Domingo, 6 de Outubro de 2013

Toyota Corolla GT de José Meireles

Toyota Corolla GT de José Meireles

O Toyota Corolla voltou a Vila Real

O Toyota Corolla GT que em 1986 foi pilotado por José António Meireles na prova de Grupo A e com o qual se classificou em 4º lugar voltou ao Circuito de Vila Real em 2007 par participar na prova de homenagem a Manuel Fernandes, agora com  o seu filho José Meireles.  

34941_137673032927171_4770553_n.jpg

38030_137673229593818_3843163_n.jpg

38030_137673232927151_6563836_n.jpg

 

in:

https://www.facebook.com/jose.meireles.1980/photos


publicado por dinis às 14:36
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

40º Circuito de Vila Real

40º Circuito de Vila Real

"O 40º Circuito de Vila Real, será uma prova nacional, aberta à participação de pilotos estrangeiros, com 3 dias efectivos de corridas, a decorrer nos próximos dias 5 a 7 de Outubro, com provas para 10 categorias diferentes, tais como o Campeonato Nacional de Velocidade (PTCC), Campeonato Nacional de Clássicos, Campeonato Nacional de Clássicos de Velocidade até 1300cc, Taça Nacional de Clássicos, o ex-troféu Nissan, Vintage e Pós-Vintage, verdadeiras peças de Museu, corrida do Open, destinada aos carros de Sport e GT actuais, incluindo nela a Radical Challange Ibérica, teremos ainda o Desafio UNO, Troféu Caterham, bem como o Memorial Manuel Fernandes, em homenagem ao piloto transmontano recentemente falecido, destinado a carros dos anos 80 a 91 que tenham podido participar no Circuito de Vila Real daquelas épocas, para a qual vão ser criadas condições muito especiais de participação a exemplo do que será feito para a categoria Vintage e Pós-Vintage. Este é sem duvida um aliciante programa, com um total previsto de 16 corridas, estando já disponível no site do Clube, (WWW.CAVR.PT) uma ficha de pré-inscrição para que todos os pilotos interessados em participar possam desde já assegurar o seu lugar, pois as grelhas de partida em algumas categorias podem não comportar todos os interessados em correr em Vila Real.

 

Está ainda prevista a realização de um desfile ibérico de automóveis clássicos, em parceria com organizações ligadas ao projecto das cidades do Eixo Atlântico, assim como a criação de uma zona social.

 

Para lá da componente desportiva, o regresso das Corridas a Vila Real, fica ainda marcado por um elevado número de iniciativas paralelas, tais como um concurso para a criação do logótipo e cartaz das corridas, aberto a estudantes das escolas secundárias e superiores da região, exposições ligadas aos desportos motorizados e um concurso de decoração dos espaços comerciais.

 

No que se refere aos impactos deste projecto é possível estimar desde já o seu provável impacto anual, fruto da dinâmica que vai criar na hotelaria regional, no incremento da restauração e do restante comércio, tendo como base as experiências anteriores nesta cidade, mas também em eventos similares, é possível indicar que com a realização de um único evento, tal deve implicar a introdução directa na economia regional de um valor próximo do 1.300.000€, o que equivale a dizer que por ano, com os dois eventos previstos para o futuro, vão ser injectados directamente nos diferentes sectores da economia local, mais de 2.500.000€/ano.

 

Por último importa aqui referir alguns compromissos públicos a assumir pela organização deste evento, numa parceria entre o Município de Vila Real e o Clube Automóvel, tais como o estabelecimento de acordos com todas as entidades com actividades desportivas ou sociais, interessadas na participação neste projecto, o compromisso de minimizar eventuais impactos negativos em termos ambientais, que a realização das corridas possa acarretar, colocando na área florestal de Vila Real, todos os anos, um número significativo de árvores que possam compensar a libertação de gases poluentes (CO2) por parte dos veículos concorrentes, bem como o compromisso de fazer com que todos os intervenientes no evento, contribuam directa ou indirectamente, para o desenvolvimento da actividade de uma instituição particular de solidariedade social da região.

 

O futuro do Circuito está lançado e para os anos seguintes vão continuar os trabalhos para tentar receber distintos eventos, em vários fins-de-semana, para carros Contemporâneos e para carros Clássicos, procurando-se a obtenção de provas para diferentes campeonatos internacionais, solicitando-se a homologação da pista e procurando novas oportunidades de desenvolvimento do circuito, consolidando as suas infra - estruturas, em harmonia com o desenvolvimento da cidade, na busca sempre das melhores soluções para o traçado, para as estruturas de apoio e para a colocação do público".

in: http://www.cavr.pt


publicado por dinis às 00:19
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Setembro de 2007

14 anos depois novamente o circuito de Vila Real

14 anos depois novamente o circuito de Vila Real

 

"No final dos anos vinte, surgiu a ideia de realizar corridas em Vila Real; Aureliano Barrigas teve a ideia e em conjunto com alguns outros vilarealenses, começaram a estudar a possibilidade de as integrar nas “Festas da Cidade”, o que viria a acontecer em 1931, depois de já se ter realizado dois anos antes em Trás-os-Montes, uma prova automobilística que ligava Vila Real, Chaves e Mirandela, num triângulo percorrido em três voltas.

 

No grupo que se juntou a Aureliano Barrigas, considerado por todos o fundador do circuito de Vila Real, destacavam-se Luís Taboada que na época era o representante local da marca Ford, o Presidente da Câmara da época Dr. Emídio Roque Silveira e Manuel Lopes Barrigas, pai de Aureliano que segundo os estudiosos deste assunto afirmam ser o cirurgião do Regimento de Infantaria 13, já então existente em Vila Real.

 

Em 15 de Junho de 1931 acontece então a primeira edição de um circuito que viria a ter várias épocas, face a diversas interrupções que foram acontecendo ao longo dos tempos, sempre por motivos diversos, mas nunca o “bichinho” dos motores abandonando os corações dos vilarealenses.

 

Com um perímetro de 7.150 metros, em piso de macadame, foram dez os concorrentes para aquela que viria a ser a primeira corrida realizada em Vila Real, num total de vinte voltas, sendo dessa forma concretizado o sonho de um “punhado” de homens que para além de gostarem dos automóveis, tinham obrigatoriamente que gostar muito da sua cidade, face às dificuldades que se lhe colocaram, principalmente financeiras, mas que não os fizeram desistir.

 

Gaspar Gameiro competindo num Ford A, foi o vencedor, daquele que seria o primeiro circuito de Vila Real, circuito que ao longo de oito décadas foi ficando na memória de muitos que por aqui foram passando, como pilotos, mecânicos, assistentes de box, jornalistas, organizadores, ou simplesmente como espectadores, mas que na sua maioria, sempre que existia um interregno, suspiravam pelo seu regresso à ribalta dos Campeonatos.

 

A partir daí o circuito organizou-se de forma regular até 1938 (inclusive), apenas falhando em 1935, tendo a partir de 1934 começado a ser integrada no seu programa, corridas de motos.

 

Nesta fase, nomes como Vasco Sameiro, Eduardo Ferreirinha, Gaspar Sameiro, António Guedes, Manoel de Oliveira e Fernando Palhinhas, entre tantos outros, foram tornando importante o traçado de Vila Real, tendo a participação de estrangeiros pela primeira vez, no ano de 1936, ano em que também o evento é dividido em duas partes, ou seja duas jornadas diferentes separadas mais ou menos por um mês, sendo que a primeira comporta corridas de motos e nos automóveis para a categoria “Sport”, ficando para a segunda jornada os automóveis da categoria de “Corrida”.

 

Em 1939 já não se realiza o circuito de Vila Real, a exemplo do que aconteceria por todo o mundo devido à Segunda Guerra Mundial, regressando-se à actividade em 1949, sendo esta a primeira corrida de velocidade, em circuito, que se realiza em Portugal, depois da Guerra.

 

Nesta altura os regulamentos são diferentes, como o eram os automóveis e as Classes em que se dividiam, para além de que também os Pilotos, eram quase na sua totalidade de uma nova geração que se iniciava neste desporto. È neste ano que o local, António Camilo Fernandes se inicia com Piloto, ao volante de Riley Sprite, ainda hoje propriedade da família; o carro, de dois lugares descapotável, tinha um motor de 1.496cc e era capaz de atingir os 135 km/h.

 

Nesta fase, o circuito apenas se realiza durante quatro anos, em virtude de as estradas utilizadas como traçado, serem sujeitas a intervenções demoradas que se foram arrastando no tempo, apenas sendo possível retomar as corridas em 1958, já com uma nova versão do traçado reduzido para 6.925m e a nova Ponte da Timpeira construída, para além de que agora já não se subir para a zona da Av. Almeida Lucena (junto ao Jardim da Carreira), tendo a Meta, que era naquela avenida, passado para a actual Av. 1 de Maio (frente ao parque florestal), pelo que após a ponte metálica, que já antes se utilizava, se virar à direita na curva que adquiriria o nome de “Curva da Salsicharia”, entrando-se numa nova recta com muito melhores condições para se efectuar os procedimentos de partida, mas foi uma edição isolada, para só termos de novo corridas em 1966, quando se formou a designada “Comissão Permanente do Circuito de Vila Real”.

 

De 66 a 73, as corridas foram organizadas por um grupo bastante consistente e influente na cidade, o que possibilitava pensar-se que seria um período para durar, mas a crise petrolífera de 73, dava mais uma “machadada” neste e noutros traçados, pois as competições automobilísticas seriam proibidas, em virtude de ser necessário racionar os combustíveis, estando mesmo encerrados os postos de abastecimento ao fim-de-semana.

 

Entrava-se na fase mais mítica e aquela que mais projectou Vila Real e o seu circuito além fronteiras; No ano de reactivação, realizou-se um conjunto de provas que não pontuaram para o recém-criado Campeonato Nacional de Velocidade, uma competição debaixo da alçada da Comissão Desportiva Nacional (ACP) que naquela época detinha o poder Federativo, essas provas foram de “Fórmula V”, “GT e Spor”, “Turismo” e “Fórmula 3”.

 

A partir daí começou uma verdadeira “febre” das corridas na região norte do país e Vila Real começava a ser considerado, não o melhor circuito português, mas um dos melhores da Europa.

 

Muitos foram os Pilotos e equipas que depois de participarem nas já então famosas “24H de Le Mans”, se metiam ao caminho com os seus camiões de assistência em direcção a Vila Real, pois começou a ser rotina para os Pilotos mais importantes da categoria “Sport e Protótipos”, passar por Vila Real, diziam eles que era um dos mais belos em termos de condução.

 

67 é o ano em que a estrela foi o Lola T70 Mk3 de Mike Grace de Udy, que efectuou uma corrida solitária, tal era a superioridade da sua máquina, predominando na grelha vários modelos Lótus, tendo a corrida de “Fórmula 3” sido a mais internacional, pois dos 27 participantes apenas dois eram portugueses, Carlos Gaspar e Joaquim Filipe Nogueira, tendo Gaspar sido o melhor, terminando a corrida na décima posição.

 

Nos anos que se seguiram e até 73, era ver as listas aumentar quer em número quer em qualidade de carros e Pilotos, tanto nas corridas nacionais como nas internacionais, passando a corrida de “Sport e Protótipos” a ser a cabeça de cartaz a partir de 69, tendo a “Fórmula 3” sido abandonada, chegando a fazer-se as “6horas de Vila Real” e os “500Km de Vila real” respectivamente em 69 e 70.

 

Nomes como Reine Wisell, Chris Craft, John Miles, Carlos Gaspar, Ernesto Neves, Nogueira Pinto, Mike Grace de Udy, Carlos Santos, “Nicha” Cabral, Chris Williams, Ronnie Peterson, M. Lopes Gião, António Barros, Giannone, David Piper, Paul Hawkins, David Walker, entre muitos, muitos, mas muitos outros, foram nomes que fizeram subir a fasquia do valor que o “nosso” circuito teve.

 

Em 1978, formou-se o designado “Grupo dos cinquenta”, grupo esse que foi formado para conseguir retomar as corridas, tendo nesse anos apenas realizado motos nacionais, tendo ainda sido desenvolvido todo o processo de legalização do “Clube Automóvel de Vila Real” junto das autoridades civis e federativas, tendo em 89 realizado já provas internacionais de motos e nacionais de automóveis.

 

Até 91 o circuito tinha mais um ciclo que passaria por realizar provas de automóveis nacionais e motos nacionais e internacionais, estas pontuáveis para os Campeonatos Europeus de Velocidade e Mundiais de TT.

 

Nos automóveis houve duelos interessantíssimos, protagonizados por nomes como, MANUEL FERNANDES, Pêquêpê, Ni Amorim, Mário Silva, António Rodrigues, António Barros, R. Giannone, Jorge Petiz, Joaquim Moutinho, António Carreira, Fernando Peres, Sidónio Cabanelas, isto só para citar alguns, pois muitos foram os momentos de felicidade de pilotos, público e organizadores.

 

No entanto a história do circuito também tem momentos tristes, entre os quais se encontram três acidentes, o primeiro protagonizado durante uma volta de aquecimento, quando dois carros se tocam em plena recta de Mateus e colhem mortalmente um colaborador do CAVR, o segundo quando durante um treino, o piloto Oswaldo Oliveira perde a vida na curva da passagem de nível de Abambres, devido a ataque súbito, despistando-se de seguida a viatura.

 

Por fim em 91, quando no final da descida, na esquerda da Araucária, um Gt Turbo se despista, passando por cima das redes e de algum público, colhendo mesmo assim alguns espectadores, provocando a morte em quatro deles".

 

In.

 Noticias de Vila Real


publicado por dinis às 19:11
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 15 de Setembro de 2007

Circuito de Vila Real recebe uma alteração para receber a homologação da FPAK.

 

Circuito de Vila Real recebe uma alteração para receber a homologação da FPAK.

O traçado do novo Circuito de Vila Real sofreu uma alteração de última hora para receber a homologação da FPAK.

 

As duas chicanes previstas para a recta de Mateus e a zona que antecede a Araucária ficaram reduzidas a apenas uma, com a abolição da chicane de Mateus por sugestão federativa.

 

Com a abolição desta chicane a pista transmontana vê assim ser eliminado um potencial ponto de ultrapassagem dando origem a uma zona de aceleração com mais de 1km a descer.

 

Desta forma mantém-se o espirito de uma das zonas mais marcantes da pista de Vila Real com a descida de Mateus a terminar em duas esquerdas rapidíssimas que distinguirão os mais corajosos dos restantes, criando ao mesmo tempo uma zona sensível em termos de segurança.

 


publicado por dinis às 13:32
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Agosto de 2007

Já há railes no circuito!!!

 

Já há railes no circuito!!!

A praga dos incêndios e um clássico de peso Magirus-Deutz, perto do Cruzamento de Mateus.

Já há railes no circuito no cruzamento de Mateus 

post-1770-1327772002,4734.jpg

post-1770-1327772002,5642.jpg

post-1770-1327772002,6308.jpg

Circuito de Vila Real  (1).jpg

Circuito de Vila Real  (2).jpg

Circuito de Vila Real  (3).jpg

Abambres

Circuito de Vila Real  (4).jpg

Circuito de Vila Real  (7).jpgAntiga passagem de nível de Abambres

Circuito de Vila Real  (5).jpg

 

post-1770-1327772013,5281.jpg

 

post-1770-1327772013,6281.jpg

 

post-1770-1327772013,4782.jpgRua Dr. Nuno Simões

post-1770-1327772013,5281.jpg

post-1770-1327772013,5781.jpg

post-1770-1327772013,3783.jpg

 Avenida de Osnabruck

Circuito de Vila Real  (9).jpg

 

post-1770-1327772013,1473 (2).jpg

post-1770-1327772013,2203.jpg

post-1770-1327772013,2787.jpg

 

Circuito de Vila Real  (2).jpg

post-1770-1327772012,4542.jpg

post-1770-1327772012,5041.jpgNa nova variante utilizada pela primeira vez em 1993 na prova de motos.

Circuito de Vila Real  (12).jpgSede do Clube Automóvel de Vila Real

Circuito de Vila Real  (13).jpg

Circuito de Vila Real  (14).jpg

Circuito de Vila Real  (17).jpgChicane” meta

Circuito de Vila Real  (18).jpg

Circuito de Vila Real  (19).jpgSaída da “Chicane” meta

Circuito de Vila Real  (21).jpg

 

Circuito de Vila Real  (10).jpgOs últimos buracos para a implantação dos rails na Pista Internacional.

Circuito de Vila Real  (11).jpg


publicado por dinis às 02:07
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 28 de Julho de 2007

RTP em Vila Real e o Circuito

RTP em Vila Real 

Os bólides dos pilotos vila-realenses ornamentaram o cenário da transmissão directa efectuada ontem pela RTP. Ao longo da reportagem, Manuel Pedro Fernandes, Celmo Guicho e Luís Martins recordaram a sua "meninice" e salientaram o gosto por finalmente poderem participar no “seu” circuito.
Entretanto, foram visionadas algumas imagens dos circuitos internacionais de 1968, 1972 e 1973

post-1770-1327771893,569.jpg

post-1770-1327771893,3639.jpg

post-1770-1327771893,4443.jpg

post-1770-1327771893,5048.jpg

 


publicado por dinis às 01:57
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 24 de Julho de 2007

Vídeo do Circuito de Vila Real

Vídeo do Circuito de Vila Real

 Jguimarques

 

 


publicado por dinis às 01:51
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Julho de 2007

O desdobrável distribuído.

O desdobrável distribuído.

post-1770-1327771744,5141.jpg

post-1770-1327771744,5968.jpg

post-1770-1327771744,6718.jpg

post-1770-1327771744,7299.jpg

 

 


publicado por dinis às 01:44
link do post | comentar | favorito
|

Três categorias de velocidade exclusivas do Circuito de Vila Real.

Três categorias de velocidade exclusivas do Circuito de Vila Real.


VINTAGE E PÓS-VINTAGE - Esta categoria é aberta a todos os condutores de quaisquer veículos construídos ou matriculados entre os anos de 1920 e de 1952, de acordo com as normas de segurança para as viaturas daquela época. Esta categoria terá uma sessão de treinos cronometrados com 25 minutos, os quais determinam a ordem de saída para a Corrida única que terá 8 voltas (36.80Km).

DATSUM 1200 - Esta categoria é aberta a todos os concorrentes, conduzindo veículos Datsun 1200, com as características técnicas da última edição do regulamento do Troféu organizado sob a alçada da FPAK para estes modelos. Esta categoria terá uma sessão de treinos cronometrados e duas Corridas de 8 voltas cada.

MEMORIAL MANUEL FERNANDES - Esta categoria é aberta a todos os pilotos ao volante de quaisquer veículos dos grupos 1 a 5, N, N nacional, A, B, Produção ou Turismo, que tenham possuído homologação em vigor em qualquer um dos anos entre 1980 e 1991, ou entre algum daqueles anos, tenham participado em qualquer um dos troféus nacionais de velocidade, respeitando as normas de segurança para as viaturas daquelas épocas. Esta categoria terá uma sessão de treinos cronometrados, os quais determinam a ordem de saída para a Corrida de 10 voltas. Para efeitos de inscrição e eventual selecção dos participantes, será dada preferência aos veículos que efectivamente tenham participado no Circuito de Vila Real, durante aqueles anos, bem como aos pilotos que efectivamente participaram no Circuito, embora conduzindo agora outros veículos enquadráveis e por ultimo aos modelos similares aqueles que efectivamente participaram no Circuito de Vila Real.

 

 

 


publicado por dinis às 01:41
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Julho de 2007

Circuito de Vila Real já tem Logótipo

Circuito de Vila Real já tem Logótipo

 

Numa produção dos elementos do próprio Clube, está já criado um logótipo próprio do Circuito de Vila Real, que será utilizado na divulgação dos eventos e também associado a diversos produtos a criar especificamente para este primeiro evento pelo CAVR.

 


publicado por dinis às 01:27
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

14
16


28
29
30
31


.posts recentes

. Toyota Corolla GT de José...

. 40º Circuito de Vila Real

. 14 anos depois novamente ...

. Circuito de Vila Real rec...

. Já há railes no circuito!...

. RTP em Vila Real e o Circ...

. Vídeo do Circuito de Vila...

. O desdobrável distribuído...

. Três categorias de veloci...

. Circuito de Vila Real já ...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.Estatísticas

genius stats



.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds