Segunda-feira, 23 de Abril de 2018

Bugatti

Bugatti

Como teriam sido as passagens de António Guedes Herédia antes da vitória em 1934 ou Leopoldo Roque da Fonseca …

Edward K Raison e Jorge de Monte Real 1936…

novamente Jorge Monte Real 1937 ou Henrique Lehrfeld

 

 

 


publicado por dinis às 14:57
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 15 de Agosto de 2014

1927 Bugatti Type 35 Pur Sang Replica - Jay Leno's Garage

1927 Bugatti Type 35 Pur Sang Replica - Jay Leno's Garage

 

 

E como não há uma sem duas, vão mais situações que os nossos pais e avós viram e nós a tentar estar como Jay Leno e regressar aos anos 30

Alfredo Marinho Júnior Bugatti 35 C -  1932 e 1933

Leopoldo Roque da Fonseca Bugatti 37 1934

Edward K. Rayson Bugatti 35 C 1936

Jorge Monte Real Bugatti 35 C  1936 e 1937

Henrique Lehrfield Bugatti 35 B 1937

Jorge Monte Real Bugatti 35 C 1937

 


publicado por dinis às 22:09
link do post | comentar | favorito

1932 Alfa Romeo Monza Replica - Jay Leno's Garage

1932 Alfa Romeo Monza Replica - Jay Leno's Garage

 

O que os nossos pais e avós viram e nós a tentar estar como Jay Leno..

Uma pálida imagem do que seria então a Alfa Romeo 8 C Monza de Vasco Sameiro, durante a década de 30 quando dominou o automobilismo português e foi a rainha em Vila Real

E com faróis como em 1938 e a cor de preferência de Vasco Sameiro, uma vez que só em 1933, utilizou a cor amarela.  

 

A Alfa Romeo de Vasco Sameiro

 

1º em 1933

1º em 1936

1º em 1937

1º em 1938

ou se preferirem a Alfa Romeo de Soares Mendes no ano de 1936, Benedicto Lopes em1937 ou Anthony Powys-Lippe, no mesmo ano.

 

 

Pur Sang Argentina

http://www.pursangweb.com/

1932 ALFA ROMERO MONZA PUR SANG

 

 

 
 

 


publicado por dinis às 19:42
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Agosto de 2013

Vencedor do Circuito de Vila Real, mora no Museu do Caramulo

Vencedor do Circuito de Vila Real, mora no Museu do Caramulo

 

Em qualquer altura do ano poderá visitar ou conhecer o Bugatti T 35 B de 1930, que venceu o circuito de Vila Real em 1934, pilotado por António Herédia.

Era o modelo mais potente da Bugatti e que mais vitórias conquistou nos grandes prémios nos finais dos anos 20, tendo sido fabricadas apenas 40 unidades, até ao final de 1931, foram registados 31 Bugatti em Portugal

Adquirido por Henrique Lehrfeld em Paris em 1930, fez a estreia do seu novo Bugatti a 4 de Agosto de 1930, no "Quilómetro de Arranque de Setúbal" com uma vitória a 118 km/h.

Participou em inúmeras provas, conseguiu o recorde nacional do "Quilómetro Lançado" alcançado no Mindelo, a 9 de Novembro de 1930, à média de 194,122 km/h,  

De destacar

3.º lugar na "Rampa da Rabassada" (Barcelona),

5.º lugar no "G.P. de la Baule" (França)

o 2º lugar da geral na "Gávea" (Rio de Janeiro) em 1935.

Em 1934 obteve a vitória mais importante no Circuito de Vila Real, desta vez conduzido por António Guedes Herédia,

Voltou ao circuito de Vila Real em 1937, e com o seu proprietário, Henrique Lehrfeld, foi 6º classificado Categoria Corrida,

Um destes cartazes recorda-me a primeira visita que efectuei com os meus pais ao Museu, depois de muito insistir, mais uma promessa cumprida, após as férias na praia de Vieira de Leiria. Foi certamente o meu primeiro contacto com tão fantástico bólide.

 

A 15/01/1987 na revista Auto Mundo, vejo a primeira foto  do Bugatt em prova, a ilustrar a entrevista realizada por Luís Pinto de Freitas, sob o título “D. António Herédia o que é feito de si?” aparece uma foto do Bugatti, que o entrevistado utilizara na prova vila-realense.

A dada altura, pode ler-se na entrevista : “Fui várias vezes a Vila Real, a primeira vez num MG, em que tive o azar de me cair o carburador, e acabei em 5º. No ano seguinte fui na “Bugatti” do Lehrfield  que é hoje do DR. João Lacerda”.

 

 Um dos postais editado pelo Museu do Caramulo, no qual fiquei a conhecer a cor do bólide.

 

Uns anos mais tarde, no Nº 1 da revista Auto Clássico, de Janeiro de 1992, o Bugatti é capa de revista e é lá que fico a conhecer algumas das suas características:

8 cilindros com compressor

2261 c.c.

140 HP

209km/h

E onde se destaca uma importante participação “nomeadamente em 1969 no desfile histórico antes das 24 horas de Le Mans , dando 7 voltas ao circuito,”

 

A revista Automotor, em 1993 sob o tema: " Frente a frente-Compressor e turbo-Gerações Bugatti em confronto o passado e o presente das tecnicas de sobrealimentação utilizadas pela mitica Bugatti " o confronto entre o Bugatti EB 110 e o T 35B da autoria de Tiago Farias e fotos Bugatti e Kevin KniGHT. 

 

No 1º número do Jornal dos Clássicos, encontro um artigo de João Lacerda, publicado em Março de 1996 e sob o tema “A Bugatti é a minha paixão” refere os Bugatti que correram em Portugal, constata uma realidade,  ” Confirmadamente , hoje é sabido que os modelos iguais ao meu 35B saíram de fabrica em numero de 40, entre 1927 e 1930, numerados como Bugatti verdadeiros . Nem mais um. Sabemos hoje, comprovadamente que existem 48! O que só pode garantir que 8 terão sido “inventados”  e que , dos originais 40 decerto que  volvidos estes anos todos alguns desapareceram. Portanto em que ficamos?”

 

Numa das minhas visitas ao

 Museu do Caramulo, no século passado, quando ainda estava muito bem acompanhada

Matricula: AA-02-52

Type 35 B 1930

Henrique Leherfel

João Lacerda

e

Matricula: S-1523 ,AB-15-23

Type 35 A 1926

Abílio Nunes dos Santos

Jacques Touzet

 

                                                                             FICHA TÉCNICA

                Ano       1930

                País        França

                Potência              135 CV

                Nº. de Cilindros                8

                Cilindrada           2.262 c.c.

                Velocidades       4

                Peso      750 Kg

                Velocidade máxima       208 Km/h

                Nº. de Chassis   4952

                Nº. de Motor    209 TC

 

 

Em Junho de 2001, no Jornal dos Clássicos enontramos novamente o mitico automóvel, num texto de Adelino Dinis e fotos de Fábio Praça

Bugatti 35 B Puro sangue de corrida

A Esfinge Azul

“O Bugatti 35 B a ultima evolução do mítico Type 35 o modelo mais importante da historia da marca. O exemplar que se encontra no museu do caramulo é um dos mais originais do mundo e é um dos automóveis mais importantes da historia do nosso automobilismo”,

 

Voltou novamente a Vila Real em 2004, aquando do Vila Real Revival  como nos mostra  e ou relembra  a foto gentilmente cedida por Rui Queiroz.

 

Caramulo 2008

 

 

http://manueldinis.blogs.sapo.pt/155911.html

Em 2012 durante a visita ao museu, integrada no Passeio de Clássicos Lamego Caramulo.

 

 

Auto Vintage nº 25 Setembro 2012

Bugatti e Caramulo um casamento perfeito

Bugatti T 35 B a fundo com texto de Pedro Diogo e fotos de Rui Correia.

 

“ Poder conduzir um carro de “Grand Prix” e ainda por cima dos tempos em que os pneus eram estreitos e os pilotos é que eram largos é, acredite-se, uma das sensações mais incríveis que alguém pode experimentar) … (Enquanto é preparado para o pequeno teste – é preciso fazer mesmo muita coisa - não me canso de olhar para um dos automoveis em que não bastou ser superior aos riveis da época de forma esmagadora, tambem foi /´um dos mais bonitos de sempre !)…( primeiro ao lado de Tiago Patrício Gouveia, que, como sempre, irá pacientemente explicar-me como é que se anda naquilo)…”. 

Agora é possível admirá-lo no Museu do Caramulo ou anualmente durante o seu Motorfestival no início de Setembro.


publicado por dinis às 23:31
link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Outubro de 2011

Cartaz do IV Circuito de Vila Real 1934

Cartaz do IV Circuito de Vila Real 1934 automoveis

 

 

In. Ordem Nova

 

17 de Junho corridas de automóveis

 

 

Selo alusivo ao acontecimento

 

Novamente recorro a O Volante para antecipar um pouco da prova;

 

 

“ Provas nacionais

No primeiro dia terá lugar uma grande corrida de motocicletas e no segundo uma importante prova de automóveis compreendendo as categorias «corrida», «sport», e «turismo», em que serão disputados prémios no valor total de 23 contos.

Dois dos mais valiosos números do programa das festas da cidade de Vila Real, que se efectuam de 12 a 18 do corrente mês, são sem dúvida as importantes corridas de motocicletas e automóveis, que se realizam respectivamente nos dias 16 e 17, sábado e domingo portanto.

Ao referimo-nos a estas duas prova, e muito especialmente à de automóveis, não o fazemos pelo simples dever que incumbe a uma revista de automobilismo, de noticiar as manifestações dessa modalidade desportiva que constituem o calendário nacional, mas sim porque o Circuito de Vila Real, que este ano se disputa pela 4ª vez, merece, de facto, uma referencia muito especial por qualquer dos aspectos que seja encarado.

Há uns anos passados, quando o automobilismo começou a ter um maior desenvolvimento entre nós, em várias terras se realizaram interessantes provas de circuito, as quais, porem, não tiveram continuação nos anos seguintes.

Ora com o circuito de vila Real não sucedeu o mesmo. Essa corrida, que se tornou uma das provas certas do programa nacional, já se realizou em três anos e volta agora a disputar-se. E, o que a torna mais valiosa e granjeia aos seus organizadores os mais merecidos elogios, e que de ano para ano, essa prova tem tido uma organização mais perfeita, o seu percurso, sempre o mesmo, tem sido consideravelmente melhorado, e os prémios consideravelmente melhorados, etc..

E, contudo, triste é constatá-lo, os nossos automobilistas não têm querido ou sabido corresponder ao esforço, à boa vontade e ao trabalho desinteressado dos seus organizadores, porque as inscrições nunca afluíram em número compensador, em número relativo ao valor da prova.

Pois, em nosso entender. o circuito de vila Real é, incontestavelmente, uma das mais interessantes corridas portuguesas e bem merece que o Automóvel Club a olhe e encare como tal, dada a regularidade anual da sua realização, o percurso que de época para época vem sendo melhorado, o valor dos prémios, que constitue uma dotação importante.

No percurso do circuito, tal como já hoje se encontra, não seria desairoso organizar uma grande corrida internacional, pois em algumas importantes provas estrangeiras o percurso não é tecnicamente mais favorável.

O Automóvel Club de Portugal, que vem pensando e já tem anunciado a realização do seu Grande Prémio, tem encontrado sempre a dificuldade dum circuito adequado.

Ora o que se não pode negar é que o Circuito de Vila Real seria, dentro de todos os que já tem sido experimentados, o mais apropriado, tecnicamente, para uma competição de grande vulto, com a participação de corredores estrangeiros, como deve ser o Grande Prémio do nosso Automóvel Club.

Uma vez que não possa ser este ano, como é natural, que tenhamos já em 1935, o nosso Grande Prémio, são os votos sinceros de O Volante.”

 

 

 

    

 


publicado por dinis às 23:27
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Bugatti

. 1927 Bugatti Type 35 Pur ...

. 1932 Alfa Romeo Monza Rep...

. Vencedor do Circuito de V...

. Cartaz do IV Circuito de ...

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS