Quinta-feira, 30 de Setembro de 2021

Fuchs Racing - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Fuchs Racing - Um olhar sobre as minhas miniaturas

346ª – Fuchs Racing Ribeirinho transformado

Modelo real

História do veículo:

Os Fuchs são monolugares da Fórmula V  e Super V projetados e construídos na Alemanha por Heinz Fuchs Rennsportwagenbau em Rüdesheim perto de Stuttgart entre 1965 e 1976.

Heinz Fuchs fabricou e vendeu entre 1965 e 1976 cerca de 240 veículos na Alemanha da Fórmula Vau / Super Vau. A maior parte, eram vendidos prontos para a corrida. Mas, mediante solicitação também disponibilizava kits compostos por quadro, revestimento, assento e direção.

Hoje ainda existem cerca de 60 veículos.

Fuchs Racing

Para este carro Fuchs Racing foi usado um chassis Fuch à qual foi incorporada uma carroçaria leve.   

A potência média do motor de um Super V de 125 cv deve ser melhorada por um turbo alimentador.

Carro contruído de forma fácil e barata e com travões de tambor. Os pneus são comparativamente mais complexos da Goodyear num formato super vee (Vron 400 / 930-13 traseiro 425 / 950-13). Os aros têm de largura de 6 e 8 polegadas.

O motor foi preparado pelo soldado norte-americano R. Gglass, do Tennessee, e seu desempenho foi bom, mas complicado. O motor tem vibrequim com rolamento de rolos com curso original de 69 mm (SPG), o diâmetro do cilindro foi totalmente expandido para 96 ​​mm com cilindros japoneses de metal leve e pistões correspondentes, para uma capacidade de 1833 cc. O motor de curso extremamente curto, possui dois carburadores duplos (Solex 40PII-4). Ele respira através de válvulas alargadas, entrada 40, saída 35 a operação é baseada em um eixo de fórmula vau de design mais antigo.

O motor, que é amplamente ajustado para uma boa força de tração, deve atingir uma potência de 120 cv a 5500 rpm. e é  uma base perfeitamente aceitável. Ele pesa apenas 420 kg e, portanto, pode ostentar o nível de potência mais respeitável de 3,5 por hp. Um turbocompressor está previsto.

Modificação na miniatura

Alargado e contruído um chassis  

Rodas da Mebetoys

IMG_20210929_191105.jpg

IMG_20210929_191126.jpg

IMG_20210929_191136.jpg

IMG_20210929_191149.jpg

Miniatura

Interior detalhado

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante   Ribeirinho

Série

Referencia nº

Material – plástico

Material da placa de base – plástico .

País – Portugal

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 23:14
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 29 de Setembro de 2021

Stutz Bearcat 1931 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Stutz Bearcat 1931 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

345ª – Stutz Bearcat 1931 Matchbox

O automóvel para os estudantes americanos

 Na caixa podia ler-se

“Stutz Beacart 1932 O dois lugares Bearcat cujo preço era de 4995 dólares com 155 cv para uma velocidade garantida de 160Km/h. É em 1931 que recebeu as últimas aperfeiçoamentos como a introdução de árvores de cames à cabeça duplas DV 32 e quatro válvulas por cilindro. Esta viatura foi na época uma das mais em voga pelos estudantes americanos dos anos 30.”

Modelo real

O termo Bearcat foi aplicado pela primeira vez num Stutz de corrida em 1914.

Os ventos não estava favoráveis à Stutz Motor Company então o nome Bearcat foi novamente usado como uma forma de aumentar as vendas para se recuperar ao pânico da Grande Depressão.

Em 1931, a Stutz Motor Company estava a contar com o sucesso do primeiro carro esportivo da América, o Bearcat, Stutz continuou produzindo carros, mas foi o começo do fim para a marca

O modelo DV-32 “dual valve” recebeu o nome devido à sua cabeça de cilindro de "válvula dupla" com duas árvores de cames à cabeça e quatro válvulas por cilindro. Quando instalado no antigo motor ‘Vertical Eight’, a potência foi elevada para 156 cv. mas, estava abaixo de Cadillac, Marmon e Duesenberg em potência, a potência específica do motor era muito maior.

O Stutz DV-32 Boattail Speedster 1931, um carro de luxo curvilíneo de nariz comprido que foi orgulhosamente comercializado por quase US $ 6.500, uma soma real na época. Acredita-se que apenas seis dos Stutz DV-32 Boattails sobraram. Três deles tinham carroceria Fleetwood e os outros eram de carroceria Weymann. Um daqueles Boattails carroçados por Weymann está em exibição no Cussler Museum em Arvada, Colorado, nos arredores de Denver.

No mesmo ano, o "Super Bearcat" com motor DV-32, oferecia proteção total contra as intempéries e maior desempenho. Com uma distância entre eixos de 116 polegadas (2.900 mm), com uma pequena carroceria de roadster, às vezes revestida de tecido pela Weymann. Com essas pequenas dimensões, o carro poderia atingir 145 km / h. esses carros foram construídos para pilotos que gostavam de um desempenho semelhante aos carros de corrida de Stutz.

No total, apenas 10 Super Bearcat foram produzidos.

A produção de Stutz terminou em 1934.

IMG_20210929_021400.jpg

IMG_20210929_021541.jpg

IMG_20210929_021754.jpg

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante  Matchbox  by Lesley

Série Models of Yesteryear

Referencia nº Y 14

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Inglatera

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 22:47
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 28 de Setembro de 2021

Jeep da Champion - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Jeep da Champion - Um olhar sobre as minhas miniaturas

344ª – Jeep Champion

U.S Ranger Police Commissioner

Modelo real

Willys Jeep MB/Ford GPW

Ainda o protótipo Bantam estava a ser testado em Holabird entre 27 de Setembro a 16 de Outubro, e os representantes da Ford e Willys a observar o veículo e seu desempenho, já o Departamento de Guerra dos Estados Unidos lhes enviava s projeto da Bantam para serem produzidos.

O Willys MB e o Ford GPW eram veículos utilitários militares para o todo o terreno, num projeto para os Estados Unidos e as forças aliadas na Segunda Guerra Mundial de 1941 a 1945.

A partir de Janeiro de 1944, os recursos de ambos os projetos foram integrados devido às circunstâncias caóticas da guerra.

Charles K. Hyde escreveu: "Em muitos aspectos, o jipe ​​foi o veículo icônico da Segunda Guerra Mundial, com uma reputação quase mitológica de resistência, durabilidade e versatilidade."

O jipe ​​ continuou, até ser atualizado na forma do M38 Willys MC e M38A1 Willys MD, em 1949 e 1952 respectivamente, e o Ford recebeu um redesenho completo na forma do jipe ​​M151 apresentado em 1960.

 O jipe exerceu a sua influência, em outros fabricantes no mundo a princípio principalmente para fins militares, mas depois também para o mercado civil. A Willys adaptou o MB para o Jeep CJ-2A para as necessidades agrícolas do mercado civil em 1945 naquele que foi o primeiro veículo civil com tração nas quatro rodas produzido em massa.

Actualmente Jeep completa o seu 80º aniversário é é uma marca própria.da Stellantis.

Modificação na miniatura

Rodas da Ribeirinho

IMG_20210928_142017.jpg

IMG_20210928_142044.jpg

IMG_20210928_142110.jpg

IMG_20210928_142759.jpg

Miniatura

A compra de moldes da France Jouet, que pela sua simplicidade permitiam diminuir os custos de produção aliadas a decorações atraentes e variadas permitiram chegar a um público mais diversificado e menos luxuosos que as lojas de brinquedos.

Interior pouco detalhado e sem volante

Sem suspensão.

As rodas são de plástico e rápidas.

Fabricante Champion by Safir

Série

Referencia nº

Material – zamac

Apresentado em vitrine plástica transparente e em caixa para serem vendidos avulso.

País - França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 23:21
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021

Datsun 260 Z - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Datsun 260 Z - Um olhar sobre as minhas miniaturas

343ª –  Datsun 240Z Corgi Toys modficado

240 ou 260?

Modelo real

Rampa da Pena 1975

A crise dos combustíveis interrompeu por dois anos a Rampa da Pena, em Guimarães, iniciada em 1936.

A 17ª edição da rampa contava para os Campeonatos Nacionais de Velocidade e Regional de Promoção (velocidade) contou com a presença de um Datsun 260Z, um dos três Nissan participantes no Rali de Portugal e deixados em Portugal. Um deles foi oferecido a José Megre como apreço pelo seu trabalho de quase cinco anos no desenvolvimento de viaturas Datsun em Portugal.

É o regresso às pistas de José Megre em 1975, num carro, adaptado por si para as corridas de velocidade de grupo 4, com cerca de 3000 cavalos e três litros de cilindrada.

Inscrito pelo Team RC foi o mais rápido nos treinos (1'53''94)

Na primeira subida, um toque, na curva onde está fotografado, terá afectado o seu andamento e foi segundo com 1'55''32, logo atrás de Robert Giannone no Aurora Porsche protótipo.

Modificação na miniatura

Alargado e retirados os para-choques e a aguardar mais fotos.

Rodas Minilite da 3J

IMG_20210927_004302.jpg

IMG_20210927_004536.jpg

IMG_20210927_004611.jpg

IMG_20210927_005145.jpg

Miniatura

Abre as portas.

Interior detalhado

Sem suspensão.

Fabricante Corgi Toys

Série

Referencia nº 394

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - Inglaterra

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 19:34
link do post | comentar | favorito (1)
Domingo, 26 de Setembro de 2021

Citroen GS Camargue Bertone - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Citroen GS Camargue Bertone - Um olhar sobre as minhas miniaturas

342ª – Camargue Bertone Norev

A versão especial do GS

 Modelo real

A Citroën lançou o GS em 1970 e no Salão de Genebra em 1972, a Bertone com os traços gerais do carro de Marcello Gandini apresentou o concept car Camargue, uma espécie de versão coupé do GS com 2+2 lugares.

O protótipo tinha 4.115 mm de comprimento, 1.680 mm de largura e somente 1.150 mm de altura.

A lembrar o Citroen além do emblema tinha uns pequenos faróis, a traseira com um grande teto de vidro que se prolongava pelas janelas laterais e um para brisas arredondado a destacar a enorme superfície envidraçada.

O motor dera um 4 cilindro com apenas 1.0 litro, de 55 cv. O painel, a famosa suspensão hidropneumática, assim como o sistema de freios e a direção são do GS.

A primeira colaboração entre Bertone e Citroën, que mais tarde produziu o BX.

O nome Camargue  apareceu mias tarde na Rolls-Royce.

IMG_20210926_013222.jpg

IMG_20210926_140914.jpg

IMG_20210926_141015.jpg

IMG_20210926_141142.jpg

Modificação na miniatura

Pintado na época.

Miniatura

Abre as portas,

interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Norev

Série M

Referencia nº 814 e plástico 182

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 22:52
link do post | comentar | favorito
Sábado, 25 de Setembro de 2021

Mercury Cougar - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Mercury Cougar - Um olhar sobre as minhas miniaturas

341ª –  Mercury Cougar Matchbox King Size

A recordar o pequeno Matchbox que tantas alegrias me deu e que entretanto dei, vendi ou troquei com um ralhete da minha Mãe.

 Modelo real

A febre dos muscle car foi iniciada com o Muntang que usavam motores V8 cada vez mais potentes não passou despercebido à divisão Lincoln-Mercury habituada a produzir os mesmos carros da Ford Motor Company mas, mais sofisticados e luxuosos para uma clientela avida por grandes cilindradas, com trocas de motor, suspensões atualizadas, freios grandes e outras coisas mais.

O Cougar é um coupé de duas portas, com a silhueta a lembrar o Mustang, com uma frente e uma traseira muito elegante e agressivas com os faróis escondidos por uma falsa extensão da grade de frisos verticais foi apresentado no Salão de Paris em 1966, em coupé e hard top.

O Cougar, puma em português é uma analogia felina à palavra mustang, uma raça de cavalos selvagens.

Primeira geração 1967 a 1970

Um dos poucos componentes compartilhados com o Mustang eram os V8. Para o ano modelo de 1967, o preço base do Cougar incluía a versão de 200 cv do V8 de 289 cid. Nenhuma versão de 6 cilindros foi oferecida. Fazendo backup do motor básico havia uma transmissão manual de 3 marchas, uma automática de 3 marchas ou um manual de quatro marchas. Aqueles que procuram um pouco mais de vitalidade podem optar pela versão de quatro cilindros de 225 hp de código A do 289 V8.

Havia ainda mais desempenho disponível com o S-code 390 cid / 330 cavalos V8 de bloco grande, que estava disponível apenas com a transmissão automática ou manual de quatro velocidades.

Para conhecedores e que gostavam de acelerar, havia alguns (acredita-se que sejam menos de 25) Cougars equipados com o lendário R 427 V8..

O Cougar XR-7 era a versão mais luxuosas com interior em couro, tablier em madeira e tampos das rodas especiais.

O Cougar GT estava equipado de travões de disco á frente 

O Cougar GT E era o mais desportivo com uma bossa no capot e os envolvimentos da roda e exclusivamente com caixa automática. 

Além do Mercury Cougar Dan Gurney Special

Havia também um Dan Gurney Special, um pacote opcional para o modelo básico a lembrar as corridas da Trans-Am de 1967 e 1968, Dan Gurney e Parnelli Jones onde  a dupla terminou 1 e 2 em vários eventos. Para comemorar essas conquistas, foi criada uma edição especial do XR-7G que incluía todos os recursos da base do XR-7, emblemas especiais, pinos e concha do capô, além de um tampo de vinil Oxford com teto solar.

IMG_20210925_150549 (1).jpg

IMG_20210925_150615.jpg

IMG_20210925_150703.jpg

Miniatura

Abre as portas.

Os bancos são rebatíveis.

Motor e interior detalhado

Sem suspensão.

A direcção move-se com os dedos

As rodas têm pneus de borracha

Fabricante Matchbox

Série King-Size

Referencia nº K 21

Material – zamac

Material da placa de base – metal

A base está cravada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País – Inglaterra

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 22:47
link do post | comentar | favorito

Rampa de Santa Luzia 2021 parte 6

Rampa de Santa Luzia 2021 parte 6

Preparação para o início da subida da Rampa de Santa Luzia

IMG_20210911_144940.jpg

IMG_20210911_144952.jpg

IMG_20210911_145018.jpg

IMG_20210911_145051.jpg

IMG_20210911_145059.jpg

IMG_20210911_145111.jpg

IMG_20210911_145122.jpg

IMG_20210911_145408.jpg

IMG_20210911_145423.jpg

IMG_20210911_145431.jpg

IMG_20210911_145447.jpg

IMG_20210911_145503.jpg

IMG_20210911_145518.jpg

IMG_20210911_145530.jpg

IMG_20210911_145553.jpg

IMG_20210911_145559.jpg

IMG_20210911_145603.jpg

IMG_20210911_145621.jpg

IMG_20210911_145633.jpg

IMG_20210911_145503 (1).jpg

IMG_20210911_145518 (1).jpg

IMG_20210911_145530 (1).jpg

IMG_20210911_145553 (1).jpg

IMG_20210911_145639.jpg

IMG_20210911_145656.jpg

IMG_20210911_145704.jpg

IMG_20210911_145735.jpg

IMG_20210911_145742.jpg

 


publicado por dinis às 19:15
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021

Ford Escort Mk2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Ford Escort Mk2 - Um olhar sobre as minhas miniaturas

340ª – Ford Escort l MK2 Solido

O anterior é bem mais bonito !...

Modelo real

O modelo Escort nasceu em 1968 e muda de carroceria em 1974

O Ford Escort MK2 foi criado pela secção da Ford Anglo-Germânica é mais quadrado e apareceu em Janeiro de 1975 mas os primeiros modelos saíram das linhas de produção a 2 de Dezembro de 1974.

A gama alemã apresenta um modelo mais económico, o Escort 940 com um motor de 939cc. para merceados como o francês e o italiano.

Na gama britânica os modelos são muito próximos dos alemães.

A geração MK2 foi produzida de 1975 a 1979, na versão 1100,1300 e as versões desportivas 1600 modelo que substitui o México, RS 1800 e RS 2000.

O Ford Escort MK2, que brilhou nos ralis nas décadas de 70 e 80.  A segunda geração do Ford Escort estará para sempre associada aos ralis do Campeonato do Mundo que venceu, em 1979 e 1981, com Björn Waldegard e Ari Vatanen, respectivamente

Ford Escort RS1800 venceu o 13º Rallye de Portugal Vinho do Porto em 1979 com Hannu Mikkola/Arne Hertz   

Foi produzido na Austrália, Nova Zelândia, Africa do sul e Israel.

IMG_20210924_150646.jpg

IMG_20210924_141707.jpg

IMG_20210924_141822.jpg

Miniatura

Abre as portas.

Os bancos são rebatíveis.

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série Gam 1

Referencia nº 45/76

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França 

Anos de fabrico 1976

 


publicado por dinis às 19:40
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Setembro de 2021

Delage D8 120 Carrosserie Chapron - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Delage D8 120 Carrosserie Chapron - Um olhar sobre as minhas miniaturas

339ª –  Delage D 8 120 1939

Carrosserie Chapron

Modelo real

Pierre Louis Delâge, num dos pioneiros do automóvel, em criança, perdeu a visão de um olho mas, formou-se em engenharia e trabalhar para a Renault

Em 1905 abriu uma fábrica de montagem num celeiro reformado em Levallois, nos arredores de Paris..

Antes da guerra trabalhava quase exclusivamente para milionários mas cada vez mais tinha dificuldades em encontrar clientes para os seus automóveis lindamente projetadas, extremamente caros.

A falência foi inevitável em 1935 e adquirida pela rival Delahaye, que o afastou definitivamente.

Para os modelos D8-100 e D8-120 que se seguiram em 1936, um novo motor de oito cilindros exclusivo da Delage foi desenvolvido. Essas máquinas top estava agora equipadas  com chassis originários da Delahaye.

Utilizando o motor de corrida de seis cilindros em linha de Delahaye como base, o engenheiro Jean François criou um novo motor de oito cilindros em linha. Com uma cilindrada de pouco mais de 4,3 litros, era equipado com válvulas suspensas e um único carburador produzia cerca de 105 cv, que combinava com o motor D8 original da Delage, lançado na virada da década. Outra influência Delahaye foi o uso da caixa de câmbio Cotal semiautomática com quatro marchas para a frente.

Como a maioria dos carros de luxo da época, o novo D8 estava disponível apenas com chassis, o cliente poderia escolhia o seu construtor para a carroçaria. Chapron foi a escolha natural para um design mais discreto, enquanto nomes como Pourtout e Letourneur & Marchand forneceram os corpos mais extravagantes. Surpreendentemente, poucos D8s foram enviados à Figoni & Falaschi para o trabalho em metal.

Em 1938, a gama D8 foi alargada com o D8-120 S e o D8-100 B. Estes apresentavam uma versão de 4,7 litros de oito cilindros, que produzia cerca de 120 CV no D8-120 S.

Cerca de 100 exemplares no total foram construídos no momento em que a guerra estourou.

Com a declaração de guerra em 1939 e a invasão do norte da França, em 1940 pelos Alemães, a produção de automóveis parou.

A produção da Delage foi retomada em 1946 apenas para os modelos D6 baseados em Delahaye.

IMG_20210923_182434.jpg

IMG_20210923_182519.jpg

IMG_20210923_182612.jpg

 

 

Miniatura

Interior detalhado

Sem suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Solido

Série L `Age d’Or

Referencia nº 31 12/75 posteriormente 4031

Material – zamac

Material da placa de base – plástico

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em caixa de cartão com janela de visualização.

País - França

Anos de fabrico  a

 


publicado por dinis às 22:48
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Setembro de 2021

Mercedes Benz 250 coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

Mercedes Benz 250 coupé - Um olhar sobre as minhas miniaturas

338ª – Mercedes Benz 250 coupé Auto Pilen

Um coupé de quatro lugares de luxo

Modelo real

Mercedes-Benz 250SE Sunroof Coupe 1967

O Mercedes Benz W108 / W109 estreou no Salão do Automóvel de Frankfurt em 1965. O W108s era constituído pelo 250 S, 250 SE e 300 SEb e W109  o 300 SEL.

Os motores eram provenientes da geração anterior com refinamentos mecânicos. O motor M180 de 2,2 litros foi aumentado para 2,5 litros, enquanto a versão M189 de 3 litros com injeção de combustível foi herdada do "300 Adenauer".

O 250 S foi equipado com motor M108 de 2.496 cc com dois carburadores downdraft produzindo 96 kW (131 CV; 129 bhp) a 5.400 rpm. Ele poderia acelerar a 100 km / h (62 mph) em 13 segundos para manual e 14 para automático. A velocidade máxima foi de 182 km / h (113 mph) para manual e 177 km / h (110 mph) para automática.

O 250 SE tinha o mesmo motor do 250 S, exceto pelo sistema de injeção de combustível e pela designação do motor diferente (M129). Com maior potência do motor de 110 kW (150 PS; 148 bhp) a 5.500 rpm, 250 SE foi um segundo mais rápido para 100 km / h do que 250 S e teve velocidade máxima superior de 193 km / h (120 mph) para manual e versões automáticas.

A produção da primeira série foi de 1965 a 1967 são 129.858 de 250 S / 250 SE e 5.106 de 300 SEb / 300 SEL.

IMG_20210922_153846.jpg

IMG_20210922_153901.jpg

IMG_20210922_153923.jpg

Miniatura

Abre as portas, porta-malas e levanta o capô para ver o motor.

Os bancos são rebatíveis.

Motor e interior detalhado

Com suspensão.

As rodas são de plástico de acordo com as originais.

Fabricante Auto Pilen

Série M

Referencia nº 305

Material – zamac

Material da placa de base – zamac

A base está aparafusada à carroçaria

Apresentado em vitrina de plástico.

País - Espanha

Anos de fabrico  a


publicado por dinis às 22:07
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. VW Dragster - Um olhar so...

. Porsche Carrera 6 Campeão...

. Ferrari 312 PB - Um olhar...

. Porsche Aurora Carrera 6 ...

. Austin London Taxi - Um o...

.  Austin Mini 1275 GT - Um...

. Rolls Royce Silver Shadow...

. Lotus Elan  - Um olhar so...

. Citroen Maserati - Um olh...

. Ligier JS2 - Um olhar sob...

. Osi Daf City- Um olhar so...

. Peugeot 404 - Um olhar so...

. Monteverdi 375l- Um olhar...

. Rally de Portugal Históri...

.  Lola T 290 Claude Swietl...

. Fiat 2300 S coupé Norev -...

. Rally de Portugal Históri...

. Alfa Romeo Giulia GTV 200...

. Rally de Portugal Históri...

. Lamborghini Marzal - Um o...

. Rally de Portugal Históri...

. Renault R17 Rali de Marro...

. Alfa Romeo T 33 TT 12 - U...

. Minissima Town car - Um o...

. 145º Encontro de Clássico...

. Icsunonove Dallara - Um o...

. 145º Encontro de Clássico...

. Lotus 47 John Miles - Um ...

. Fuchs Racing - Um olhar s...

. Stutz Bearcat 1931 - Um o...

. Jeep da Champion - Um olh...

. Datsun 260 Z - Um olhar s...

. Citroen GS Camargue Berto...

. Mercury Cougar - Um olhar...

. Rampa de Santa Luzia 2021...

. Ford Escort Mk2 - Um olha...

. Delage D8 120 Carrosserie...

. Mercedes Benz 250 coupé -...

. Rampa de Santa Luzia 2021...

. Rolls Royce Silver Ghost ...

. Porsche 917/10 Interserie...

. Morgan Sport Aperta - Um ...

. Rampa de Santa Luzia 2021...

. Opel Ascona Rallye - Um o...

. Rampa de Santa Luzia 2021...

. Riley MPH 1934 - Um olhar...

. Volvo 66 DL- Um olhar sob...

. Rampa de Santa Luzia 2021...

. Ferrari 512 S Spyder 1970...

. 144º Encontro de Clássico...

.arquivos

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs
RSS
Em destaque no SAPO Blogs
pub