um 1'55" sobre o francês que, por sua vez, precede o surpreendente Yves Loubet por apenas quatro segundos, terceiro com o Jolly Club Delta HF 4WD à frente do seu companheiro de equipa Alessandro Florio. A quinta posição fica para Mikael Ericsson, cuja etapa final foi parcialmente arruinada por problemas com o diferencial dianteiro

Na segunda etapa, a superioridade dos Lancias também é evidente na estrada de terra apesar do multo tempo perdido por Markku Alén, permite a  Biasion, graças à vantagem que já acumulou anteriormente sobre os seus perseguidores, pode dar-se ao luxo de não forçar muito. Loubet, apesar da falta de experiência em superfícies de baixa aderência, levou o Delta HF 4WD do Jolly Club para o segundo lugar, ultrapassando Auriol, que sofria de alguns problemas diferenciais para abandonar na PEC16 durante os (26,50 km em Sao Lourenco

Dos três principais pilotos da Ford, apenas Blomqvist terminou a segunda etapa em quinto lugar, apesar de alguns problemas com o turboalimentador

IMG_20240129_142624.jpg

IMG_20240129_142639.jpg

IMG_20240129_142725.jpg

IMG_20240129_143236.jpg

IMG_20240129_143332.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Trofeu

Série

Referencia nº 015 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - Portugal

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 17:23
link do post | comentar | favorito
Sábado, 13 de Janeiro de 2024

Sauber Mercedes C-9 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Sauber Mercedes C-9 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1081ª – Sauber Mercedes C-9 Kouros LM 1987  Max Models    

Sauber C9 #87-C9-02 - Mercedes M117 V8/90° 2v SOHC 4973 cc 2xKKK K27 Johnny Dumfries, Chip Ganassi e Mike Thackwell, Kouros LM 1987 

Modelo real

O Sauber C8 muda os motores BMW e Chevrolet para o motor Mercedes M117 V8 de 5,0 litros e, é substituído pelo Sauber Mercedes C9 em 1987, era um grupo C desenvolvido pela Sauber em colaboração com a Mercedes-Benz, para o World Sportscar Championship.

O carro estreou-se nos 1000 km de Spa-Francochamps, o motor Mercedes, foi mantido o chassis monocoque de liga leve, consideravelmente mais rígido a aerodinâmica aprimorada.

Em Le Mans dois carros foram inscritos pelo Kouros Racing Team como em 1986 e ostentando os mesmos números. O nº 62 foi pilotado por Johnny Dumfries, Chip Ganassi com muita experiência em diversos tipos de competições nos EUA e Mike Thackwell,

Rapidamente concordei em juntar-me à equipa que era conhecida por ter um motor magnífico e um chassis razoavelmente rígido. Há sempre um equilíbrio a ser alcançado em Le Mans durante os treinos livres e a qualificação, seja para decidir sobre o tempo de pista suficientemente partilhado entre os pilotos ou para definir uma afinação de corrida satisfatória para a corrida. Os pilotos querem sempre qualificar-se bem, mas, claramente, a afinação da corrida é essencial em Le Mans. Ganassi, compreensivelmente, ficou frustrado com a falta de tempo de pista durante os treinos, mas permaneci surdo às suas reclamações e, em retrospectiva, bastante antipático. Mike era o tipo de piloto que se concentrava calmamente em seu trabalho e pilotava qualquer máquina para aproveitar ao máximo suas consideráveis capacidades. A primeira impressão do Sauber foi muito boa. Parecia sólido e estável com um motor muito potente. A equipe era certamente inexperiente, mas estava muito entusiasmada. Tendo passado toda a minha carreira em monolugares nessa altura, o Grupo C parecia ter um tempo de reacção lento, mas Le Mans é um circuito rápido com algumas curvas rápidas muito boas, por isso não me senti nada mal. A verdadeira revelação para mim foi pilotar em pista molhada durante os treinos livres. Tínhamos Michelins que foram muito eficazes no molhado. O carro tinha uma aderência impressionante e o impacto de De Mulsanne acelerou facilmente no molhado a 370 km/h, o que foi uma experiência emocionante.

Os Porsche de fábrica obviamente aumentaram a pressão nos turbos e se classificaram na frente em 3,21s.

Os Jaguar TWRs vieram em seguida, por volta de 3.24 e depois houve um Courage isolado.

Fiquei em sétimo com 3,26,5 e Mike foi o próximo com 3,27,4. Na altura as 24 Horas de Le Mans eram extremamente importantes para a Porsche e eles sempre quiseram dominar todos, tinham lá um registo fantástico. Quando percorremos a grelha de partida encontrámos um número impressionante de equipas na categoria principal, a C1, com as jovens equipas Nissan e Toyota nos seus primeiros anos.

Não fomos muito longe na corrida. Algumas horas de corrida após a largada, na quarta hora, uma falha mecânica, caixa de velocidades, acabou com minhas esperanças, mas não antes de marcar a melhor volta da corrida em 3.25.4. Eu não tinha compreendido totalmente o conceito de corridas de resistência e, em retrospecto, deveria ter sido muito mais gentil com os mecânicos.

IMG_20240113_144822.jpg

IMG_20240113_144831.jpg

IMG_20240113_144909.jpg

IMG_20240113_144943.jpg

IMG_20240113_144954.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Max Models  / Danhausen Model Car

Série Limited Editon 3000 peças 

Referencia nº 1008 /3000 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - West Germany, fabricado em França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 19:51
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2024

Ferrari 308 GTB Olio Fiat - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ferrari 308 GTB Olio Fiat - Um olhar sobre as minhas miniaturas

1078ª – Ferrari 308 GTB Olio Fiat Vitesse   

Ferrari 308 GTB Olio Fiat Nº 3 Rally 4 Regioni 1981 Mauro Pregliasco / Mauro Mannini 2º classificado.

Aqui, o Ferrari 308 GTB Pioneer

https://manueldinis.blogs.sapo.pt/ferrari-de-ralis-um-olhar-sobre-as-1767341

agora o

Ferrari 308 GTB Óleo Fiat

Modelo real

Rally 4 Regiões 1981: a façanha de “Cavallo Pazzo” e o “curioso” presente do Drake em Pregliasco

  Daniele Sinatra 21 de março de 2021 0

O Rally das 4 Regiões a realizar entre 14. 5. a 16. 5. de 1981 conta entre  eles com Vudafieri Adartico - Bernacchini Arnaldo, Cerrato Dario - Guizzardi Luciano, Béguin Bernard - Lenne Jean-Jacques, no Fiat 131 Abarth, Cinotto Michele - Radaelli Emilio no Audi, Tabaton Fabrizio - Genovesi Marco no Lancia Stratos

Os Ferrari de Michelotto foram confiadas a Jean-Claude Andruet/ Emanuelli Denisee Mauro Pregliasco/ Mauro Mannini Mauro. Roberto Liviero  - Paolo Spollon também participa  com um Ferrari.

Pregliasco, depois da retirada oficialmente dos ralis da Alfa Romeo , utilizava o Stratos da Rothman,. Para o Rally das 4 Regiões, acordou com Michelotto que lhe confiou gratuitamente um dos seus carros, desde que fosse estipulado um contrato de seguro contra danos no valor de 80 milhões de liras (o Ferrari 308 pronto para correr preparado de Michelotto custou bem 100).

A prova começa com Tabaton e os Stratos ditando a lei. No entanto, o porta-estandarte da Lancia foi ultrapassado pelo surpreendente Pregliasco que também venceu algumas provas especiais. Em vez disso, Jean-Claude Andruet recebe uma penalidade de dois minutos, depois de autoadio pelos carabinieri por condução perigosa quando estava apenas a aquecer os pneus,

A Ferrari perde terreno e para os Opel de Lucky e Tony com as Ferrari a persegui-los. Tabaton se aposenta com o Stratos.

Durante a segunda etapa Lucky abandona e Tony sofre um furo. Pregliasco lidera, seguido por Andruet Jean-Claude - Emanuelli Denise com apenas 52 segundos.

O Circuito Cecima é a nova etapa especial, já se encontra repleta de espectadores que pagaram para assistir á prova especial, num circuito acidentado e desafiante, com muitas subidas e descidas ao longo de 15Km, a repetir três vezes, num total de 45 quilómetros.

Pregliasco lidera, mas Andruet na primeira volta recuperou 20 segundos e na segunda volta Andruet recuperou mais 20 segundos a Pregliasco. No final da terceira volta Andruet assume a liderança e vence com 5 segundos de vantagem sobre Pregliasco. Em 45 quilômetros recuperou 57 segundos do piloto italiano, feito a qual se acrescentam algumas periecias .

IMG_20240111_141308.jpg

IMG_20240111_140828.jpg

IMG_20240111_140915.jpg

IMG_20240111_141251.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Vitesse

Série Limited Edition

Referencia nº 1294/5000 preço

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização e expositor plástico.

País - Portugal

Anos de fabrico  a

 

 


publicado por dinis às 18:17
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Renault 5 Maxi Turbo - Um...

. Ford Capri Turbo III - Um...

. Porsche 935 K3 - Um olhar...

. Sauber Mercedes C9 - Um o...

. Chevrolet Corvette- Um ol...

. Volkswagen Golf - Um olha...

. Ferrari F1126 C4 M2 - Um ...

. Ford Sierra RS Cosworth  ...

. Sauber Mercedes C-9 - Um ...

. Ferrari 308 GTB Olio Fiat...

. Ford Sierra RS Cosworth A...

. Ford Sierra Cosworth - Um...

. Jaguar que venceu Daytona...

. Mercedes Benz 190 E 2.3 1...

. Ferrari Testarossa um bes...

. Mc Laren Honda - Um olhar...

. Ferrari de ralis - Um olh...

. Volvo 440 - Um olhar sobr...

. Ferrari 348 TB - Um olhar...

. Mercedes Benz SL da Diana...

. Ferrari GTO Evolution - U...

. Ford Sierra Cosworth Vila...

. Rolls Royce Corniche fech...

. Mercedes Benz 190 E - Um ...

. Volvo 480 ES Turbo - Um o...

. Mercedes Benz 190 Snobec ...

. Lancia Delta - Um olhar s...

. Bentley Continental fecha...

. Ferrari F 40 - Um olhar s...

. Porsche 944 - Um olhar so...

. Chevrolet Corvette Pace C...

. Chevrolet Camaro 1983 - U...

. Mercedes Benz 190 16 S - ...

. Lada Samara- Um olhar sob...

. Porsche 956 ou 962 - Um o...

. Porsche 935 K3 - Um olhar...

. Porsche 930 Flatnose  - U...

. Renault 5 Turbo - Um olha...

. Ferrari 288 GTO 1984 - Um...

. Peugeot 205 T16 - Um olha...

. Ford Sierra XR4i - Um olh...

. Lancia 037 - Um olhar sob...

. Peugeot 205 T16 Evo 2 - U...

. Audi 90 quatro - Um olhar...

. Renault Turbo cabrolet- U...

. Ford Escort III serie - U...

. Land Rover Longo - Um olh...

. Audi quatro - Um olhar so...

. Porsche 911 SC - Um olhar...

. Mercedes 190E 2,6 16 Ayrt...

.arquivos

. Abril 2024

. Março 2024

. Fevereiro 2024

. Janeiro 2024

. Dezembro 2023

. Novembro 2023

. Outubro 2023

. Setembro 2023

. Agosto 2023

. Julho 2023

. Junho 2023

. Maio 2023

. Abril 2023

. Março 2023

. Fevereiro 2023

. Janeiro 2023

. Dezembro 2022

. Novembro 2022

. Outubro 2022

. Setembro 2022

. Agosto 2022

. Julho 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub