Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

A primeira presença um Porsche no Circuito de Vila Real

A primeira presença um Porsche no Circuito de Vila Real 

“A primeira presença no Circuito de Vila Real 

mga s _n.jpg

 

O 356 de Manuel Nunes do Santos

Quando as primeiras unidades da Porsche começaram a ser importadas para Portugal, no ano de 1951, os nossos automobilistas rapidamente descobriram as suas notáveis propriedades de estradista e os 356 começaram a invadir a generalidade das competições automobilísticas nacionais, em todos os géneros: ralis, provas de perícia, rampas e circuitos. Em 1952, o Circuito de Vila Real – que tinha recuperado a sua tradição anterior à guerra, organizando o primeiro circuito após o conflito logo em 1949 – contou com a presença, numa estreia absoluta da nossa marca, de um Porsche 356 sob o impulso de Manuel Nunes dos Santos, um dos grandes pilotos amadores portugueses entre as décadas de 1930 e 50. O 356, com um motor de 1,1 litros, terminaria classificado na 9ª posição. Na foto, ei-lo em perseguição de dois veículos de Sport franceses, efectuados com base na mecânica da Simca, no cenário inconfundível de Vila Real. Outros Porsche fariam história no difícil circuito transmontano mas isso é um assunto a que voltaremos em breve”.

IN 

https://www.facebook.com/pages/CENTRO-PORSCHE-FARO/471379215001?fref=photo


publicado por dinis às 01:12
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Ela está no Brasil, e com a cor de quando foi pilotada em Vila Real

 Ela está no Brasil, e com a cor de quando foi pilotada em Vila Real

 

Ela está no Brasil, e com a cor de quando foi pilotada em Vila Real por Casimiro de Oliveira, que a levou ao primeiro lugar, a 6 de Julho de 1952.

Casimiro de Oliveira, irmão do cineasta, ainda vivo, Manoel de Oliveira, levou esta Ferrari #0180ET ao 1º lugar no Circuito de Vila Real em 1952.

 

 

 

 

 

 

Recebeu o Troféu Hour Concours no Brasil Classics Fiat Show - 2014

 “Sobre este Troféu:

Ferrari 225S Barchetta Vignale de 1952 restaurado pela Fabrica em Maranello, Itália, na Ferrari,

Existem veículos que por sua representatividade resumem a história do automóvel quer na sua exclusividade, na sua referência industrial e tecnológica e em seu estado de originalidade torna-se hour concours.

Este carro foi restaurado pela Fabrica em Maranello, Itália, na Ferrari, e segundo informações, recebeu motor original na oficina especializada da fábrica. Quem fez a entrega do carro foi o filho do comendador Enzo Ferrari.

Todas as tratativas e negociações de exportação, negociação da restauração com a Fábrica e reimportaçao do carro foram feitos pela Phoenix Studio. (5 fotos)”

 

XXI Encontro Nacional De Automóveis Antigos - Brazil Classics Fiat Show - Araxá - MG — em Araxá, Brazil

In https://www.facebook.com/phoenix.phst


publicado por dinis às 01:24
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 8 de Junho de 2014

Encontro de Vila Real com a História

Corridas de Vila Real

 

Encontro de Vila Real com a História

 

“Dado que uma das vertentes do Grémio Literário Vila-Realense é o fomento da investigação de aspectos relacionados com a história do concelho de Vila Real e este ano evocar-se-á o Circuito de vila Real “

A Iniciativa promovida pelo Grémio Literário e realizada nas instalações do armazém da empresa Correia e Silva na passada quinta-feira, onde se encontram e foi possível tomar contacto com as tábuas e caibros utilizadas nas bancadas de então.

Durante a apresentação o Historiador Dr. Elísio Neves encantou-nos com mais um pouco de história antes de nos desvendar o programa “ O Circuito de Vila Real “

Mas voltamos a história que o Pai do “Tino” lhe contou certamente inúmeras vezes.

… Durante o ano de 1952, foi aberto concurso para a montagem das bancadas para o Circuito de Vila Real, tendo sido escolhida a proposta de Joaquim Maximiano Correia.

No final da prova e como o pagamento não tinha sido efectuado, para minimizar o prejuízo, os empregados da firma Correia e Silva, efectuaram a sua desmontagem.

Como a madeira não era a mais adequada para a sua clientela, foi ficando sem qualquer utilização.

Mais tarde, os caibros e as tábuas das bancadas, foram utilizados nos trabalhos de ampliação do armazém, outrora um lagar de vinho, dos quais ainda existem vestígios.Os caibros e as tábuas ali estrategicamente colocados para aumentar a capacidade de armazenamento da então jovem firma, ainda mantém a particularidade de estarem sequencialmente numerados, correspondendo assim aos lugares da respectiva bancada, permanecendo como memória viva do que outrora foram as bancadas do circuito.

 

 

Os dois postais oferecidos durante o evento,numa edição do Grémio Literário Vila-Realense.

 

António Peixinho, vencedor da Corrida de Turismo em 1967

(No momento no momento da vitoria no circuito de Vila Real , refresca-se com uma Laranjada Transmontana)

 

O que resta das bancadas do circuito de Vila Real de 1952

 

 


publicado por dinis às 18:06
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012

Amarelinha como no tempo de Sameiro

Ferrari 225 S Spyder Vignale amarelinha como no tempo de Sameiro

1000 Miglia Mille Miglia 2012 pilotos : Marc Newson, Charlotte Stockdale- Photografo Mirko Zammarchi

 

Como seria em 1952…

 

http://www.supercars.net/gallery/119513/2836/1.html

 

Como era

 

Vasco Sameiro, momentos antes da última partida para provas de automóveis na Avenida Almeida Lucena.Foto Macário

 

Com as cores de  1952 e antes de Vasco Sameiro não conseguir evitar uma saída de pista, na curva de S. Pedro, também conhecida como Curva do Gasómetro e consequente abandono na 13ª volta, por problemas nos travões.

O 225 Spider Vignale - #0198ET de Vasco Sameiro fazia parte de um trio muito bem equipado, que incluía o 225 Spider Vignale - #0180ET - Casimiro de Oliveira, o 225 Spider Vignale e #0200ED – D. Fernando de Mascarenhas.

Estavam acompanhados pelos 3 Ferrari de competição já existentes em Portugal:

166MM Barchetta Touring #0040M - José Cabral

166MM barchetta Touring #0056M - Guilherme F Oliveira

340 America Berlinetta Vignale - #0082A - José Arroyo Nogueira Pinto

Em que o vencedor foi Casimiro de Oliveira, no ano em que mais Ferrari percorreram o Circuito Internacional de Vila Real, e com resultados muito diferentes, o segundo foi (Mascarenhas), terceiro (Biondetti) e um quinto lugar (Guilherme de Oliveira), a Ferrari também assinalou um abandono (Nogueira Pinto), 3 acidentes (Stagnoli, Castelotti e Sameiro), e um piloto a treinar (Monte Real) e a não alinhar.

 

 

Fotos da reportagem do Jornal Última Hora sob o título "Ases do Volante" em 25 de Maio de 1953, no Rio de Janeiro -RJ. Qual a história do M. Valentim e da Ferrari?

http://antigosverdeamarelo.blogspot.pt/2011/03/ferrari-em-1953.html

 

Mário Valentim, 7º classificado do Circuito de Monsanto (GP Portugal 1953), numa miniatura Top Model Collection TMC 173 na escala1:43

 

 

 

 

Classic Cars, Janeiro de 2007 quando estava à venda na Suiça em 2006

http://www.kidston.com/kidston-cars/19/1952-Ferrari-225

 

Agora finalmente com a pintura da época:   

 

Mille Miglia 2011

 

http://www.supercars.net/Pics?viewPic=y&source=gal&uID=119513&gID=2642&pgID=5&pID=995193&first=true


publicado por dinis às 23:26
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Julho de 2012

Ciclo Cultural “Sabores de Vila Real”

 

16 Manuel Nogueira Pinto - Andrade Vilar - Porsche Carrera 6

19 Taf Gosselin - Claude Bourgoignie - Alfa Romeo T 33 

 

Ciclo Cultural “Sabores de Vila Real”

O “Ciclo Cultural “Sabores de Vila Real” integra o programa da Universidade de Verão, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em parceria com o Museu do Som e da Imagem, e Camara Municipal, foi repartido ao longo de quatro dias e dividido em quatro temas, para mostrar e debater a cultura vila-realense, sob a coordenação e dinamização do historiador vila-realense Dr. Elísio Amaral Neves.

No dia 20 de Junho, pelas 17 h 30 mm, teve início o Ciclo Cultural “Sabores de Vila Real” no armazém da empresa Correia e Silva, sito na rua Visconde de Carnaxide. Nº 1, tendo a 1ª sessão denominada “O Circuito Internacional de Vila Real”, sido aberta pelo Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, que realçou a importância e a oportunidade destes eventos, em espaços privilegiados que visam promover uma maior interligação com a comunidade.

De seguida e com o seu peculiar à-vontade e mestria, o historiador vila-realense, aludindo aos percursores do circuito de Vila Real, e a dada altura, de uma forma sublime, refere-se aos seus conterrâneos de outrora, como “modernos”.

“Os “modernos” eram vila-realenses, que queriam mais, não se contentavam com o que a “bila” lhes dava, e lutaram para colocar Vila Real no mapa, quer nacional, quer internacionalmente.”

“Aureliano de Almeida Barrigas, um homem de largos recursos financeiros, hábil desenhador, ilustrador e caricaturista (responsável pela linha gráfica dos primeiros circuitos de Vila Real) autor e ilustrador de capas e texto de dois livros sobre mecânica ( “ Como tratar o meu automóvel”, de 1926 e “ A inflamação eléctrica por magneto ou bateria, nos automóveis”,  de 1928e, em consonância com o espirito da época, voltado para as actividades desportivas.”

“Luís Taboada, representante local da Ford desde 1926, delegado do ACP desde os inícios dos anos 30 e vereador da Camara Municipal ao longo de grande parte dos anos 30.

No dizer do pai de Aureliano Barrigas, médico-cirurgião do  Regimento de infantaria 13, Manuel Lopes Barrigas, “foi ainda mais entusiasta e mais louco “ do que o seu próprio filho.”

“O Presidente da Camara Municipal, Dr. Emídio Roque da Silveira que, com as individualidades acima referidas e outras, encara a hipótese de efectuar um circuito em 1928.”

 

O circuito motociclista “Circuito de Trás-os-Montes” realizado por ocasião do Iª Congresso Transmontano, entre 16 e 18 de Setembro de 1920, foi também recordado.

“O seu percurso compreendeu Vila Real – Balsa - Ponte de Parada – (por Sabrosa) – Vila Real na distância de 57 Km, em circuito fechado, nela participaram entre outros, Emílio Botelho - Indian, José da Cunha Pinto - Indian  e Aureliano Barrigas - FN, em “Fortes “ e Luís Taboada e José Augusto Tabuada ambos em Wanderer e José Morais Serrão - Griffon, em “Fracos” . O primeiro prémio foi um pneu.

O início da prova ocorreu na Avenida Almeida Lucena, o local onde uma década depois se iniciaram as provas do Circuito de Vila Real. Circuito fechado

“A vitória coube a José Cunha Pinto no tempo de 1hora e 4 minutos, e o segundo a Emílio Botelho no tempo de 1 h e 20 minutos. Na categoria “Fracos” venceu Luís Taboada, seguido de seu irmão José Augusto Taboada.”

Mais tarde, após seis horas do início da prova, e enquanto transportavam a mesa de cronometragem, Morais Serrão, o último concorrente, atinge a meta, perante o espanto geral. A demora relaciona-se com a queda ao Rio Pinhão, na Ponte de Parada, de Aureliano Barrigas, que teve de ser levado em carro de bois, para uma das suas quintas, naquela zona.

Muito cedo os vila-realenses se entusiasmaram pelos desportos motorizados e qualquer pretexto servia para o demonstrar.

A terminar, Albertino Correia mostrou as traves e tábuas, ali presentes, que ao longo de mais de meio século serviram e ainda servem de arrumos e contou-nos a sua história.

 

 

… Durante o ano de 1952, foi aberto concurso para a montagem das bancadas para o Circuito de Vila Real, tendo sido escolhida a proposta de Joaquim Maximiano Correia.

No final da prova e como o pagamento não tinha sido efectuado, para minimizar o prejuízo, os empregados da firma Correia e Silva, efectuaram a sua desmontagem.

Mais tarde, os caibros e as tábuas das bancadas, foram utilizados nos trabalhos de ampliação do armazém, outrora um lagar de vinho, dos quais ainda existem vestígios.

Os caibros e as tábuas ali estrategicamente colocados para aumentar a capacidade de armazenamento da então jovem firma, ainda mantém a particularidade de estarem sequencialmente numerados, correspondendo assim aos lugares da respectiva bancada, permanecendo como memória viva do que outrora foram as bancadas do circuito,

 

 

 

O filme “As Corridas de Vila Real na Década de 1930” estive em sessão continua durante o colóquio.

 

Antes e depois

Apontamento gastronómico - cavacórios com vinho do Porto

 


publicado por dinis às 23:53
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 27 de Novembro de 2011

Ferrari 225 S Spyder 0198ET

Ferrari 225 S Spyder 0198ET

Mário Valentim, o brasileiro que no Ferrari 225 S Spyder 0198ET foi 7º classificado do Circuito de Monsanto a quando do GP Portugal é um modelo da Best e que também com o nº 20 reproduziria o modelo de D. Fernando de Mascarenhas, seu anterior proprietário e que com ele correu no circuito de Vila Real em 1952, onde foi segundo.  

64954323.jpg

66182171.jpg

74315860.jpg

 

 

 


publicado por dinis às 01:24
link do post | comentar | favorito
|

Ferrari 225 S Spider

Ferrari 225 S Spider

O Ferrari 225 S Spyder aqui no GP do Porto de 1952 mas  que com o nº 21 reproduziria o carro com que Casimiro de Oliveira venceu o Circuito de Vila Real nesse mesmo ano.

52627442.jpg

83143257.jpg


publicado por dinis às 01:03
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011

11º Circuito Internacional de Vila Real 1952

Livro do XI Circuito Internacional de Vila Real 1952

 

 

“Abertura

Num esforço que transpõe as fronteiras do exigível e do razoável, com pouco mais do que uma vontade inquebrável de viver, a cidade de Vila Real efectua pela décima primeira vez as provas internacionais de automóveis e pela oitava vez as de motos, que este ano teem carácter internacional.

Seria longa de contar, desde os baixios do desalento as culminâncias do triunfo, a história destas competições em Vila Real. Mas há-de confessar-se que o momento presente é o de maior crise no balanço da sua possibilidade de substituir.

Entretanto, mais e melhor, escrevemos no ano de 1951 ao mesmo pretexto; e foi realmente para melhor que caminhamos, mas também para mais aventura e para mais audácia, que só o delírio do mais acendrado bairrismo torna compreensível.

Todavia, continuar a viver foi o desejo. Merecer pelo esforço e pela vontade, a famosa tradição que vem de gerações passadas, porque é de audácia de começar que deriva o dever de continuar a manter.

Realmente o CIRCUITO INTERNACIONAL DE VILA REAL há muito excedeu a orbita dos interesses da cidade para se transformar num interesse do país, porque é à custa da simpatia e interesse de todos os visitantes que se mantem e progride.

Por isso, exaustos da caminhada, sirvam as ultimas forças para saudar quantos nos visitam, que assim compreendem este esforço hercúleo de contributo para o progresso do mais emocionante desporto do mundo,

Saúda-vos por Vila Real.

A COMISSÃO”

In Livro das corridas de 1952 


publicado por dinis às 23:15
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Julho de 2011

FAP “Fiat-Adler-Palhinhas”

Os FAP “Fiat-Adler-Palhinhas” de Fernando Palhinhas

 

 

 


Durante a visita à Feira de Automobilia, na Boavista deparei com um Singer Junior com aquela traseira em forma de barco, imediatamente vieram-me à memória as palavras do seu proprietário no Palácio de Mateus, quando em 1977 me disse ser o carro vencedor  do 1º Circuito de Boavista, no longínquo ano de 1931.


Singer Júnior Sport Boat-tail “traseira em forma de barco” de 1930

 

 


Há volta uns painéis retratavam uma marca de automóveis FAP, da qual somente recordo a sublime fachada da Garagem Palhinhas. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi neste cenário que decorreu a original apresentação do livro

" Os automóveis FAP de Fernando Palhinhas"

 

 

mais um excelente livro de José Barros Rodrigues onde ficamos a conhecer tudo sobre os carros produzidos por Fernando Palhinhas 'pai' vencedor do único circuito de Trás -os-Montes, em 1925.

 

FAP são as iniciais de Fiat-Adler-Palhinhas uma das marcas que mais notoriedade conquistou no início dos anos 50ª, com a transformação do velho Adler, do qual conservou a carroçaria em 1950, no ano seguinte já corria com três automóveis  

Inúmeros sucessos, onde o mais importante foi certamente o conquistado por Abílio de Barros, o piloto FAP com mais vitórias à geral, bateu Corte - Real Pereira no Grande Prémio do Jubileu do ACP a 26 de Julho de 1953, naquela que foi uma espécie de vingança de sobre o Alda e o seu piloto que haviam vencido a I Taça Cidade do Porto, na Boavista.

O somatório de todas as participações de todos os concorrentes da marca corresponde a 75 resultados, dos quais 21 – quase um terço – são vitórias, à geral ou à classe. No estrangeiro podemos contar com vitórias no Rali a Vigo, em 1951, Circuito de Tanger, em 1954 e Circuito de Agadir, em 1955.

 

 

 

 

Para saber mais: 

 

 


publicado por dinis às 23:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 12 de Agosto de 2010

Ferrari 225S de Fernando Mascarenhas Top Model Collection, TMC 173

Ferrari 225S de Fernando Mascarenhas

O Ferrari 225S de Mário Valentim, e classificada erroneamente com 7º classificado no Circuito de Monsanto (GP Portugal 1953), numa miniatura Top Model Collection, TMC 173, na escala 1:43 é já em preto, mas, o problema do para brisas e mais difícil de refazer para o Ferrari 225S de Fernando Mascarenhas.  


publicado por dinis às 02:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

16

25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. A primeira presença um Po...

. Ela está no Brasil, e co...

. Encontro de Vila Real com...

. Amarelinha como no tempo ...

. Ciclo Cultural “Sabores d...

. Ferrari 225 S Spyder 0198...

. Ferrari 225 S Spider

. 11º Circuito Internaciona...

. FAP “Fiat-Adler-Palhinhas...

. Ferrari 225S de Fernando ...

.arquivos

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.Estatísticas

genius stats



.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds